Teorias críticas do colonialismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistainsurgncia.v9i1.45253

Palavras-chave:

Teoria Crítica, Colonialismo, Pensamento Descolonial

Resumo

Versão revisada de texto publicado originalmente em PAZELLO, Ricardo Prestes. “Teorias críticas do(s) colonialismo(s)”. Em: PINTO, Eduardo Vera-Cruz; PERAZZOLO, José Rodolpho; BARROSO, Luís Roberto; SILVA, Marco Antonio Marques da; CICCO, Maria Cristina de (orgs.). Refugiados, imigrantes e igualdade dos povos: estudos em homenagem a António Guterres. São Paulo: Quartier Latin, 2017, p. 1161-1168.

Biografia do Autor

Ricardo Prestes Pazello, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil

Professor do Curso de Direito e do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Pesquisador em estágio pós-doutoral do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Colíder do Núcleo de Direito Cooperativo e Cidadania (NDCC/UFPR). Coordenador do GT de Direito e Marxismo do Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS). Coordenador do projeto de extensão/comunicação popular Movimento de Assessoria Jurídica Universitária Popular - MAJUP Isabel da Silva, junto à UFPR.

Referências

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Tradução de Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis e Gláucia Renate Gonçalves. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

BOLÍVAR, Simon. “Carta da Jamaica”. Em: BOLÍVAR, Simon. Simon Bolívar: o libertador. Tradução de Ruth Elisabeth Pucheta. Rio de Janeiro: ADIPRO; Caracas: Fundação Biblioteca Ayacucho, 2007, p. 52-71.

CABRAL, Amílcar. Análise de alguns tipos de resistência. Bolama, Guiné-Bissau: Imprensa Nacional, 1979, 136 p.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. “Prólogo: giro decolonial, teoría crítica y pensamiento heterárquico”. Em: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (eds.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre; 505 IESCO/Universidade Central; Instituto Pensar/Pontificia Universidad Javeriana, 2007, p. 9- 23.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Tradução de Anísio Garcez Homem. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2010.

CHAKRABARTY, Dipesh. Provincializing Europe: postcolonial thought and historical difference. 2. ed. Princeton: Princeton University Press, 2008.

DUSSEL, Enrique Domingo. Política de la liberación: historia mundial y crítica. Madrid: Trotta, 2007. v. I.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Tradução de Enilce Albergaria Rocha e Lucy Magalhães. Juiz de Fora-MG: UFJF, 2005.

GILROY, Paul. O Atlêntico negro. Tradução de Cid Knipel Moreira. 2. ed. São Paulo: Editora 34; Rio de Janeiro: Centro de Estudos afro-Asiáticos/UCAM, 2012.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Organização de Liv Sovik. Tradução de Adelaine La Guardia Resende, Ana Carolina Escosteguy, Cláudia Álvares, Francisco Rüdiger e Sayonara Amaral. 2 reimp. rev. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

JAMES, C. L. R. Os jacobinos negros: Toussaint L’Ouverture e a revolução de São Domingos. Tradução de Afonso Teixeira Filho. 1 reimp. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARTÍ, José. Nossa América (antologia). Tradução de Maria Angélica de Almeida Trajber e Beatriz Cannabrava. Textos selecionados por Roberto Fernández Retamar. São Paulo: Hucitec; Associação Cultural José Martí, 1983.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política – O processo de produção do capital. Tradução de Rubens Enderle. 2 reimp. São Paulo: Boitempo, livro I, 2014.

MIGNOLO, Walter D. Histórias locais/Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Tradução de Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

QUIJANO, Aníbal. “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina”. Em: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais – perspectivas latinoamericanas. Tradução de Júlio César Casarin Barroso Silva. Buenos Aires: CLACSO, 2005, p. 227-278.

RIBEIRO, Darcy. Configurações histórico-culturais dos povos americanos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

RIVERA CUSICANQUI, Silvia. Oprimidos pero no vencidos: luchas del campesinado aymara y qhechwa, 1900-1980. 4. ed. La Paz: La Mirada Salvaje, 2010.

SAID, Edward S. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. Tradução de Rosaura Eichenberg. 2 reimp. São Paulo: Companhia de Bolso, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

31.01.2023

Como Citar

PAZELLO, Ricardo Prestes. Teorias críticas do colonialismo. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 9, n. 1, p. 601–614, 2023. DOI: 10.26512/revistainsurgncia.v9i1.45253. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/45253. Acesso em: 20 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >> 

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.