Da fortaleza aos restos de cidade: uma breve incursão sobre o tema no campo da Arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n33.2022.22

Palavras-chave:

Fortaleza, Narrativa Urbana, Restos, Imagem da Cidade, Arte

Resumo

Este artigo tem como objetivo discorrer sobre o modo como a cidade pode ser lida por meio dos seus espaços obsoletos. Tendo como ponto de partida o caso representativo de Fortaleza, um polo turístico veiculado na mídia com seus edifícios de fachadas lisas e brilhantes da orla, recorre-se à sua contra-imagem, os recortes degradados e esquecidos da grande narrativa urbana. Fortaleza, então, como uma fortaleza de prédios que se ergue avessa à cidade e os restos como lacunas que resistem em permanecer na paisagem. O estudo prossegue em uma breve incursão sobre práticas artísticas que elucidam questões relativas à temática dos restos e o que eles podem nos contar, para ampliar o debate acerca do recorte específico de Fortaleza. Com base na análise da obra paradigmática de Gordon Matta-Clark e de trabalhos mais recentes de Ximena Garrido-Lecca e Lara Almarcegui, compreende-se que as questões enunciadas no campo da Arte são fundamentais para a retomada da categoria dos restos no debate sobre os processos em curso nas grandes metrópoles. Assim, a partir do estudo das brechas às cidades muro-fortalezas, suscitam-se novos campos de reflexão necessários à proposição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Lucas Costa Silva, Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Arquiteto e Urbanista pelo Departamento de Arquitetura, Urbanismo e Design da Universidade Federal do Ceará (DAUD-UFC). Atualmente é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) vinculado à Área de Concentração de Projeto, Espaço e Cultura.

Referências

ALMARCEGUI, Lara. Guia de Terrenos Baldios de São Paulo: uma seleção dos lugares vazios mais interessantes. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2006.

ARANTES, Otília; MARICATO, Ermínia; VAINER, Carlos. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. 8ª ed. Petrópolis: Vozes, 2013. 192 p.

ASSOCIAÇÃO CULTURAL VIDEOBRASIL. Catálogo da 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil. São Paulo: Edições SESC, 2019.

BELMINO, Sílvia. Sinta na pele esta magia: a propaganda turística do Ceará (1987-1994). Fortaleza: Imprensa Universitária UFC, 2018. 261 p.

BUENAVENTURA, Julia. Propriedades sem bens: dos lotes de Gordon Matta-Clark às manifestações de Félix González-Torres. 2014. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de São Paulo.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das letras, 1990. 150 p.

CASTELLS, Manuel. A Intervenção Administrativa nos Grandes Centros Urbanos. In: Espaço & Debates, n. 6, Revista de Estudos Regionais e Urbanos. São Paulo, Cortez, 1982.

DAVIS, Mike. Planeta favela. São Paulo: Boitempo, 2006. 272 p.

FERREIRA, Napoleão. O muro. Cidades muradas. In: 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE ARQUITETOS. Youtube. [S. l.], 25 nov. 2019. Disponível em: https://youtu.be/LklJA7haAy0. Acesso em: 20 mar. 2022.

FREUD, Sigmund. O Mal-estar na Civilização. 1ª ed. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2011. 96 p.

FRIEDMAN, Thomas L. O mundo é plano: o mundo globalizado no século XXI. 3ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. 477 p.

KOOLHAAS, Rem. Rem Koolhaas: três textos sobre a cidade. Espanha: Gustavo Gili, 2014. 111 p.

KOOLHAAS, Rem. Delirious New York: a retroactive manifesto for Manhattan. New York: Monacelli Press, 1994. 321 p.

LEE, Pamela M. Object to be destroyed: the work of Gordon Matta-Clark. Cambridge: The MIT Press, 2000. 280 p.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Trad. Doralice Barros e Sérgio Martins (do original: La production de l'espace. 4 éd. Paris: Éditions Anthropos, 2000).

NEGRI, Antonio. “Rem Koolhaas: Junkspace e metrópole biopolítica” inRadical philosophy, n.o 154 (2009). Disponível em: http://uninomade.net/tenda/rem-koolhaas-junkspace-e-metropole-biopolitica/. Acesso em: 20 mar. 2022.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Homens Lentos, Opacidades e Rugosidades. Revista Redobra, Salvador, n. 9, p.58-71, 2012.

SANTOS, Milton. A natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4a ed. São Paulo: EDUSP, 2006.

SMITHSON, Robert. Um passeio pelos monumentos de Passaic, Nova Jersey (1967). In: Arte & Ensaios, n. 17, PPGAV-EBA-UFRJ, 2008. p. 162-167.

SOLÀ-MORALES, Ignasi de. Terrain vague. In: SOLÀ-MORALES, Ignasi de. Territorios. Barcelona: Gustavo Gili, 2002. p. 181-193.

VÁZQUEZ, Fernando. Aproximações com a cidade [fictícia]: Gordon Matta-Clark. In: RUA, v. 25, n. 2, UNICAMP, 2019. p. 389-414. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/issue/view/1637. Acesso em: 21 jan. 2022.

VILLAÇA, Flávio. O espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel Editora, 1998.

Downloads

Publicado

28-12-2022

Como Citar

Costa Silva, F. L. (2022). Da fortaleza aos restos de cidade: uma breve incursão sobre o tema no campo da Arte. Paranoá, 15(33), 1–20. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n33.2022.22

Edição

Seção

Edição Temática Cidades em disputas: histórias, memórias, práticas do/no espaço

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.