Editorial / Dossiê Temático

Autores

Palavras-chave:

Editorial, Dossiê Temático

Resumo

Editorial / Dossiê Temático

por Juliana Alves Mota Drummond, Marcos Machado Chaves, Thales Branche Paes de Mendonça, Vinícius Assunção Albricker e Wânia Storolli

Abrir. Foi com este verbo que abrimos a chamada para a submissão de artigos a este dossiê. Abrir no sentido de facilitar o encontro de ideias, pensamentos e práticas sobre o que diz respeito aos estudos vocais e musicais nas artes da cena. Abrir no sentido de expandir e permitir fluir reflexões que muitas vezes não encontram oportunidade de afluir para além das fronteiras das inestimáveis experiências artísticas, estéticas e pedagógicas. Abrir também como verbo do somar e do multiplicar, afinal, quando abrimos vozes no discurso musical, sucede-se a justaposição de frequências e criam-se harmonias, somam-se vibrações. Abrir vozes é também multiplicar as possibilidades perceptivas e abrir espaço para perspectivas múltiplas e diversas. Abrir no gerúndio, abrindo, para enfatizar que se trata de uma ação em processo. Vozes e musicalidades, no plural, para evidenciar a multiplicidade poética, estética, social, filosófica e pedagógica que as pesquisas fundadas na interação voz e musicalidade são capazes de suscitar. Eis então o título deste número: Abrindo Vozes e Musicalidades.

Propusemos essa abertura e, atendendo às expectativas, recebemos trabalhos que consideramos contribuir substancialmente com as discussões sobre as relações entre voz, música, cena e performance. Recebemos trabalhos com diversificados recortes conceituais e perspectivas metodológicas, textos que nos possibilitam ampliar o olhar sobre os quatro eixos temáticos propostos: a musicalidade vocal na arte do teatro; a teatralidade vocal na arte da música; as potencialidades criativas da voz em diferentes linguagens artísticas e manifestações culturais; as musicalidades e/ou sonoridades como voz em cena. São textos que revelam uma escrita tanto poética quanto acadêmica, trabalhos que alçam a voz humana, com todas as suas potências artísticas, à condição de protagonista das reflexões sobre o fazer cênico e musical. Inclusive, alguns textos contribuem explicitamente com as discussões sobre esse tema no atual mundo da pandemia.

O conjunto dos textos aqui publicados perpassa por abordagens pedagógicas, historiográficas, críticas, poéticas, estéticas, éticas, técnicas, psicotécnicas, filosóficas, sociais, políticas, investigativas e conceituais do campo de pesquisa da articulação de voz, música, cena e performance. A diversidade de enfoque pode instigar a experiência com novos sabores, sabores que estimulam o desejo de saber e o prazer de aprender algo novo. Esta equipe editorial teve o privilégio de saborear esse banquete de saberes de forma inaugural. Agora, a fim de que esse prazer seja compartilhado com o mundo, é com entusiasmo que oferecemos ao público leitor este dossiê, um banquete para quem tem apetite de abrir vozes e musicalidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Juliana Mota, Universidade Federal de São João Del-Rei - UFSJ, São João del Rei/MG, Brasil

Juliana Mota é atriz, cantora, diretora e relações públicas. Professora do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da UFSJ e do Curso de Graduação em Teatro da mesma instituição. Líder do grupo de pesquisa e programa de extensão CASA ABERTA. Doutora com a tese intitulada "Marcas deles em mim: memória, música e formação do ator" pela UFMG (2012) sob orientação de Antônio Hidebrando. Em 2014 realizou pós-doutorado na Università degli Studi di Messina, Itália, com pesquisa na área de saúde do artista cênico intitulada "Caminhos da Medicina da Arte: Diálogos entre Itália e Brasil". Em 2020 está em curso o pós-doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais na área de Literatura com pesquisa intitulada "Os afetos musicais, a individuação e as contas de lágrimas que colhemos pelo caminho" sob supervisão de Marcos Alexandre. Possui bacharelado em Interpretação Teatral pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005) e em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2004). Mestrado em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007) com dissertação intitulada: "Para aprender à observar: em busca de uma atuação polifônica". É professora da Universidade Federal de São João Del-Rei atuando nas áreas de Interpretação, Voz e Musicalidade. Foi sub-chefe do Departamento de Artes da Cena da UFSJ em 2018 e chefe do Departamento de Letras, Artes e Cultura da UFSJ entre 2015 e 2017. Atua como líder do grupo de pesquisa registrado no CNPq CASA ABERTA: Memória, Música e Formação do Ator com trabalhos desenvolvidos nas áreas "treinamento vocal do ator", "teatro musical brasileiro" e "voz e tradição". Já realizou residências artísticas na Itália, República Tcheca, Estados Unidos, e Rússia. Organizadora do I, II, III, IV e V Seminário Internacional CASA ABERTA, da I, II e III Missão de divulgação de pesquisas do CASA ABERTA no Exterior e incentivadora dos processos de internacionalização e da interdisciplinaridade dentro da instituição de ensino superior onde atua. Entre os trabalhos de maior destaque temos os livros publicados: Pequeno Mapa de Encontros e Afetos (2015), Marcas deles em Mim: Memória, Música e Formação do Ator (2015), Pequeno Mapa de Encontros e Afetos ? Vol 2 (2020) e Insubmissa: Escritas para o fim de um mundo (2020). Entre os artigos mais relevantes produzidos destacam-se os artigos Voz e presença: a utilização dos arquétipos sonoros no trabalho do ator (2017); Caminhos da escuta: presença sonora e escuridão (2017) e A construção da paisagem mental em Motriz: a hipótese de um teatro hipnótico (2017). Entre os espetáculos produzidos em seu grupo de pesquisa destacam-se Motriz (2016) com circulação expresiva dentro e fora do Brasil; além de Quintal e Olhos d´água construídos em diálogo com a obra de Conceição Evaristo. 

Marcos Machado Chaves, Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD, Dourados/MS, Brasil

Professor Adjunto da Universidade Federal da Grande Dourados - área de Música e Cena. Em 2021 fez Pós-Doutorado e foi Professor Colaborador Assistente do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPG-CEN) da Universidade de Brasília. Doutor em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2016); Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011); Especialista em Encenação Teatral pela Universidade Regional de Blumenau (2009) e graduado em Música - Licenciatura pela Universidade Federal de Pelotas (2006). Artista (Markus Chaves) com registro profissional (DRT) nas funções de ator, diretor, sonoplasta, operador e técnico de som; atualmente divulga seu solo Fulaninho (2018) e atua na douradense Cia. Última Hora. É integrante do comitê científico da Società Italiana per l'Educazione Musicale (SIEM) - seção de Macerata. Integra os seguintes grupos de pesquisa: e-caos - Estudos Contemporâneos e Artísticos em Observações Socioculturais (CNPq); Atuar em Arte, Vida e Sociedade (CNPq); Vocalidade & Cena (CNPq). Participa da Rede Voz e Cena. Em 2019 atuou no Casulo Espaço de Cultura e Arte com Graciela Chamorro, onde elaboraram experimentações vocais e musicais a partir de influências indígenas Terena, Guarani e Kaiowá em um Laboratório de Voz, com participação do Grupo Veraju. Foi coordenador do curso de graduação em Artes Cênicas da UFGD na gestão 2015, e do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Teatro: Poéticas e Educação (2014-2016). Marcos tem experiência na área de Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro, música, educação musical, preparação musical e vocal para artistas da cena, trilha sonora e música de cena. 

Thales Branche, Universidade Federal do Acre - UFAC, Rio Branco/AC, Brasil

Artista multidisciplinar, professor e pesquisador em artes da cena. Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Pará (2008), mestrado e doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA (2012 e 2017), com estágio sanduíche na Universidade de Paris X Ouest Nanterre La Défense (2015-2016). Tem experiência artística nas linguagens do teatro, da música, da dança e da performance, tendo participado de mais de 50 espetáculos, apresentando-se em espaços convencionais e não-convencionais. Também possui experiência de participação como brincante em espetáculos da cultura popular, tais como cordões de bicho, pássaro junino, boi de máscaras, cavalo marinho e marujada. Desde 2020 está vinculado ao Centro Artístico Internacional Roy Hart (Maléargues - França) em vias de aquisição da certificação de professor de voz, sob a mentoria de Linda Wise e Enrique Pardo, co-diretores do Panthéâtre ACTS (Paris-França). Atualmente reside em Belém do Pará, onde atua como professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto de Ciências da Arte na Escola de Teatro e Dança da UFPA e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Artes da UFPA. Atua remotamente como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFAC. Trabalha como ator, músico, diretor teatral, diretor musical e preparador vocal. Tem experiência na pesquisa em artes com ênfase em Processos de Criação, Etnocenologia e Performance Vocal.

Vinícius Assunção Albricker, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Rio de Janeiro/RJ, Brasil

Professor do Departamento de Interpretação da Escola de Teatro da UNIRIO. Doutor em Artes pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, sob a orientação do Prof. Dr. Ernani de Castro Maletta, com a defesa da tese Variações Rítmicas Vivas na Atuação Cênica, concluída em 2019. Realizou Mestrado em Artes no mesmo Programa de Pós-Graduação e sob mesma orientação, com pesquisa sobre a fala cênica nas perspectivas de Konstantin Stanislávski e Declan Donnellan, concluída em 2014. Bacharel em Interpretação Teatral com Formação Complementar Superior em Música pela UFMG (2011). Leciona na Escola de Teatro da UNIRIO desde 2017, sendo responsável por disciplinas de atuação cênica, voz e musicalidade. Desde 2020, lidera o Laboratório de Estudos Vocais, Cênicos e Musicais (LEV), grupo de pesquisa certificado pelo CNPq. Coordena o "Estúdio Fisções: princípios e práticas para a atuação cênica viva", projeto de pesquisa abrigado no LEV, junto com o Prof. Dr. Marcus Fritsch. É também pesquisador colaborador do LiberaVox - Grupo de Pesquisa sobre a Vocalidade e a Musicalidade da Polifonia Cênica, liderado pelo Prof. Dr. Ernani de Castro Maletta (UFMG). Em 2021, ocupou o cargo de Coordenador de Cultura da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROExC) da UNIRIO. Foi professor substituto do Curso de Graduação em Teatro do Departamento de Letras, Artes e Cultura da Universidade Federal de São João Del Rei, na área de Jogos Teatrais, Improvisação e Interpretação, de 2015 a 2016. Além das atividades de docência, pesquisa, extensão e gestão, atua profissionalmente como diretor, ator e músico, principalmente nas seguintes áreas: direção de ator, atuação, composição de trilha sonora e sonoplastia, direção vocal e direção musical.

Wania Mara Agostini Storolli, Universidade Estadual Paulista - UNESP, São Paulo/SP, Brasil

Pesquisadora na área da voz e performance, professora assistente doutora da UNESP, onde atua nos cursos de graduação em Artes Cênicas do Departamento de Artes e no Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Artes. Pós-doutora em Música pela USP (2013) e pesquisadora visitante na New York University em 2012, com pesquisa financiada pela FAPESP. Finalizou o Doutorado em Música pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2009), com a tese Movimento, Respiração e Canto: a performance do corpo na criação musical, pesquisa realizada com apoio da FAPESP. Possui Mestrado em Musicologia (2004), Bacharelado em Piano (1989) e Licenciatura em Educação Artística com Habilitação em Música (1986), pela Escola de Comunicações e Artes da USP e Especialização em Rítmica, Improvisação e Movimento pela Hochschule der Künste de Berlin, Alemanha. Dedica-se ao desenvolvimento de estratégias de criação artística, pesquisando as relações entre voz e performance. Desenvolveu a prática Movimento, Respiração e Canto a partir da integração da Respiração Vivenciada de Ilse Middendorf e outras práticas corporais, um processo de experimentação que integra a pesquisa da voz e processos de criação musical que se orientam a partir da relação corpo - voz. Líder do grupo de pesquisa Vozes Performáticas (CNPq), coordena desde 2012 o grupo L.I.V.E. - Laboratório de Improvisação Vocal e Experimentação, junto ao qual tem desenvolvido performances e intervenções sonoras fundamentadas na investigação dos recursos vocais. Tem experiência como docente e pesquisadora na área de Música e Performance Studies, com ênfase nos processos de criação vocal, atuando principalmente nos seguintes temas: canto, movimento, Respiração Vivenciada, expressão vocal, consciência corporal, cognição e corpo, teorias de performance e performatividade da voz. 

Referências

v. 03, n.º 01: Dossiê Temático "Abrindo Vozes e Musicalidades" - Voz e Cena (jan-jun/2022)

Downloads

Publicado

27-06-2022

Como Citar

Drummond, J. A. M. ., Chaves, M. M., Mendonça, T. B. P. de, Albricker, V. A., & Storolli, W. M. A. (2022). Editorial / Dossiê Temático. Voz E Cena, 3(01), 07–08. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/vozecena/article/view/43689

Edição

Seção

Editorial / Apresentação

Categorias

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.