Pertinências entre os anais egípcios e a biografia antiga: ensaio historiográfico sobre escrita e ideologia nas inscrições cuneiformes e hieroglíficas de eventos oficiais e memoriais do Egito antigo

Autores

  • João Batista Ribeiro Santos UERJ

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i23.14864

Palavras-chave:

Escrita da história. Egito antigo. culturamaterial.

Resumo

Este ensaio tem como fontes escritas os anais egípcios, cujo objeto de análise será a representação faraônica na escrita da história. Abordaremos, como objetivo da tarefa historiográfica, os anais e os postulados da biografia com o intuito de desenvolver a hipótese segundo a qual os anais refletem a imagem biográfica faraônica idealizada, mas também contribuir com os novos debates sobre os domínios da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSMANN, Jan. La mémoire culturelle:écriture, souvenir et imaginaire politique dans les civilisations antiques. Paris: Éditions Flammarion, 2010.

AUBET, María Eugenia. Comercio y colonialismo en el Próximo Oriente antiguo: los antecedentes coloniales del III y II milenios a.C.Barcelona: Edicions Bellaterra, 2007.

BAINES, John. “A realeza egípcia antiga: formas oficiais, retórica, contexto”. In: DAY, John(Org.). Rei e messias em Israel e no antigo Oriente Próximo. São Paulo: Paulinas, 2005, p. 19-56.

CARDOSO, Ciro Flamarion. “História e textualidade”. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012, p. 225-241.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

CHÂTELET, François. La naissance de l”Ÿhistoire. Tome 1. Paris: Éditions de Minuit, 1996.

CHÂTELET, François. La naissance de l”Ÿhistoire. Tome 2. Paris: Éditions de Minuit, 1996.

COELHO, Liliane Cristina. “O Egito e seus vizinhos: relações de poder nas Cartas de Amarna”. In: BIRRO, Renan M.; CAMPOS, Carlos Eduardo da Costa (Orgs.). Relações de poder: da Antiguidade ao Medievo. Vitória: Departamento de Letras da Universidade Federal do Espírito Santo, 2013, p. 1-24.

DOSSE, François. O desafio biográfico: escrever uma vida. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

GRENDI, Edoardo. “Paradoxos da história contemporânea”. In: OLIVEIRA,Mônica Ribeiro de; ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de (Orgs.). Exercícios de micro-história. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 2009, p. 39-49.

GRIMAL, Nicolas. História do Egito antigo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.JONES, Peter V. “O mundo intelectual”. In: JONES, Peter V. (Org.). O mundo de Atenas: uma introdução à cultura clássica ateniense. São Paulo: Martins Fontes, 1997, p. 283-360.

KITCHEN, Kenneth A. Ramesside inscriptions, translated & annotated translations. Vol. III: Ramesses II, his contemporaries. Oxford: Wiley-Blackwell, 2000.

KITCHEN, Kenneth A. Ramesside inscriptions: translated & annotated translations. Vol. IV: Merenptah & the late Nineteenth Dynasty. Oxford: Wiley-Blackwell, 2003.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Editora Contraponto; Editora da Pontifícia Universidade Católica, 2011.

LE GOFF, Jacques. História e memória. 6. ed. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2012.

LIVERANI, Mario. Le lettere di el-Amarna. Vol 1: Le lettere dei “Piccoli Re”. Brescia: Paideia Editrice, 1998.

LIVERANI, Mario. Le lettere di el-Amarna. Vol. 2: Le lettere dei “Grandi Re”. Brescia: Paideia Editrice, 1999.

LIVERANI, Mario. Antico Oriente: storia, società , economia. 8. ed. Roma; Bari: Editori Laterza, 2009.

MOMIGLIANO, Arnaldo. Problèmes d”Ÿhistoriographie ancienne et moderne. Paris: Éditions Gallimard, 1983.

MORRISON, Kathleen D. “Sources, approaches, definitions”. In: ALCOCK, Susan E. et al. (Orgs.). Empires: perspectives from archaeology and history. Cambridge: Cambridge University Press, 2009, p. 1-9.

PEYRONEL, Luca. Storia e archeologia del commercio nell”ŸOriente antico. Roma: Carocci Editore, 2008.

POCOCK, John G.A. Linguagens do ideário político. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

PORTER, Anne. “Beyond dimorphism: ideologies and materialities of kinship as time-space distanciation”. In: SZUCHMAN, Jeffrey (Ed.). Nomads, tribes, and the State in the ancient Near East: cross-disciplinary perspectives. Chicago: The Oriental Institute of the University of Chicago, 2009, p. 201-225.

PRATO, Gian Luigi. Identità e memoria nell”ŸIsraele antico: storiografia e confronto culturale negli scritti biblici e giudaici. Brescia: Paideia Editrici, 2010.

RAINEY, Anson F. “Israel in Merenptah’s Inscription and Reliefs”. Israel Exploration Journal, Jerusalem, v. 51, n. 1, p. 57-75, 2001.

REDE, Marcelo. “História e cultura material”. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012, p. 133-150.

RITNER, Robert. “Egypt and the vanishing Libyan: institutional responses to a nomadic people”. In: SZUCHMAN, Jeffrey (Ed.). Nomads, tribes, and the State in the ancient Near East: cross-disciplinary perspectives. Chicago: The Oriental Institute of the University of Chicago, 2009, p. 43-56.

SANTOS, João Batista Ribeiro. “No princípio eram os escravos: a etnografia hebraica e as fontes epigráficas egípcias sobre a origem mediterrânea do antigo Israel”. Cadernos de História, Mariana, v. 6, n. 2, p. 12-26, 2011.

SANTOS, João Batista Ribeiro. “A experiência do mundo: uma visão historiográfica sobre a cidade de Gaza no contexto da materialidade do Mediterrâneo antigo”. Diálogos,Maringá, v. 16, n. 3,p. 951-969, 2012.

SANTOS, João Batista Ribeiro. A emergência do antigo Israel: um diálogo entre a história e a arqueologia histórica na busca da identidade étnica da grandeza social “Israel” no Mediterrâneo nos séculos XIV-XIII a.C.Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2013a.

SANTOS, João Batista Ribeiro. “Os povos da terra. Abordagem historiográfica de grandezas sociais do antigo Oriente-Próximo no segundo milênio a.C.: uma apresentação comparativa”. Revista Caminhando, São Bernardo do Campo, v. 18, n. 1, p. 125-136, 2013b.

SETERS, John van. Em busca da história: historiografia no mundo antigo e as origens da história bíblica. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.SILVA, Maria Aparecida de Oliveira. Plutarco historiador:análise das biografias espartanas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

THEML, Neyde. “Linguagem e comunicação: ver e ouvir na Antiguidade”. In: THEML, Neyde (Org.).Linguagens e formas de poder na Antiguidade. Rio de Janeiro: Mauad; FAPERJ, 2002, p. 11-24.

YOFFEE, Norman. Mitos do Estado arcaico: evolução dos primeiros Estados, cidades e civilizações. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

Downloads

Publicado

2013-12-17

Como Citar

SANTOS, J. B. R. Pertinências entre os anais egípcios e a biografia antiga: ensaio historiográfico sobre escrita e ideologia nas inscrições cuneiformes e hieroglíficas de eventos oficiais e memoriais do Egito antigo. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 23, 2013. DOI: 10.26512/emtempos.v0i23.14864. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14864. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos