Operários no Contestado: um estudo sobre os momentos de organização e luta dos trabalhadores da Lumber Company, 1917-1919.

Autores

  • Alexandre Assis Tomporoski Universidade do Contestado (UnC)

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i32.14708

Palavras-chave:

História do Contestado. Greve. História do Trabalho.

Resumo

O objetivo deste estudo consiste em investigar algumas das primeiras greves deflagradas na região do Contestado, no planalto catarinense, paralelamente à ampliação do movimento operário nacional, no contexto de 1917 a 1919. As greves originaram-se na Lumber Company, madeireira e colonizadora norte-americana, cuja atuação na região ”“ mediante a expulsão de posseiros e através de uma política despótica em relação à população local ”“ contribuiu decisivamente para a eclosão do Movimento Sertanejo do Contestado (1912-1916). Apenas sete meses após o término dos combates, o primeiro movimento grevista irrompeu na companhia, localizada no município de Três Barras. O texto ampara-se no enfoque proposto por Edward Palmer Thompson, no âmbito da História Social Inglesa. Por conseguinte, a partir das concepções thompsonianas subjacentes, o artigo considera pesquisas realizadas a fontes de natureza jornalística, principalmente da imprensa operária, o que propiciou a análise dos processos relacionados à deflagração de duas greves na Lumber Company, respectivamente nos anos de 1917 e 1919. Os resultados obtidos apontam para uma intensa mobilização dos trabalhadores da Lumber Company, os quais possuíam conexões com outros grupos de trabalhadores, fato que comprova sua articulação em nível nacional. Conclui-se que na região do Contestado, as estratégias de resistência e luta dos mais pobres continuaram em vigência mesmo após o término do movimento sertanejo, apresentando-se na forma de greves e mobilizações operárias, depreendendo-se que compuseram um conjunto mais amplo de mobilizações, devidamente articuladas, que adquiriram relevância nacional no período de 1917 a 1919.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUGUSTO, Dídio. In Memoriam. União da Vitória: Uniporto-Gráfica e Editora, 1994 (Coleção Vale do Iguaçu).

CARVALHO, Miguel Mundstock Xavier de. Uma grande empresa em meio à floresta: a história da devastação da floresta com araucária e a Southern Brazil Lumberand Colonization (1870-1970). Tese (Doutorado emHistória). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2010.

DALLANORA, Cristina. Conflito de terra e formas de apropriação no Meio-Oeste Catarinense: o caso de Vivaldino Silveira de Ávila (1916-1930). Conversas & Controvérsias, v. 4, p. 127-148, 2017.

DIACON, Todd A Milenarian vision, capitalist reality. Brazil’s Contestado rebelion, 1912-1916. Durham: Duke University Press, 1991.

ESPIG, Márcia J. Personagens do Contestado: os turmeiros da Estrada de Ferro São Paulo -Rio Grande. Pelotas: Ed. UFPel, 2010.

MACHADO, Paulo Pinheiro. Lideranças do Contestado: a formação das chefias caboclas (1912-1916). Campinas, SP. Editora da Unicamp, 2004.

PAOLI, Maria Célia. “São Paulo operária e suas imagensz (1900-1940)”. Espaço e Sociedade: Revista de EstudosRegionais e Urbanos. N. º 33, ano XI, 1991, p. 27 a 41.

POYER, Viviani. Fronteiras de uma guerra: diplomacia e política internacional em meio ao movimento social do Contestado, 1907-1918. Tese (Doutorado em História). UFSC. Florianópolis, 2018.

RODRIGUES, Rogério Rosa. Veredas de um grande sertão: a Guerra do Contestado e a modernização do Exército brasileiro na Primeira República. Tese de Doutorado em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

SAVAGE, Mike. “Classe e história do trbalho”. In: BATALHA, Cláudio H. M. SILVA, Fernando Teixeira da, e FORTES, Alexandre, (orgs.) Culturas de Classe: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas: Editora da UNICAMP, 2004.SEYFERTH, Giralda. “Identidade nacional, diferenças regionais, integração étnica e a questão imigratória no Brasil”. In: ZARUR, George de Cerqueira Leite. Região e Nação na América Latina. Brasília: Editora da UnB: São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2000.

SINGER, Paul.O Brasil no contexto do capitalismo internacional (1889-1930). In: História Geral da Civilização Brasileira ”“8 ”“III ”“O Brasil Republicano ”“1 Estrutura de Poder e Economia (1889-1930). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998, p. 381.

THOMPON, Edward Palmer. A Miséria da Teoria ou um Planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

THOMPON, Edward Palmer.Tradición, revuelta y consciencia de clase: Estudios sobre la crisis de la sociedad preindustrial. Barcelona: Editorial Critica. 2. Ed. 1984.

THOMPON, Edward Palmer. A formação da classe operário inglesa. Vols. I, II e III. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

THOMPON, Edward Palmer. Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional. Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

TOMPOROSKI, Alexandre Assis. “O pessoal da Lumber!”Um estudo acerca dos trabalhadores da Southern Brazil Lumberand Colonization Companye sua atuação no planalto norte de Santa Catarina, 1910 ”“1929. Florianópolis. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2006.

TOMPOROSKI, Alexandre Assis.O polvo e seus tentáculos. A Southern Brazil Lumberand Colonization Company e as transformações impingidas ao planalto contestado, 1910-1940. Tese (Doutorado em História). Florianópolis: UFSC, 2013.

TOMPOROSKI, Alexandre Assis. Os costumes no planalto catarinense: dos embates no movimento sertanejo do Contestado à luta contra as imposições do capital estrangeiro (1912-1919). Revista Brasileira de História & Ciências Sociais ”“RBHCS, Vol. 7, Nº 14, p.27-56, dez.2015.

VALENTINI, Delmir José. Atividades da Brazil Railway Company no sul do Brasil: a instalação da Lumbere a Guerra na região do Contestado (1906-1916). Porto Alegre. Tese (Doutorado em História). PUC/RS. Porto Alegre, 2009.

VARGAS, João Tristan. O trabalho na ordem liberal: O movimento operário e a construção do Estado na Primeira República. Campinas, SP: UNICAMP/CMU, 2004.

Downloads

Publicado

2018-08-21

Como Citar

TOMPOROSKI, A. A. Operários no Contestado: um estudo sobre os momentos de organização e luta dos trabalhadores da Lumber Company, 1917-1919. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 32, 2018. DOI: 10.26512/emtempos.v0i32.14708. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14708. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos