O príncipe e o poeta

o passado russo e transcaucásio pelas lentes de Sergei Eisenstein e Parajanov

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i37.34208

Palavras-chave:

Alexander Nevsky., Sayat-Nova., Narrativa fílmica

Resumo

Este artigo dedica-se ao estudo da relação entre História e Cinema. Para isso, debruça-se sobre duas produções cinematográficas da União Soviética: Alexander Nevsky (1938), de Sergei Eisenstein e A Cor da Romã (1969), de Sergei Parajanov. Por meio desses filmes, ambientadas no século XIII e XVIII, respectivamente, objetiva-se examinar o papel ocupado pela nacionalidade nas duas produções e refletir sobre as imagens fílmicas na construção de uma narrativa sobre o passado das repúblicas da URSS. Busca-se analisar como os passados russo e transcaucásio são representados e construídos pelos cineastas, bem como quais os processos de condensação, deslocamento e simbolização, como na escrita histórica, estes filmes utilizam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Leonardo Rosa Stelmach, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Licenciatura em História pela mesma instituição.

Lúcio Geller Junior, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Licenciatura em História pela mesma instituição. 

Referências

A COR da romã (filme). Direção de Sergei Parajanov. URSS: Armenfilm. 1969. 73 min.

ALEXANDER Nevsky (filme). Direção de Sergei Eisenstein. URSS: Mosfilm. 1938. 112 min.

ALMEIDA, Cybele. A Joana d'Arc de Luc Besson e outras Joanas do cinema: reinterpretações de uma heroína medieval. Sovrastrutture, Itália, n. 23, p. 64-79, 2019.

AUMONT, Jacques. As teorias dos cineastas. Campinas: Papirus, 2004.

BENJAMIN, Walter. Pequena história da fotografia. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras Escolhidas. v. 1. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CABRAL, Marcelo. Eisenstein e a psicologia da arte. 2008. 206 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) ”“ Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Cataria, 2008.

ECO, Umberto. Cinema e literatura: a estrutura do enredo. In: A definição da arte. Rio de Janeiro: Record, 2016.

EISENSTEIN, Sergei. A forma do filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

FENNELL, John. The Crises of Medieval Russia, 1200-1304. Nova Iorque: Routledge, 2004.

FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

GALSTYAN, Siranush. Sergei Parajanov: Saving Beauty. Cinergie, il cinema e le altre arti Cinergie uscita, n. 6, nov., 2014.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, jul./dez. 1997

ISOAHO, Mari. The image of Aleksandr Nevskiy in Medieval Russia: warrior and Saint. Leida, Países Baixos: Brill Leiden, 2006.

LEWIN, Moshe. O século soviético. Rio de Janeiro: Record, 2007.

LÓPES, Lidia. Propaganda y música en el contexto de la Unión Soviética en el período stalinista. El caso de la película Alexander Nevsky. Artes La Revista, Universidade de Antioquia, Colombia, v. 9, n. 16, p. 64-75, dez., 2010.

LUNATCHÁRSKI, Anatoli. Os objetivos da atividade cinematográfica de Estado na URSS. In: Revolução, arte e cultura. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

MARTIN, Janet. Medieval Russia (980-1584). Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

MARX, Karl. Teses sobre Feuerbach. In: A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

NOVIKOVA Olga. La politica de la memoria: moldear el pasado para construir la sociedad democratica (la URSS y el espacio postsovietico). Historia del presente. Madrid, n. 9, 2007.

OELER, Karla. A Collective Interior Monologue: Sergei Parajanov and Eisenstein’s Joyce-Inspired Vision of Cinema. The Modern Language Review, v. 101, n. 2, p. 472”“487, 1 abr. 2006.

PARAJANOV-VARTANOV INSTITUTE. Sergei Parajanov Interview. Disponível em: < https://parajanov.com/interview/ > Acesso em: 28 jun. 2020.

PAYASLIAN, Simon. History of Armenia: from the origins to the present. Nova York: Palgrave Macmillan, 2007.

PEREIRA, Erivoneide. A cinematografia de Serguei Eisenstein: imagem, som e sentido em Aleksandr Niévski. 2014. 121 f. Dissertação (Mestrado em Letras) ”“ Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura Russa, Departamento de Letras Orientais, Universidade de São Paulo, 2014.

PLESZCZYŃSKI, Andrzej. The Struggle for power in Suzdal-Vladimir Rus’ in 1252 according to the author of ‘The Life of Alexander Nevsky’. In: MOŹDZIOCH, S.; WISZEWSKI, P. Consensus or violence? Cohesive forces in early and high medieval societies (9th-14th c.). Breslávia: Institute of History at the University of Wroclaw, 2013.

QUATAERT, Donald. O Império Otomano. Das Origens ao século XX. Lisboa: Edições 70, 2018.

QUINSANI, Rafael. A revolução em película: a relação cinema-história e a transformação do paradigma historiográfico. 2015. 312 f. Tese (Doutorado em História) ”“ Programa de Pós-Graduação em História, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015.

ROSENSTONE, Robert. History in Images/History in Words: Reflections on the Possibility of Really Putting History onto Film. The American Historical Review, v. 93, n. 5, p. 1173”“1185, 1988.

______. History on film, film on history. Harlow: Longman/Pearson, 2010.

SEGRILLO, Angelo. O declínio da URSS. Um estudo das causas. Rio de Janeiro: Record, 2000

SEWARD, Desmond. The monks of war: the military religious orders. Londres: Penguin Books, 1995.

SILVA, José. A representação dos mongóis em Alexander Nevsky de Sergei Eisenstein. Cadernos de História UFPE, v. 12, n. 12, p. 171-189, 2017.

STEFFEN, James. The cinema of Sergei Parajanov. Madison: The University of Wisconsin Press, 2013.

______. Parajanov’s playful poetics: on the “director’s cut” of The color of pomegranates. Journal of Film and Video, v. 47, n. 4, p. 17-32, 1996.

SUNY, Ronald. Ascensão e queda da União Soviética: o império de nações. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 75, p. 77”“98, 2008.

______. Looking toward Ararat: Armenia in modern history. Indianapolis: Indiana University Press, 1993.

TEIXEIRA, Igor. Medievalidades em Flesh and Blood. In: GUAZZELLI, Cesar et al. (Orgs.). Fim do mundo: guerras, destruição e apocalipse na história e no cinema. Porto Alegre: Argonautas, 2012.

TOROPOVA, Anna. An Inexpiable Debt: Stalinist Cinema, Biopolitics, and the Discouse of Happiness. The Russian Review, n. 74, p. 665-683, out. 2015.

TRAVERSO, Enzo. A melancolia de esquerda: Marxismo, História e Memória. Belo Horizonte: Âyiné, 2018.

VOYCE, Arthur. The art and architecture of medieval Russia. Oklahoma, EUA: University of Oklahoma Press, 1967

WHITE, Hayden. Historiography and Historiophoty. The American Historical Review, v. 93, n. 5, p. 1193”“1199, 1988.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Como Citar

STELMACH, Yuri Leonardo Rosa; GELLER JUNIOR, Lúcio. O príncipe e o poeta: o passado russo e transcaucásio pelas lentes de Sergei Eisenstein e Parajanov. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 37, 2020. DOI: 10.26512/emtempos.v1i37.34208. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/34208. Acesso em: 22 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.