Entre as frias grades e as espinhosas flores

um estudo sobre o processo de expatriação do intelectual cubano Reinaldo Arenas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i39.39072

Palavras-chave:

Reinaldo Arenas. Exílio. Testemunho.

Resumo

Por meio de relatos epistolares e autobiográficos, este artigo analisa o processo de expatriação sofrido pelo intelectual Reinaldo Arenas e por milhares de outros cubanos. Inicialmente, são abordadas suas expectativas quanto a uma possível fuga da ilha de Cuba e uma potencial vida exílica nos Estados Unidos. Em seguida são investigadas as experiências do escritor já como refugiado, no tocante as questões de identidade e liberdade. Os testemunhos de Arenas demonstraram que diante de suas vivências exílicas, houve não só a modificação de suas representações acerca das nações em que residiu, como também uma intensificação de sua fragmentação identitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENAS, Reinaldo, (1943- 1990). Antes que anoiteça/ Reinaldo Arenas. _2. ed. Rio de Janeiro: Record, 1995.

ARENAS, Reinaldo, (1943- 1990). Cartas a Margarita y Jorge Camacho (1967- 1990). Sevilla: Point de lunettes, 2010.

CASTRO, Mariela. Uma nação socialista deve defender a igualdade de todos. 2 fev. 2013. Entrevista concedida a Opera Mundi. Disponível em: <https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/26925/sobre-homofobia-fidel-sempre-assumiu-responsabilidades-diz-mariela-castro>. Acesso em: 20 jan. 2020.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 5, n. 11, p. 173-191, 1991. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ea/v5n11/v5n11a10.pdf >. Acesso em: 26 jan. 2020.

COSTA, Adriane Aparecida Vidal. Intelectuais, política e literatura na América Latina: o debate sobre a revolução e socialismo em Cortázar, García Márquez e Vargas Llosa (1958-2005). 2009. 413 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009. Disponível em: <http://hdl.handle.net/1843/VCSA-9NBHUX>. Acesso em: 1 ago. 2020.

DRUMMOND, Caroline Maria Ferreira. Exílio, literatura, intelectuais e política em "Mariel - Revista de Literatura y Arte" (1983-1985). 2018. 203 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018. Disponível em: <http://hdl.handle.net/1843/BUOS-B9BHNZ>. Acesso em: 1 ago. 2020.

FOUCAULT, Michel. Aula de 17 de marro de 1976. In: Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. 285-315.

FOUCAULT, Michel. Poder-Corpo. In: Microfísica do Poder. 4. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984, p. 146-151.

JENSEN, S. Sobre La política del destierro y el exilio en América Latina de Mario Sznajder y Luis Roniger: hacia un enfoque sociopolítico, macrohistórico y teórico-analítico del problema. Historia, Voces Y Memoria, (8), p. 13-20, 2015. Disponível em: <http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/HVM/article/view/1660>. Acesso em: 19 mai 2020.

KOSELLECK, Reinhart. “Espaço de experiência” e “horizonte de expectativa”: duas categorias históricas. In: Futuro Passado: contribuição a semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/PUC-Rio, 2006, p. 305-327.

MARQUES, Rickley Leandro. A condição Mariel: memórias subterrâneas da experiência revolucionária cubana (1959-1990). 2009. 276 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/4253/1/2009_RickleyLeandroMarques.pdf >. Acesso em: 19 fev. 2020.

SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio. In: Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003, p. 46-60.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

FREITAS, U. P. Entre as frias grades e as espinhosas flores: um estudo sobre o processo de expatriação do intelectual cubano Reinaldo Arenas. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 39, 2021. DOI: 10.26512/emtempos.v1i39.39072. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/39072. Acesso em: 6 out. 2022.