Museu e Memória: Corpos Teratológicos na Literatura Luso-Brasileira

Autores

  • Manuel J. Gandra IADE-Creative University
  • Loryel Rocha Instituto Mukharajj Brasilan
  • Jussara Rocha Ferreira Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Teratologias. Monstros. Aprendizagem em Museus. Iconografia. Literatura Luso-brasileira.

Resumo

No presente trabalho são analisados, do ponto de vista anatômico e simbólico, os corpos com morfologias extraordinárias, teratológicos, hibridismos, deformidades registradas num vasto conjunto de literaturas correspondente a Portugal e Brasil. Tal abrangência concita a proporcionar uma visão contextual e diacrônica sobre as teratologias, começando por distinguir entre teratologias reais e imaginárias e por salientar as influências exercidas nas relações psicossomáticas convertendo-se em autênticas categorias da mentalidade ocidental. O estudo permite não só reconhecer o valor destas criaturas como alegorias morais, mas, também perceber a sua função didática na aprendizagem em museus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuel J. Gandra, IADE-Creative University

Professor Especialista em Belas Artes, Msc., IADE-Creative University, Lisboa-Portugal.

Loryel Rocha, Instituto Mukharajj Brasilan

Presidente do Instituto Mukharajj Brasilan, Rio de Janeiro-Brasil.

Jussara Rocha Ferreira, Universidade de Brasília

Professora doutora, Adjunta da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília e Coordenadora do Museu de Anatomia Humana.

Referências

AGOSTINHO, S.. A cidade de Deus, 3v. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993-1996, Livro 16, cap. 8.
BATES, A. W. Emblematic Monsters: Unnatural Conceptions and Deformed Births in Early Modern Europe. Amsterdam, Nova York. Rodopi,
2005. p. 83-84.
CESARINI, M. Horta de Literatura de Cordel, Lisboa: Assirio e Alvim, 1983. p. 163-256.
CAZELLI, S.; MORANDINO, M,. STUDART, D. C. Educação e Comunicação Em Museus de Ciência: aspectos históricos, pesquisa e prática. In.: Educação e Museu: A Construção Social do Caráter Educativo Dos Museus de Ciência/ Guaracira Gouvêa, Martha Morandino, Maria Cristina Leal [Orgs.] ”“ Access, Rio de Janeiro, 2003. p. 83-106.
COSTA, P. F. Livros sobre monstros e prodígios. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Disponível em: http://www.fcsh.unl.pt/chc/pdfs/nature3.pdf. Acesso em 17 fev. 2015.
FERNANDES, S. L. C. Ser Humano: um ensaio em antropologia filosófica. Rio de Janeiro: Edições Mukharajj, 2005. 358 p.
FIGUIER, L. L’Alchimie et les alchimistes; essai historique et critique sur la Philosophie
Hermétique 2e. ed. rev. et augm. Paris: Lib. de L. Hachette et ce., 1856, p.67.
SAINT-HILAIRE, G. É. Philosophie anatomique: des monstruosités humaines. Paris: Imprimerie de Rignoux, 1822. p. 104.
SAINT-HILAIRE, G. Í. Traité de Tératologie. Paris: J.-B. Baillière, 1832-1836. p.118.
NOVAES, A. (Org.). O homem-máquina: a ciência manipula o corpo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003. p. 118
PARÉ, A. [1573]. Des monstres et des prodiges. Gené€ve: Librairie Droz, 1971. 117 p.
WILBER, K. A união da alma e dos sentidos. São Paulo: Cultrix, 2007. p. 13.

Downloads

Publicado

2015-10-08

Como Citar

GANDRA, M. J.; ROCHA, L.; FERREIRA, J. R. Museu e Memória: Corpos Teratológicos na Literatura Luso-Brasileira. Participação, [S. l.], n. 27, p. 07–17, 2015. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/participacao/article/view/22258. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos de desenvolvimento teórico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)