RACISMO E INJÚRIA RACIAL: MUDANÇA JURISPRUDENCIAL NO CASO HERALDO PEREIRA

Autores

Palavras-chave:

Racismo, Injúria Racial, Poder Judiciário, Branquidade, Heraldo Pereira

Resumo

O artigo analisa o tratamento jurídico dos crimes de racismo e injúria racial à luz do caso Paulo Henrique Amorim vs. Heraldo Pereira. Esse precedente fixou o entendimento de que o rol da Lei do Crime de Racismo (7.716/89) não é taxativo e abarca a injúria racial, tornando-a imprescritível e inafiançável. Com o uso da dogmática penal, da crítica ao racismo e dos estudos da branquidade, objetivou-se compreender os avanços e os limites da sentença. A metodologia utilizada foi a análise de conteúdo dos discursos dos magistrados, atentando-se, especialmente, aos efeitos do silêncio e à relativização do racismo. A pesquisa verificou que, a despeito da melhora jurisprudencial, o caso corrobora uma realidade precária de proteção da população negra por parte do poder judiciário. Particularmente no âmbito da tutela penal, a decisão reforça a ideia do delito de racismo sem crime e criminoso. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Queiroz, Instituto Brasiliense de Direito Público e Universidade de Brasília

Professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). Doutorando em Direito pela Universidade de Brasília, com sanduíche na Universidad Nacional de Colombia (Programa Abdias Nascimento - CAPES). Mestre em Direito pela UnB (2017). Coordenador do Peabiru ”“ Grupo de Estudos em História e Constitucionalismo da América Latina (IDP). Autor do livro Constitucionalismo Brasileiro e o Atlântico Negro: a experiência constituinte de 1823 diante da Revolução Haitiana (Menção Honrosa Prêmio Thomas Skidmore - 2018).

Rebeca da Silva Costa, Instituto Brasiliense de Direito Público, IDP, Brasil.

Bacharel em Direito pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (2020).

Luciana Silva Garcia, Instituto Brasiliense de Direito Público, IDP, Brasil.

É graduada em Direito pela Universidade Federal da Bahia (1999) e mestra em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2005). Possui também Especialização em Direitos Humanos e Processos de Democratização da Universidade do Chile (2010). É Doutora em Direito pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Brasília (UnB) na área de Direito, Estado e Constituição. Estágio pós-doutoral pela UnB e Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO). É professora do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), da graduação em Direito, membro do corpo permanente do mestrado profissional em Administração Pública e colaboradora do mestrado e doutorado acadêmicos em Direto. É líder do grupo de pesquisa Democracia e Acesso à Justiça. 

Referências

Livros e artigos

AMORIM, Paulo Henrique. Conversa Afiada. Será o Ministro Barroso operário padrão da Globo?. 11/06/2018. Disponível em: https://www.conversaafiada.com.br/brasil/sera-o-ministro-barroso-operario-padrao-da-globo-. Acesso em: 24 jul. 2020.

ÁVILA, Thiago André Pierobom. Análise da evolução da jurisprudência do TJDFT sobre os crimes raciais. ÁVILA, Thiago André Pierobom (Coord.). Acusações de racismo na capital da República: obra comemorativa dos 10 anos do Núcleo de Enfrentamento à Discriminação do MPDFT. Brasília: MPDFT, Procuradoria Geral de Justiça, 2017.

ÁVILA, Thiago André Pierobom, ARAUJO, Kassia Sinato Santos Machado. Perfil dos casos de racismo no Distrito Federal: uma pesquisa documental. In: ÁVILA, Thiago André Pierobom (Coord.). Acusações de racismo na capital da República: obra comemorativa dos 10 anos do Núcleo de Enfrentamento à Discriminação do MPDFT. Brasília: MPDFT, Procuradoria Geral de Justiça, 2017.

DIAS, Gleidson Renato Martins. Justificando. A hermenêutica jurídica da branquitude a serviço das fraudes nas cotas raciais. 21/02/2017. Disponível em: http://www.justificando.com/2017/02/21/hermeneutica-juridica-da-branquitude-servico-das-fraudes-nas-cotas-raciais/. Acesso em: 27 jun. 2020.

DUARTE, Evandro C. Piza. Do medo da diferença à igualdade como liberdade: as ações afirmativas para negros no ensino superior e os procedimentos de identificação de seus beneficiários. Tese de doutorado no curso de pós-graduação em Direito da Universidade de Brasília, 2011.

DUARTE, Evandro Piza, CARVALHO NETO, Menelick, SCOTTI, Guilherme. Ruy Barbosa e a Queima dos Arquivos: as lutas pela memória da escravidão e os discursos dos juristas. Universitas Jus, v. 26, n. 2, p. 23-39, 2015.

DUARTE, Evandro Piza, FREITAS, Felipe da Silva. Corpos Negros Sob a Perseguição do Estado: política de drogas, racismo e direitos humanos no Brasil. Revista Direito Público ”“ IDP, v. 16, n. 89, 2019.

DUARTE, Evandro Piza, SCOTTI, Guilherme. História e memória nacional no discurso jurídico: o julgamento da ADPF 186. Universitas Jus, v. 24, n. 3, p. 33-45, 2013.

FRANKENBERG, Ruth. A miragem de uma branquidade não-marcada. In: WARE, Vron. (org). Branquitude: Identidade branca e multiculturalismo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004

LAFER, Celso. A Internacionalização dos Direito Humanos: Constituição, Racismo e Relações Internacionais. Barueri - SP: Manole, 2005.

MEDEIROS, Carlos Alberto. Na Lei e na Raça: Legislação e relações raciais, Brasil-Estados Unidos. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2004.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Perspectiva, 2017.

NASCIMENTO, Guilherme Martins, DUARTE, Evandro Piza, QUEIROZ, Marcos. O silêncio dos juristas: a imunidade tributária sobre templo de qualquer culto e as religiões de matriz africana à luz da Constituição de 1988. Quaestio Iuris, v. 10, n. 2, p. 1162-1180, 2017.

NUCCI, Guilherme de Souza. Código Penal Comentado. 14ª ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

________. Manual de Processo Penal e Execução Penal. 11. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014.

PIRES, Thula Rafaela de Oliveira. Criminalização do Racismo: entre política de reconhecimento e meio de legitimação do controle social dos não reconhecidos. Tese (Doutorado) - Curso de Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

QUEIROZ, Marcos. “Traídos pela bola”: futebol e racismo em tempos de falência do mito da democracia racial. In: FLAUZINA, Ana Luiza Pinheiro; PIRES, Thula Rafaela de Oliveira (Orgs.). Rebelião. Brasília: Brado Negro, Nirema, 2020.

VENTURINI, Lilian. Nexo Jornal. Qual o perfil dos juízes brasileiros, segundo este estudo. 15/02/2019. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/15/Qual-o-perfil-dos-ju%C3%ADzes-brasileiros-segundo-este-estudo. Acesso em: 22 jun. 2020.

Decisões judiciais

STF, 1ª T, ARE 983.531, julg. 16/03/2017, DJe 21/03/2017.

STF, 1ª T, ED ARE 983.531, julg. 25/05/2018, DJe 04/06/2018.

STF, MC RHC 137.367 DF, Relator Min. Roberto Barroso, julg. 10/11/2016, DJe 14/11/2016.

STF, RHC 137.367 DF, Relator Min. Roberto Barroso, julg. 30/04/2019, DJe, 03/05/2019.

STJ, ARESP nº 686.965 - DF (2015/0082290-3), Relator Min. Ericson Maranho (desembargador convocado do TJ/SP), julg. 12/05/2015, DJe 18/06/2015.

TJDFT, 3ª T Criminal, 2010.01.1.117388-3 APR, Acórdão 689.122, julg. 20/06/2013, DJe 03/07/2013.

TJDFT, 5ª Vara Criminal de Brasília, AP 2010.01.1.117388-3, julg. 24/08/2012.

TJDFT, Câmara Criminal, 2010.01.1.117388-3 EIR - 0041864-97.2010.807.0001 (Res.65 - CNJ), julg. 12/05/2014, DJe 30/05/2014.

Revista Direito.UnB |Maio - Agosto, 2021, V. 05, N. 2

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

QUEIROZ, Marcos; DA SILVA COSTA, Rebeca; SILVA GARCIA, Luciana. RACISMO E INJÚRIA RACIAL: MUDANÇA JURISPRUDENCIAL NO CASO HERALDO PEREIRA. Direito.UnB - Revista de Direito da Universidade de Brasília, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 47–74, 2021. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/revistadedireitounb/article/view/36111. Acesso em: 16 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.