Anúncios

Modernismos e modernidades na literatura e nas artes (Cerrados 59 2/2022)

2021-08-05

Pensar a arte na modernidade é considerar que, desde os finais do século XIX, nada mais foi estável e que os cruzamentos, interações e combinações entre as linguagens (artísticas ou não) se tornaram cada vez mais complexos e inevitáveis. Por isso, tendo por foco os finais do século XIX e o início do século XX, este número da Revista Cerrados se dedicará a refletir e a discutir sobre produções artísticas que, ao longo dessa virada de séculos, reivindicaram e comunicaram, no Brasil e no mundo, os espaços de diálogos, fronteiras e interferências entre as artes.

Época marcada por efervescências, inovações, rupturas e junções artísticas, sabe-se que no limiar desses séculos conviveram – por meio de tensões permanentes – novas e velhas condições de produção artística, interferências entre as artes, Vanguardas e movimentos artísticos modernistas, o que faz desse contexto artístico-cultural um grande palco de reivindicações, ataques e revoluções estéticas.

Expressão das instabilidades e permeabilidades das artes, a virada dos séculos nos fornece inúmeros exemplos de produções que reclamaram novas configurações, romperam com regras artísticas preestabelecidas e se exprimiram em composições híbridas. Interessam, portanto, a este dossiê esses diversos espaços de reivindicações das modernidades crescentes.

De Mallarmé a Apollinaire, dos diálogos aos confrontos entre a palavra e a imagem, das interações fotoliterárias às mesclas com as colagens e o cinema, passando pelas inovações e rupturas teatrais e musicais e pelas Vanguardas na Europa e Semana de Arte Moderna de 22 no Brasil, sem ignorar os seus desdobramentos no futuro da Literatura, da Pintura, da Música, do Teatro, da Fotografia, da Dança e do Cinema, são bem vindas proposições que discutam as novidades e os cruzamentos entre as artes desse período, seja do ponto de vista teórico-metodológico, seja a partir de estudos e análises de obras específicas.

Este dossiê da Revista Cerrados pretende, assim, reunir artigos que abordem e discutam sobre as reivindicações das modernidades, as relações e os diálogos entre a literatura e as artes, bem como sobre produções artísticas localizadas no período destacado que sejam marcadas pela confluência, combinação, interferência e/ou renovação de linguagens.

Comissão Organizadora:

Juliana Mantovani (PósLIT – UnB)

Sidney Barbosa (PósLIT – UnB)

 Prof. Dr. Rémy Lucas (La Rochelle Université).

 

 

Data Limite para envio de artigos: 25/02/2022

Saiba mais sobre Modernismos e modernidades na literatura e nas artes (Cerrados 59 2/2022)

Edição Atual

v. 30 n. 55 (2021): Tensões identitárias, diálogos e desafios na representação do indígena na literatura brasileira desde o século XVI
					Visualizar v. 30 n. 55 (2021): Tensões identitárias, diálogos e desafios na representação do indígena na literatura brasileira desde o século XVI

A proposta do número temático aglutinará estudos que discutem tanto o percurso histórico quanto os recursos estilísticos que (de)limitam a heterogeneidade dos elementos constituintes da identidade cultural no Brasil via representação do indígena e sua materialidade em diferentes gêneros literários, desde o século XVI até a contemporaneidade, podendo também contemplar estudos numa perspectiva comparada com as literaturas latino-americanas. Esse amplo espectro temporal permite examinar Ã  luz das relações complexas entre identidade e alteridade e de conceitos como antropofagia, migração cultural, colonialidade, modernidade e decolonialidade, os sentidos de pertencimento e de identidade na literatura brasileira, tomando em consideração a figuração dos povos indígenas. Algumas pistas de reflexão são propostas :

 

  • a construção literária da figura do indígena através de textos que representam as relações entre povos indígenas e colonizadores ;
  • o imaginário conciliador do processo de construção da nação e sua desconstrução;
  • a mitificação da figura do « índio »
  • os estereótipos e as origens da intolerância na percepção da alteridade dos povos indígenas
  • formas de representação da coexistência de culturas distintas 
  • figurações de territorialidades indígenas na contemporaneidade
  • de objeto da representação a sujeito da enunciação : a literatura indígena contemporânea
Publicado: 2021-05-31

Edição completa

Ver Todas as Edições