PROJETO DE EXTENSÃO LIVROS ABERTOS: APRENDIZAGEM TRANSFORMADORA

Autores

  • Ana Paula Moraes
  • Raphaella Caldas
  • Eileen Pfeiffer Flores

Resumo

Este relato de experiência tem como contexto o Projeto de Extensão Livros Abertos: Aqui todos contam, da Universidade de Brasília. Destaca-se a promoção do direito à leitura e à literatura, por meio da prática de rodas de leitura dialógica. Em seguida, a partir do referencial teórico de aprendizagem transformadora de Jack Mezirow, discute-se como a participação no projeto tem levado mudanças nas concepções e práticas de estudantes universitários, principalmente naquelas relacionadas aos conceitos de infância e de literatura infanto-juvenil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbosa, V. & Sirota, R. (2016). Os livros para crianças, manuais de civilidade contemporâneos entre formal e informal? Um exemplo: a criança negra na literatura infanto-juvenil no Brasil. Revista Eletrônica de Educação, 10(3), 369-382. doi: 10.14244/198271991926
Beers, K. (2009). The genteel unteaching of America’s poor. National Council of Teachers of English, 1-4. Recuperado em https://goo.gl/8cJXtP
Caldin, F. C. (2003). A função social da leitura da literatura infantil. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação. 15(1), 1-13. Recuperado em https://goo.gl/Cce6wy
CONANDA. Presidência da República/ Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Convenção sobre os Direitos da Criança. Brasília, 2004.
Failla, Z. (2016). Retratos da leitura no Brasil. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.
Flores, E. P., Pires, L. F., & Souza, C. B. A. D. (2014). Dialogic reading of a novel for children: effects on text comprehension. Paidéia (Ribeirão Preto), 24(58), 243-252.
Flores, E. P., Yamada, B. L., Loyola de Souza, V. G., & Dias, A. D. R. (2017). Mediadores de leitura no hospital pediátrico: relatos de sua prática. Revista Produção e Desenvolvimento, 3(2), 21-37.
Freire, P. (2011). Alfabetização: leitura o mundo, leitura da palavra. Rio de janeiro: Paz e Terra.
Freire, P. (2017). A importância o ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez.
Lima, M. E. D. S. (2018). O feedback educacional e a aprendizagem da leitura e interpretação de textos. (Trabalho de Conclusão de Curso). Recuperado em https://goo.gl/HofLgi
Linden, S.Van der (2008). Para ler o livro ilustrado (D. de Bruchard, Trad.). São Paulo: Cosac Naify.
LIVROS ABERTOS: AQUI TODOS CONTAM (2018). [Blog]. Disponível em: http://www.livrosabertosaquitodoscontam.blogspot [Acessado em 12 de julho de 2018].
Machado, A. P. G. (2018). Variação linguística e leitura: fenômenos variáveis da fala na leitura em voz alta. A Cor das Letras, 19(4), 196-218. doi: 10.13102/cl.v19i4 Especial.2867
Medeiros, F. H. & Flores, E.P.. (2016). Compreensão de contos após leitura dialógica com perguntas baseadas em dimensões temáticas da narrativa. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 32(spe), 1-10. doi: 10.1590/0102-3772e32ne26
Mezirow, J. 1996. Contemporary paradigms of learning. Adult Education Quarterly, 46(3), 158”“172. doi: 10.1177/074171369604600303
Mezirow, J. (2003). Transformative Learning as discourse. Journal of Transformative Education, 1(1), 58-63. doi: 10.1177/1541344603252172
Miranda, C. R. & Corsino, T. A. (2018). O uso da literatura como ferramenta pedagógica para o estímulo da leitura dos estudantes. Revista de Pós-graduação Multidisciplinar, 1(3), 9-21, Recuperado em https://goo.gl/NJkxnx
Moraes, O., Hanning, R. & Paraguassu, M. (2012). Traço e Prosa: Entrevistas com ilustradores de livros infantojuvenis. São Paulo: Cosac Naify.
Petit, M. (2013). Leituras: do espaço íntimo ao espaço público. São Paulo: Editora 34.
Powers, A. (2008). Era uma vez uma capa (O. Nunes, Trad.). São Paulo: Cosac Naify.
PROMUNDO. Práticas familiares e participação infantil a partir da visão de crianças e adultos: um estudo exploratório na América Latina e no Caribe. Brasília: 2008. Recuperado em https://goo.gl/BzZNNZ.
Revista Livros Abertos. Acessada 12 de julho de 2018 de https://www.revistalivrosabertos.org.
Rogoski, B. N., Flores, E. P., Gauche, G., Coêlho, R. F. & Souza, C. B. A. (2015). Compreensão após leitura dialógica: efeitos de dicas, sondas e reforçamento diferencial baseados em funções narrativas. Revista Perspectivas, 6(1), 048-059. doi: 18761/pac.2015.6.1.a04
Scholl, M. & Lima, S. L. (2018). A leitura digital no contexto escolar: desafios e possibilidades. Revista Thema, 15(1), 269-281. doi: 10.15536/thema.15.2018.269-281.735
Silva, A. J. G. (2017). Livro infantil: ilustrando uma história. (Trabalho de Conclusão de Curso). Recuperado em https://goo.gl/DWRJhH
Souza, S. A. G. P. de. A declaração dos direitos da criança e a convenção sobre os direitos da criança. Direitos humanos a proteger em um mundo em guerra. Jus Navigandi, Teresina, ano 7, n. 53, 1 jan. 2002. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2010.
Souza, A. N. D. (2018). Leitura e prática pedagógica no ensino médio integrado: contribuições da clínica da atividade. (Tese de doutorado em Educação). Recuperado em https://goo.gl/tMZDvA
Souza, V. G. L., Queiroz, L. R. & Flores, E. P. (2017). Leitura dialógica adaptada para uma criança com Transtorno do Espectro Autista: um estudo preliminar. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, 17(1), 87-99. doi: 10.5935/cadernosdisturbios.v17n1p87-99
Towson, J. A., Fettig, A., Fleury, V. P., & Abarca, D. L. (2017). Dialogic Reading in Early Childhood Settings: A Summary of the Evidence Base. Topics in Early Childhood Special Education, 37(3), 132-146. doi: 10.1177/0271121417724875

Downloads

Publicado

2020-05-07

Como Citar

MORAES, Ana Paula; CALDAS, Raphaella; FLORES, Eileen Pfeiffer. PROJETO DE EXTENSÃO LIVROS ABERTOS: APRENDIZAGEM TRANSFORMADORA. Participação, [S. l.], v. 1, n. 33, p. 11–24, 2020. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/participacao/article/view/22907. Acesso em: 12 jun. 2024.