Dossiê: Gestão das Águas e de Territórios Protegidos

2018-11-22

A crise da água no mundo já é um alerta desde o século passado, por múltiplas razões, entre elas o aumento da população mundial que demanda maior uso do recurso, a poluição dos mananciais que afeta a qualidade da água, além dos impactos causados por construção de represas, destruição das zonas de captação e mudanças climáticas (MARENGO, 2008; ROJAS e IZA, 2009).

A gestão das águas envolve tanto questões educacionais, de conscientização e acesso a informação, como também a proteção de áreas no entorno de mananciais que se relaciona diretamente com a qualidade e a manutenção de recursos hídricos. A questão dos recursos hídricos, em especial, apresenta um caráter que vai além de fronteiras administrativas, o que exige um diálogo e uma ação multilateral por parte dos governos locais, organizações e outras partes que estejam envolvidas com o recurso (BURSZTYN e BURSZTYN, 2012).

Dessa maneira, a gestão dos recursos hídricos envolve, de maneira ampla, aspectos sociais e ecológicos, funcionando como um sistema que se relaciona e se conecta por meio da sociedade e de instituições (OSTROM, 2009; BERKES e FOLKE, 1998). As diferentes instituições envolvidas na gestão hídrica e de áreas protegidas, em especial, podem atuam em níveis diferenciados, como o municipal, o intermunicipal, o estadual, e o nacional para lidar com as diferentes perspectivas de gestão ambiental. Os níveis de atuação de instituições, bem como a articulação entre estas e a sociedade, devem ser considerados ao se tratar de maneira ampla as problemáticas socioambientas envolvidas na interelação entre a de recursos hídricos e as áreas protegidas (VIEIRA et al., 2005).

Portanto, a gestão das águas engloba uma multidisciplinaridade de atores sociais e de fatores ambientais, especialmente os territórios protegidos por Unidades de Conservação, terras indígenas e territórios quilombolas, entre outros. Para garantir a manutenção dos sistemas hídricos, a proteção de matas e da biodiversidade precisa estar envolvida e amparada por legislação. Tanto a proteção da biodiversidade quanto a gestão das águas, por sua vez, envolvem a participação das instancias da sociedade civil, publica e política, para dialogarem a fim de encontrar soluções que procurem atender as múltiplas demandas que envolvem a gestão de recursos hídricos e de territórios protegidos.

 O dossiê proposto pretende apresentar artigos científicos que abordem temas relacionados à gestão de recursos hídricos e de áreas protegidas, analisando e discutindo os serviços ecossistêmicos relacionados e a importância de estratégias de conservação das águas, da biodiversidade e sociobiodiversidade. Os artigos poderão abordar conflitos pelo uso do solo em áreas protegidas, avaliação de políticas públicas voltadas à proteção de mananciais, análises institucionais e socioambientais relacionadas aos temas, estudos da conservação de biodiversidade em ecossistemas aquáticos e terrestres. 

A interdisciplinaridade e o desenvolvimento sustentável será considerada na seleção dos artigos que irão compor o Dossiê, e que poderão trazer estudos a respeito de vegetação, solo, clima, fauna, infraestrutura, governança territorial e capital social relacionados aos recursos hídricos e à gestão territórios protegidos. O Dossiê aceitará também resenhas de livros relacionados ao tema, publicados entre os anos de 2016 a 2019.

Os trabalhos deverão ser submetidos pelo sistema regular da revista Sustentabilidade em Debate - SeD, com a indicação “Dossiê”. De acordo com as regras da revista, os artigos e resenhas seguirão o processo de revisão por pares, no sistema double blind peer review. Recomenda-se consultar as normas e orientações de SeD em “Diretrizes para Autores” http://periodicos.unb.br/ojs311/index.php/sust/

Os artigos e resenhas aprovados deverão ser traduzidos na íntegra para a língua inglesa para atender as demandas de internacionalização de SeD. A tradução será de responsabilidade dos autores.   

Temas abordados no dossiê:

- Políticas públicas de conservação da biodiversidade.

- Espaços socioambientais e conflitos pelo uso do solo/uso da água.

- Políticas e governança de áreas protegidas.

- Água, território, poluição, redes geográficas e governança.

- Uso e gestão de recursos naturais. 

Cronograma

➢        Submissão dos trabalhos completos: até 31 de março de 2019.

➢        Resultado da avaliação dos artigos: até 31 de outubro de 2019. 

➢        Ajustes dos artigos aceitos: até 30 de novembro de 2019.

➢        Publicação: final de dezembro de 2019.


Editores Responsáveis           

Izabel Cristina Bruno Bacellar Zaneti

Professora Adjunta

Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

E-mail: izabel.zaneti@yahoo.com

 

Paulo Cesar Rocha

Professor Assistente

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP – Faculdade de Ciência e Tecnologia, Presidente Prudente, São Paulo, Brasil.

E-mail: pcrocha@fct.unesp.br

 

Josana de Castro Peixoto

Professora titular

Universidade Estadual de Goiás e do Centro Universitário de Anápolis, Goiás, Brasil.

E-mail: josana.peixoto@gmail.com

 

Raquel  L. S. Caribé Grando

Doutora em Desenvolvimento Sustentável

Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

E-mail: raqcaribe@gmail.com

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BERKES, F.; FOLKE, C. Linking Social and Ecological Systems for Resilience and Sustainability. Property Rights and the Performance of Natural Resources Systems. The BeijerInternacional Institute of Ecological Economics, Stockholm, Sweden, 1998.

BURSZTYN, M. A.; BURSZTYN, M. Fundamentos de política e gestão ambiental: os caminhos do desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

MARENGO, J. A. Água e mudanças climáticas. Estudos avançados 22 (63), 2008.

OSTROM, E. et al. A General Framework for Analyzing Sustainability of Social-Ecological Systems.Science 325, 419 (2009).

ROJAS, G.; IZA, A. Gobernanza de Aguas Compartidas. Aspectos Jurídicos e Institucionales. UICN, Gland, Suiza. 2009. 240 pp.

VIEIRA, P.F.; et al. Gestão integrada e participativa de recursos naturais. Conceitos, métodos e experiências. Florianópolis: APED e Secco, 2005.