Esquizografias turísticas e Cartografia dos Saberes

Reflexões epistemológico-teóricas sobre pesquisa e ecossistemas turísticos

Autores

  • Renan de Lima da Silva Universidade de Caxias do Sul
  • Maria Luiza Cardinale Baptista Universidade De Caxias do Su l- UCS

DOI:

https://doi.org/10.26512/revcenario.v10i1.40824

Palavras-chave:

Esquizografia Turística, Esquizoanálise, Cartografia dos Saberes, Ecossistemas Turísticos

Resumo

O presente artigo tem caráter ensaístico e apresenta o contraponto entre esquizografias turísticas e a Cartografia dos Saberes. Trata-se de apresentar a proposição esquizografias turísticas, como ecossistemas turísticos que se inscrevem. O referencial teórico envolve uma apresentação da Esquizoanálise, a partir de Guattari e Deleuze (2004), o conceito de ecossistemas turísticos comunicacionais autopoieticos, proposto por Baptista (2020b), e a aproximação com a Cartografia de Saberes (Baptista, 2014, 2020, 2020a), para pensar uma proposição de esquizografias turísticas como escrita cartográfica do avesso do turismo, a partir de Deleuze (2005) e Baptista (2020a). Esta proposição significa, a sinalização de possibilidades de construção de pontes entre linhas abissais, tratadas em dinâmicas relacionais emergentes, como dito por Santos (2010). Acredita-se que a proposição Esquizografias turísticas, a partir da estratégia metodológica Cartografia dos Saberes, permite leituras mais complexas dos ecossistemas turísticos, considerando os diversos sujeitos envolvidos e a trama ecossistêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Luiza Cardinale Baptista, Universidade De Caxias do Su l- UCS

Doutora em Ciências da Comunicação, pela ECA/USP. Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Coordenadora do Amorcomtur! Grupo de Estudos e Produção em Comunicação, Turismo, Amorosidade e Autopoiese (CNPq-UCS).

Referências

Baptista, M. L. C. (2004). Comunicação Amorosidade e Autopoiese.. In: XXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação/NP -Teorias da Comunicação - Da Epistemologia (Mesa Redonda). Participação como Apresentadora e Expositora., 2004, Porto Alegre.

Baptista, M. L. C. (2013). Desterritorialização Desejante em Turismo e Comunicação: Traços Especulares e de Autopoiese Inscriacional. In: XIV CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO DA REGIÃO SUL, 2013, Santa Cruz do Sul. Intercom. Santa Cruz do Sul: Intercom/UNISC.

Baptista, M. L. C. (20214). Cartografia de Saberes na Pesquisa em Turismo: Proposições Metodológicas para uma Ciência em Mutação. Rosa dos Ventos, v. 6, p. 342-355.

Baptista, M. L. C. (2020). -Amar la trama más que el desenlace!-: Reflexões sobre as proposições Trama Ecossistêmica da Ciência, Cartografia dos Saberes e Matrizes Rizomáticas, na pesquisa em Turismo. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 8, p. 41-64, 2020.

Baptista, M. L. C. (2020a). ‘Stamos em Pleno Mar’! Reflexões sobre tempos de pandemia Covid-19, considerando a trama de ecossistemas turístico-comunicacionais-subjetivos. Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território, v. 8, n. 15, p. 7-22.

Baptista, M. L. C. (2020b).O Avesso do Turismo como proposição de Sinalizadores para o Futuro. Reflexões ecossistêmicas sobre entrelaçamentos e processualidades do avesso das desterritorializações turísticas em seus saberes e fazeres. Anais do Seminário Anual da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, São Paulo, SP, Brasil.

Capra, F. (1991). O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix.

Capra, F. (1997). A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix.

Crema, R. (1989). Introdução à Visão Holística. Breve Relato de Viagem do Velho ao Novo Paradigma. São Paulo: Summus.

Deleuze, G. (2005). Foucault. São Paulo: Brasiliense.

Deleuze, G. & Guattari, F. (2004). O anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia (1972). Lisboa: Assírio & Alvim.

Ellia, L. (2004). O conceito de sujeito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Gastal, S. (2020). Turismo em tempos de COVID-19: Perguntas fortes, respostas fracas. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo e Território, v. 8, n. 14, p. 101-109.

Guattari, F., & Rolnik, S. (1996). Micropolítica: Cartografias do Desejo. Ed. Vozes: Petrópolis.

Morin, E. (2020). hora de mudarmos de via as lições do coronavírus. São Paulo: Bertrand.Rolnik, S. (2000) Esquizoanálise e antropofagia. Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Editora, v. 34, p. 451-462.

Santos, B. S. & Paula, M. M. (2014). Epistemologias do sul. Cortez Editora.

Santos, B. S. (1988). Um discurso sobre as ciências na transição para uma ciência pós-moderna. Estudos avançados, 2(2), 46-71.

Santos, B. S. (2010) Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In Santos, B. S. & Paula, M. M. (Orgs). Epistemologias do sul. Cortez Editora.

Yázigi, E. (2001). A Alma do Lugar. São Paulo: Contexto.

Downloads

Publicado

2022-04-08

Como Citar

de Lima da Silva, R., & Cardinale Baptista, M. L. (2022). Esquizografias turísticas e Cartografia dos Saberes: Reflexões epistemológico-teóricas sobre pesquisa e ecossistemas turísticos. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 10(1), 45–56. https://doi.org/10.26512/revcenario.v10i1.40824