Pressão política da mobilização “Fora Valencius”

protagonismo da luta antimanicomial brasileira

Autores

  • Beatriz Bastos Viana Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Leonardo Carnut Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgencia.v4i2.20219

Palavras-chave:

Saúde Mental, Políticas Públicas em Saúde, Organização Social, Estratégias, Ciência Política

Resumo

Em 2015, o rumo da Política de Saúde Mental se viu ameaçado e os movimentos sociais da luta antimanicomial protagonizaram a mobilização “Fora Valencius”. Assim, este estudo visou analisar as implicações que as estratégias de pressão política desenvolvidas pela mobilização trouxeram para fortalecer esta luta. Tratou-se de uma pesquisa do tipo qualitativa, utilizando-se a análise do discurso político para interpretação dos dados a partir de entrevistas com quatro militantes líderes desta luta. Segundo eles, as estratégias de maior pressão política foram a Ocupação, o Grupo de Alinhamento Político (GAP) e as manifestações de rua. A implicação trazida pelo “Fora Valencius” demonstrou que a aposta na apenas institucionalidade como caminho tradicional da esquerda não logrou o êxito esperado.

Referências

ALONSO, A. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Lua Nova, São Paulo, v. 76, p. 49-86, 2009.

AMARANTE, P; DIAZ, F. S. Os movimentos sociais na reforma psiquiátrica. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, Rio de Janeiro, v. 4, n, 8, p. 83-95, 2012.

AMARANTE, P.; TORRE, E. H. G. 30 anos da Reforma Psiquiátrica Brasileira: lutando por cidadania e democracia na transformação das políticas públicas e da sociedade brasileira. In: FONTES, B; FONTE, E. M. Desinstitucionalização, redes sociais e saúde mental: análise de experiências da reforma psiquiátrica em Angola, Brasil e Portugal. Recife: Editora Universitária UFPE, 2010, p. 113-135.

BOITO JÚNIOR, A. A crise política do neodesenvolvimentismo e a instabilidade da democracia. Crítica Marxista, Campinas - SP, n. 42, p. 155-162, 2016.

BONAVIDES, P. Os grupos de pressão e a tecnocracia. In: ___. Ciência política. 10a. Edição, São Paulo: Malheiros Editores, p. 557-608, 2000.

CAPPELLE, M.C.A; MELO, M.C.D.O.L.; GONÇALVES, C. A. Análise de conteúdo e análise de discurso nas ciências sociais. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 5, n. 1, 2011.

COURTINE, J. J. Um projeto para análise de discurso. In: Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos: EdUFSCar, p. 27-33. 2014

FLICK, U. Entrevistas. In: ____. Introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Editora Artmed: 3ª. Edição, 2009, p.143-166.

GALVÃO, A. Marxismo e movimentos sociais. Crítica marxista, v. 32, p. 107-126, 2011.

LANCETTI. A. Clínica Peripatética. Hucitec, São Paulo, 2006.

MAIA, R. C; M, FERNANDES, A. B. O movimento antimanicomial como agente discursivo na esfera pública política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v 17, n. 48, p.157-171, 2002.

MEDEIROS, L. G; SILVA, A. A. A Ocupação Valente e a luta contra os retrocessos na Reforma Psiquiátrica brasileira em tempos de golpe. In: Conversações transversais entre Psicologia política, social e institucional como planos dos direitos, educação e saúde. Curitiba: CRV, 2017.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde, v. 7, 2000.

SZTOMPKA, P. A sociologia da mudança social. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998, p. 463-502.

TOMAZ, C.S. A cidadania do louco: um debate necessário para a compreensão da direção teórico-política da Luta Antimanicomial. 2009, 201 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora ”“ MG.

THOREAU, H.D. A desobediência civil. São Paulo: Companhia da Letras, 2000.

Downloads

Publicado

31.07.2018

Como Citar

VIANA, Beatriz Bastos; CARNUT, Leonardo. Pressão política da mobilização “Fora Valencius”: protagonismo da luta antimanicomial brasileira. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 4, n. 2, p. 268–293, 2018. DOI: 10.26512/insurgencia.v4i2.20219. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/20219. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.