Redes de cooperação na gestão do turismo municipal

um estudo em Araguaína-TO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.25546

Palavras-chave:

Redes de cooperação; Turismo; Gestão municipal; Araguaína-TO.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar como ocorre o processo de planejamento do turismo no município de Araguaína-TO, frente a proposta do uso das redes de cooperação. Metodologicamente, o estudo é de natureza qualitativa, a entrevista semiestruturada foi o instrumento de coleta utilizado, e a técnica análise de conteúdo auxiliou na apreciação dos dados. Os resultados apontaram que existe uma iniciativa de planejamento do turismo no município de Araguaína, entretanto, essa ainda não acontece de forma a considerar o uso de redes de cooperação. O estudo permitiu identificar que os atores locais compreendem o contexto inicial do planejamento do turismo no município, porém revelam que ainda não há um trabalho realizado em conjunto para fins de desenvolver a atividade turística. Constatou-se que grande parte dos entrevistados possuem o interesse em trabalhar de modo cooperado no tocante a busca pelo desenvolvimento do turismo na localidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Furtado Costa

Graduação em Tecnologia em Gestão de Turismo pela Universidade Federal do Tocantins/UFT.

 

Rodrigo Cardoso da Silva, IFB

Professor no Instituto Federal de Brasília, Campus - Brasília

Mestre e doutorando em Turismo - PPGTUR/UFRN

Referências

Amaral, M. I. C. (2014). Importância da cooperação e das redes no desenvolvimento do turismo: o caso do Baixo Alentejo (Portugal). Tourism and Hospitality International Journal, 2(1), p. 56-72. Recuperado de:<http://www.isce-turismo.com/static/files/da9dac0a-Importancia-da-Cooperacao-e-das-Redes-no-Desenvolvimento-do-Turismo-O-caso-do-Baixo-Alentejo-Portugal.pdf>.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo / Laurence Bardin; tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70.

Brandão, P. de M.; Baldi, M.; Alban, M. (2014). (Des)Centralização da gestão pública do turismo brasileiro: análise da participação dos atores privados no Conselho Nacional de Turismo. Tourism & Management Studies, 10(Special Issue), p. 193-199. Recuperado de: <http://www.scielo.mec.pt/pdf/tms/v10nEspecial/v10a25.pdf>.

Brasil. Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo: Elaboração do Plano Estratégico de Desenvolvimento do Turismo Regional. Brasília-DF. MTur, 2007.

Brasil. Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo: Diretrizes. Brasília-DF. MTur, 2013.

Brasil. Ministério do Turismo. Plano Nacional de Turismo - 2018-2022: Mais emprego e renda para o Brasil. Disponível em: .

Brasil. Ministério do Turismo. (2017) Mapa do Turismo de Tocantins muda e agora estado tem 40 municípios com vocação turística. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/assuntos/8162-mapa-do-turismo-de-tocantins-muda-e-agora-estado-tem-40-munic%C3%ADpios-com-voca%C3%A7%C3%A3o-tur%C3%ADstica.html>.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. (2010). O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Brasília: MMA. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/240/_publicacao/240_publicacao05072011052536>.

Casttels, J. M. (2006). A Sociedade em Rede. 9°ed. São Paulo: Paz e Terra. 2006.

Cerqueira, A. C. de; Sacramento, P. M.; Teixeira, R. M. (2010). Redes de cooperação entre pequenas empresas do setor hoteleiro e a rede turística: um estudo de casos múltiplos em Aracaju, Sergipe. Revista Acadêmica do Observatório de Inovação do Turismo, v. 5, n. 1, art. 5, p. 1-16.

Czajkowski, A.; Cunha, S. K. da. (2010). Organização e coordenação da rede de cooperação em aglomerados de turismo rural. Revista Turismo Visão e Ação, v. 12 (1), 92 – 113, jan/abr. Recuperado de: <https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rtva/article/viewFile/1102/1510>.

Dencker, A. de F. M. (2007). Pesquisa em Turismo: planejamento, métodos e técnicas. 9ª edição, São Paulo: Futura.

Di Pietro, J. E. F. (2003). Ilha do Campeche: A importância do estudo de

Capacidade de Carga. 2003. 91 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de

Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, UFSC,

Florianópolis.

Flecha, A. C. (2010). Alinhamento competitivo dos componentes de uma rede de atores do turismo. Tese (doutorado em Engenharia de Produção) - Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Paulista, São Paulo, 2010. Recuperado de: <http://livros01.livrosgratis.com.br/cp149162.pdf>.

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas.

Lakatos, E. M.; Marconi, M. de A. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

Mielke, E. J. C. Silva, J. A. S. (2017) A cooperação no desenvolvimento de destinos turísticos: importância como política pública e como instrumento propulsor na comercialização de produtos turísticos locais. Revista Iberoamericana de Turismo- RITUR, Penedo, Volume 7, Número 2, maio/ago, p.3-21. Recuperado de: <http://www.seer.ufal.br/index.php/ritur>.

Petrocchi, M. (2009). Turismo: Planejamento e gestão. 2. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Petrocchi, M. (2011). Gestão de polos turísticos. São Paulo: Futura.

Orsoli, F. (2015). Introdução às Mídias Sociais. Série E-books Sebrae. Disponível em: <http://www.rafaelfelipesantos.com.br/wp-content/uploads/2015/07/ebook-2-midias-sociais.pdf>.

Santos, C. H. S.; Bassanessi, M. M. R. (2010). Turismo e redes: um novo caminho para a organização no início do século XXI. (org.). Caxias do Sul, RS: Educs.

Silva, G. J. A. da. (2017). Estudo de potencialidades para a implementação do Turismo de Base Comunitária em Araguaína – TO. 2017. 28F. TCC (Graduação em Gestão de Turismo) - Universidade Federal do Tocantins – UFT, Araguaína.

Teixeira, R. M. (2011). Redes de cooperação em turismo: um estudo nas pequenas empresas hoteleiras em Curitiba, Paraná. Book of proceedings vol. I – international conference on tourism & management studies – Algarve, p. 819-821. Recuperado de: <https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5018515.pdf>.

Xavier, T. R.; Inácio, R. de O.; Wittmann, M. L.; Flecha, A. C. (2012). A relação entre redes e turismo: uma análise bibliométrica sobre a emergência de um novo paradigma no planejamento turístico. Turismo e Sociedade, Curitiba, v.5, n.2., p.443-465. Recuperado de: <http://revistas.ufpr.br/turismo/article/view/26970>.

Publicado

2020-10-27

Como Citar

Furtado Costa, F., Medeiros Borges, A. L., & Cardoso da Silva, R. (2020). Redes de cooperação na gestão do turismo municipal: um estudo em Araguaína-TO. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 8(15), 78 - 99. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.25546

Edição

Seção

Artigos

Most read articles by the same author(s)