Nietzsche

Da Técnica da Memória à Técnica do Esquecimento?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v8i3.31233

Palavras-chave:

Nietzsche. Técnica. Memória. Esquecimento. Cultura

Resumo

As diversas técnicas de memória têm privilegiado a constituição de um aparato institucional. O projeto nietzschiano de transvaloração dos valores se impôs contra estas disposições da memória, para tanto, opera num movimento inverso, pela promoção de técnicas que privilegiem a dissolução da memória em esquecimento. De modo a enfraquecer o aparato moral institucional e fortalecer o projeto de valores que privilegiem a vida e suas disposições anímicas. Contudo, vigora neste projeto nietzschiano uma aporia: a de permanecer na esfera da afirmação da técnica. Se, por um lado, Nietzsche questiona todos os mecanismos técnicos, a saber àqueles relativos aos estabelecimentos de ensino por outro, ele não ultrapassa esta esfera, afirma a técnica através dos mecanismos do esquecimento, ao questionar as técnicas de memória. Em que medida os escritos de Nietzsche inspiram uma reflexão profícua para pensar a técnica e sua aplicação à memória?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Adilson Feiler, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Unisinos

Possui graduação em Filosofia pela Fundação Educacional de Brusque, FEBE (1998) e em Teologia pelas: Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, FAJE (reconhecimento eclesiástico, 2008) e Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUCPR (reconhecimento civil, 2009), mestrado em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS (2004) e doutorado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, tendo sido pesquisador visitante na Georgetown University. Realizou seu Pós-Doutorado na Pontifícia Universidade católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). É Professor no PPG de Filosofia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e atua nos seguintes temas: Nietzsche, Hegel, moral, consciência e Cristianismo. É membro da Conselho Acadêmico da Revista Studia Gilsoniana, do Comitê Científico da Manifesto Originalia: Revista de Ensaios Teológicos, Membro da equipe editorial da Revista Philosophy Study, membro do Conselho Editorial da Revista Intuitio e da London Journals Press, Membro afiliado da Grupo Internacional de Estudos: Filosofía Del Dolor, do Friedrich Nietzsche Society e do GT Nietzsche da ANPOF.

Referências

ASSMANN, Jan. Cultural Memory: Script, Recollection, and Political Identity in Early Civilizations. In: Historiography East & West, University of Heidelberg: Leiden, 2003, pp. 154-177.

CÃCERO, De Oratore.

CLARK, Maudemarie. Nietzsche’s imoralism and the concept of morality. In: Nietzsche, Genealogy, Morality. Essays On Nietzsche’s genealogy of morals. Edited by Richard Schacht. University of California Press: Berkeley, 1994, pp. 14-34.

COPLESTON, Federick. A history of philosophy. Vol VII. Modern Philosophy: From the Post-Kantian Idealists to Marx, Kierkegaard, and Nietzsche. Image Books Doubleday: New York, 1963.

COWAN, Michael. Nichts ist so sehr zeitgemäss als Willensschwäche. Nietzsche and the Psychology of the Will. In: NIETZSCHE-STUDIEN Internationales Jahrbuch für die Nietzsche-Forschung, Band 34, Walter de Gruyter, Berlin, 2005, pp. 48-74.

FINK. Eugen. Nietzsche’s philosophy. Translated by Goetz Richter. Athlone Contemporary European Thinkers. Continuum: London, 2003.

FRAGOSO, Myriam Xavier. Nietzsche e a Educação. In: Transformação, Marília, n. 01, 1974, pp. 277-293.

GIACÓIA, Oswaldo Jr. O último homem e a técnica moderna. In: Natureza Humana, v. 01, n. 01, São Paulo, jun. 1999.

HAASE, Ullrich Michael. Nietzsche’s critique of technology: a defence of phenomenology against modern machinery. In: Nietzsche, epistemology and philosophy of science. Nietzsche and science II, Edited by Babette Babich and Robert S. Cohen, Boston Studies in the Philosophy of Science, vol 204, Springer science + Business Media, BV, Boston, 1999.

KELLEY, Matthew. The Body of Ideas: Nietzsche, Embodiment, and the Genealogical Method. In: Georgia State University ScholarWorks @ Georgia State University. Georgia, Philosophy Theses, Department of Philosophy, 2019.

MULHALL, Stephen. The promising animal. In: Nietzsche’s on the genealogy of morality. A critical guide. Edited by Simon May. Cambridge University Press: Cambridge, 2011, pp. 234-264.

NIETZSCHE, F. W. Kritische Studienausgabe. Herausgegeben von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. Verlag de Gruyter: Berlin, 1999. 15 Bd.

_____. Nachgelassene fragmente. Herausgegeben von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. Walter de Gruyter: Berlin, 1999. 15 Bd.

_____. Briefwechsel: Kritische Gesamtausgabe Briefwechsel KGB. Herausgegeben von Georgio Colli und Mazzino Montinari. Walter de Gruyter: Berlin, 1981. Bd III1 und 1975. Bd I2.

_____. Além do bem e do mal. Prelúdio a uma filosofia do futuro. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

_____. Genealogia da Moral. Uma polêmica. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

_____. Escritos sobre Educação. Trad. Noéli Correia de Melo Sobrinho. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

_____. Escritos sobre história. Trad. Noéli Correia de Melo Sobrinho. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

OLIVEIRA, Jelson Robrto de. Nietzsche e o transhumanismo: e, torna da questão da autossuperação do homem. In: Kriterion, Belo Horizonte, n. 135, Dez./2016, p. 719-739.

RAMADOVIC, Petar. From Haunting to Trauma: Nietzsche's Active Forgetting and Blanchot's Writing of the Disaster. University of New Hampshire, 2001.

SCHACHAT, Richardt. Nietzsche: Human, All Too Human. In: Introductions to Nietzsche. Ed. by Robert Pippin. Cambridge: Cambridge University Press, 2012. pp. 91-111.

TURNER, Zeynep Talay. Nietzsche on memory and active forgetting. In: The European legacy. Toward new paradigms, International Society for the study of European Ideas, 2019, VOL. 24, NO. 1, 46”“58.

YATES, F. A. A arte da memória. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

Downloads

Publicado

2021-01-31

Como Citar

FEILER, A. Nietzsche: Da Técnica da Memória à Técnica do Esquecimento?. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 247–263, 2021. DOI: 10.26512/rfmc.v8i3.31233. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/31233. Acesso em: 1 ago. 2021.