Mulheres Atlânticas - a agência de mulheres negras no Judiciário Brasileiro: resenha do livro “Cadê a Juíza?”, de Raíza Feitosa Gomes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistainsurgncia.v10i1.52440

Palavras-chave:

Resenha, Mulheres Atlânticas, Raíza Feitosa Gomes

Resumo

Resenha do livro: GOMES, Raíza Feitosa. “Cadê a juíza?”: travessias de magistradas negras no judiciário brasileiro. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2020.

Biografia do Autor

Inara Flora Cipriano Firmino, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), na área de concentração em Teoria do Estado e Direito Constitucional, na Linha de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia e Ordem Internacional. Pesquisadora do Núcleo de Justiça Racial e Direito da FGV- Direito SP. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Mestra em Ciências (área de concentração: Desenvolvimento no Estado Democrático de Direito) pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da FDRP/USP, sendo bolsista CAPES.

Rodrigo Portela Gomes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba, lotado no Departamento de Ciências Jurídicas. Doutor em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília (UnB) com período de visita técnica na Universidad Nacional de Colombia, financiado pela FAP/DF. Mestre em Direito, Estado e Constituição pela UnB.

Referências

BERTÚLIO, Dora Lúcia de Lima. Direito e relações raciais: uma introdução crítica ao racismo. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2019.

BUENO, Winnie de Campos. Imagens de Controle: um conceito do pensamento de Patricia Hill Collins. Porto Alegre, RS: Editora Zouk, 2020.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A Construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. São Paulo: Programa de Pós-Graduação (Doutorado) em Educação da Universidade de São Paulo, 2005.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Pesquisa sobre negros e negras no Poder Judiciário. Pesquisa sobre negros e negras no Poder Judiciário. Conselho Nacional de Justiça. Brasília: CNJ, 2021.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Diagnóstico Étnico-Racial no Poder Judiciário. Brasília: CNJ, 2023.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Trad. Jamille Pinheiro Dias. 1. ed. São Paulo: Boimtempo, 2019.

COLLINS, Patricia Hill; BILGE, Sirma. Interseccionalidade. Trad. Rane Souza. 1. ed. São Paulo: Boimtempo, 2021.

FIRMINO, Inara Flora Cipriano. Re(Orí)entando o sistema de justiça através do Pensamento Feminista Negro: uma análise interseccional da agência de mulheres negras na Ouvidoria Externa da Defensoria Pública do Estado da Bahia. Ribeirão Preto: Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Direito da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 2020.

GOMES, Raíza Feitosa. “Cadê a Juíza?”: travessias de magistradas negras no judiciário brasileiro. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2020.

GOMES, Rodrigo Portela. Cultura jurídica e diáspora negra: diálogos entre Direito e Relações Raciais e a Teoria Crítica da Raça. Revista Direito e Práxis, v. 12, n. 2, p. 1203-1241, 2021.

GONZALEZ, Lélia. Lélia Gonzalez – primaveras para as rosas negras. Diáspora Africana: UCPA, 2018.

HOOKS, bell. Intelectuais Negras. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 464-478, 1995.

NASCIMENTO, Maria Beatriz. Beatriz Nascimento, quilombola e intelectual: possibilidade nos dias da destruição. 1. ed. Diáspora Africana: Editora Filhos da África, 2018.

PIRES, Thula Rafaela de Oliveira. Direitos humanos e Améfrica Ladina: por uma crítica amefricana ao colonialismo jurídico. In: Dossier: El pensamento de Lélia Gonzalez, un legado y un horizonte. Lasa Forum, v. 50, n. 3, p. 69-74, 2019.

SOUSA, Maria Sueli Rodrigues de. Prefácio – Constitucionalismo e negritude: o retrato da negação do igual pertencimento. In: GOMES, Raíza Feitosa. Cadê a Juíza?”: travessias de magistradas negras no judiciário brasileiro. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2020.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

Downloads

Publicado

31.01.2024

Como Citar

FIRMINO, Inara Flora Cipriano; PORTELA GOMES, Rodrigo. Mulheres Atlânticas - a agência de mulheres negras no Judiciário Brasileiro: resenha do livro “Cadê a Juíza?”, de Raíza Feitosa Gomes. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 10, n. 1, p. 837–846, 2024. DOI: 10.26512/revistainsurgncia.v10i1.52440. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/52440. Acesso em: 17 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.