A New-Right e a Influência Política na Religião: Apontamentos sobre o Ativismo Religioso na Política Brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v22i42.51335

Palavras-chave:

Direita Religiosa, Neopentecostais, Religião Pública

Resumo

A direita religiosa brasileira ganhou espaço no cenário político dos últimos anos, especialmente no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff. Suas ideias e modos de ação na política demonstraram semelhanças no modo de agir com a New-Right norte-americana, que surgiu em meados dos anos 1970. Esses traços em comum são encontrados, no campo social, na manifestação de líderes religiosos em suas residências de atuação e, na esfera política, na atuação de parlamentares que compõem a Frente Parlamentar Evangélica (FPE), em propostas como o projeto Escola Sem Partido e na promoção de intolerância às pautas de minorias. Este ensaio, com isso, tem como finalidade apresentar ideias e argumentos encontrados nestas direitas, em ambos os contextos, na percepção de uma retroalimentação ideológica entre Brasil e EUA na promoção de um ativismo religioso na política, e na leitura em que esse ativismo se coloca no cenário social como uma Religião Pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tulio Magalhães Rodrigues, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutorando no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2021). Especialista em História das Revoluções e Movimentos Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e graduado em História pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Interesse em temáticas como: Teoria política, Pensamento político Brasileiro, estudos sobre direitas e História da Democracia. Atualmente desenvolvendo uma pesquisa em torno da Direita política brasileira e suas influências teóricas.

Referências

ALLITT, Patrick. Religion in America: A History. New York: Columbia University Press, 2003.

ALMEIDA JR, J. Um panorama do fenômeno religioso brasileiro: neopentecostalismo ou pentecomessianismo. Ciências da Religião (Mackenzie. Online), v. 6, p. 146-177, 2008.

ALMEIDA, Ronaldo. Players evangélicos na crise brasileira (2013-2018). In. GUADALUPE, José Luis Pérez; CARRANZA, Brenda (Orgs). Novo ativismo político no Brasil: os evangélicos do século XXI. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung, 2020, p. 217-236.

BANWART, Doug. Jerry Falwell, the Rise of the Moral Majority, and the 1980 Election. Western Illinois Historical Review, vol. 5, 2013. Disponível em: http://www.wiu.edu/cas/history/wihr/pdfs/Banwart-MoralMajorityVol5.pdf. Acesso em 3 fev. 2023.

BELLOTI, Karina Kosicki. A batalha pelo ar: a construção do fundamentalismo cristão norte-americano e a reconstrução dos “valores familiares” pela mídia (1920-1970). Mandrágora, n. 14, p. 55-72, 2008. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MA/article/view/696. Acesso em 06 jan. 2023.

CALDEIRA NETO, Odilon. Frente Nacionalista, Neofascismo e “Novas Direitas” no Brasil. Faces de Clio, v. 2, n. 4, jul/dez. 2016, p. 20-36.

CARRANZA, Brenda. Evangélicos: o novo ator político. In. GUADALUPE, José Luis Pérez (Org.). Novo ativismo político no Brasil: os evangélicos do século XXI. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung, 2020, p. 171-192.

CASANOVA, José. Public Religions in the Modern World. Chicago: The University of Chicago Press, 1994.

CASARÕES, Guilherme. O movimento bolsonarista e a americanização da política brasileira: causas e consequências da extrema direita no poder. Journal of Democracy em Português, São Paulo, v. 11, n. 2, nov. 2022. Disponível em: < https://www.plataformademocratica.org/Arquivos/nov-22/O_movimento_bolsonarista_e_a_americanizacao_da_politica_brasileira_causas_e_consequeencias_da_extrema_direita_no_poder.pdf>. Acesso em: 01 ago. 2023.

CASIMIRO, Flávio Henrique Calheiros. A tragédia e a farsa: a ascensão das direitas no Brasil contemporâneo. São Paulo: Expressão Popular, Fundação Rosa Luxemburgo, 2020.

CENSO 2010: número de católicos cai e aumenta o de evangélicos, espíritas e sem religião. Agência IBGE, 2012. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/14244-asi-censo-2010-numero-de-catolicos-cai-e-aumenta-o-de-evangelicos-espiritas-e-sem-religiao#:~:text=Os%20evang%C3%A9licos%20foram%20o%20segmento,1980%2C%206%2C6%25.>. Acesso em 28 ago. 2023.

CHALOUB, Jorge; LIMA, Pedro; PERLATTO, Fernando. Direitas no Brasil contempo-râneo. Teoria e Cultura, v. 13 n. 2, dez. 2018.

CORREIRA, Mariama. Novo Brasil evangélico será desafio para o governo Lula. Apública, 2022. Disponível em: < https://apublica.org/2022/10/novo-brasil-evangelico-sera-desafio-para-o-governo-lula/>. Acesso em 29 ago. 2023.

COSTA, Fabiano. Comissão de Direitos Humanos aprova autorização para ‘cura gay’. G1, 2013. Disponível em: < https://g1.globo.com/politica/noticia/2013/06/comissao-de-direitos-humanos-aprova-autorizacao-para-cura-gay.html>. Acesso em: 31 ago. 2023.

COWAN, Benjamin A. Moral majorities across the Americas: Brazil, the United States, and the creation of the religious right. Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2021.

CRITCHLOW, Donald T. Phyllis Schlafly and grassroots conservatism: a wo-man’s crusade. New Jersey: Princeton University Press, 2005.

FALWELL, Jerry. [Letter from Jerry Falwell on Keeping Old Time Gospel Hour on air], letter. The Portal to Texas History, August 13, 1981. Disponível em: https://texashistory.unt.edu/ark:/67531/metadc177440/citation/#top. Acesso em 02 fev. 2023.

FRESTON, Paul. Evangelicals and Politics in Africa, Asia and Latin America. New York: Cambridge University Press, 2004.

GALINDO, Florencio. O fenômeno das seitas fundamentalistas. Petrópolis: Vozes, 1994.

HOFSTADTER, Richard. The Paranoid Style in American Politics and Other Essays. Harvard University Press: Massachusetts, 1964.

JORDSTAD, Erling. The Politics of Doomsday: Fundamentalists of the Far Right. Nashiville: Abingdon Press, 1970.

KRUSE, Kevin M. How Corporate America Invented Christian America. Basic Books: New York, 2015.

LEVY, Charmain. Influência e Contribuição: A Igreja Católica Progressista Brasileira e o Fórum social mundial. Religião e Sociedade. Rio de Janeiro, v. 29, p. 177-197, 2009. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rs/a/kdrZ9pNXsFkzN664ntYbBfb/>. Acesso em 02 set. 2023.

LIND, Michael. Why Intellectual Conservatism Died. Dissent, p. 42-47, Winter, 1995. Disponível em: < http://www.dissentmagazine.org/pdfs/lind.pdf>. Acesso em 15 jan. 2023.

MEZAROBBA, Glenda. Benjamin A. Cowan: O Brasil e a nova direita. Entrevista. Revista Pesquisa Fapesp, ed. 305, jul. 2021. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/benjamin-a-cowan-o-brasil-e-a-nova-direita/. Acesso em: 25 ago. 2023.

MIGUEL, Luis Felipe. A reemergência da direita brasileira. In. SOLANO, Esther (Org.). O Ódio como Política: A reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

MONTERO, P. . Religião Cívica, Religião Civil, Religião Pública: continuidade e descontinuidades. Debates do NER (UFRGS) , v. 19, p. 15-33, 2018.

MOORE, R. Laurence. Selling God: American Religion in the Marketplace of Culture. Oxford University Press: New York, 1994.

MOURA, Sebastião. Grupos evangélicos progressistas questionam legitimidade de lideranças conservadoras. Jornal da USP, 2021. Disponível em: < https://jornal.usp.br/ciencias/grupos-evangelicos-progressistas-questionam-legitimidade-de-liderancas-conservadoras/>. Acesso em 02 set. 2023.

NAGIB, Miguel. Escola Sem Partido, 2023. Quem somos. Disponível em: < http://escolasempartido.org/quem-somos/>. Acesso em 31 de ago. 2023.

NASH, George H. The Conservative Intellectual Movement in America: since 1945. 30 ed. Wilmington: Isi Books, 2006.

ORTUNES, Leandro; MARTINHO, Silvana Gobbi ; CHICARINO, Thatiana Senne . A instrumentalização do discurso do medo: pastores midiáticos e o período pré-eleitoral de 2014. Intercom. São Paulo, v. 42, p. 121-146, 2019.

OS PASTORES PROGRESSISTAS E A OUTRA VOZ DE DEUS. Outras Mídias, 2022. Disponível em: < https://outraspalavras.net/outrasmidias/as-igrejas-que-questionam-o-pecado-do-racismo/>. Acesso em 02 set. 2023.

ROCHA, Antonia Rozimar Machado e; SILVA, F. S. S. E.; BARRETO, A. A.. A FRENTE PARLAMENTAR EVANGÉLICA NO CONGRESSO NACIONAL: Representatividade Política dos Evangélicos? Inter-Legere, v. 4, n. 32, p. 1-27, 2021. Disponível em: < https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/25787>. Acesso em: 15 set. 2023.

ROCHA, Camila. “Menos marx, mais Mises”: Uma gênese da nova direita brasileira (2006-2018). 2018, 232 f., Tese (Doutorado em Ciência Política). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

RODRIGUES, T. M. A Sociologia e seus dilemas digitais: as relações sociais entre a Televisão e a Internet. Pensata, Campinas, v. 11, n. 1, p. 21-38, jul. 2022. Disponível em: < https://periodicos.unifesp.br/index.php/pensata/article/view/13913>. Acesso em: 15 ago. 2023.

ROXO, Sergio. Lula e a ‘carta aos evangélicos’. O Globo, 2021. Disponível em: < https://oglobo.globo.com/epoca/brasil/lula-a-carta-aos-evangelicos-24931854>. Acesso em 31 ago. 2023.

SANTANA, Erivelton. PL 7180/14 – Comissão Especial Escola Sem Partido. Projeto de Lei nº7.180 de 2014. Disponível em: < https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1661955>. Acesso em: 30 ago. 2023.

SEVERO, Ricardo; GONÇALVES, Suzane da Rocha Vieira; ESTRADA, Rodrigo duque. A Rede de Difusão do Movimento Escola Sem partido no Facebook e Instagram: conservadorismo e reacionarismo na conjuntura brasileira. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 3, p. 1-28, 2019.

SINGER, André (Org.). Sem Medo de Ser Feliz: Cenas de Campanha. São Paulo:

Scritta, 1990, p. 94-113.

TORREY, R. A; DIXON, A. C (Ed). The Fundamentals: A testimony to the Truth. Michigan: Baker Book House, 1917. Vol. 1.

TREVISAN, J. . A Frente Parlamentar Evangélica: Força política no estado laico brasileiro. Numen: revista de estudos e pesquisa da religião, v. 16, p. 29-57, 2013.

VILLASENOR, Rafael Lopez. A estratégia política da Igreja Universal do Reino de Deus: um estudo sobre as eleições presidenciais 1989, 1994 e 2002. Ponto-e-Vírgula, v. 8, 2010, p. 155-164. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/index.php/pontoevirgula/article/view/13949>. Acesso em 15 abr. 2023.

VILLAZÓN, Julio Córdova. Velhas e novas direitas religiosas na América Latina: os evangélicos como fator político. In. VELASCO E CRUZ; KAYSEL; CODAS (Orgs). Direita, volver!: o retorno da direita e o ciclo político brasileiro. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2015. p. 163-175.

Downloads

Publicado

2023-12-22

Como Citar

RODRIGUES, Tulio Magalhães. A New-Right e a Influência Política na Religião: Apontamentos sobre o Ativismo Religioso na Política Brasileira. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 22, n. 42, p. 37–59, 2023. DOI: 10.26512/emtempos.v22i42.51335. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/51335. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.