Gênero, sacralidade e poder

o mito das origens dos incas na obra de Garcilaso de la Vega (1586)

Autores

  • Susane Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i08.20120

Palavras-chave:

Mito das origens. Incas. Gênero. Sacralidade. Poder.

Resumo

Este artigo apresenta uma análise dos conceitos de gênero que perpassam o mito das origens dos incas veiculado na obra do cronista mestiço Garcilaso de la Vega (1586). Na perspectiva dos estudos feministas e de gênero este artigo oferece uma desconstrução (historicização) do olhar cristão e androcêntrico de Garcilaso a respeito dos fundamentos político-religiosos do Tawantinsuyo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, Emanuel. O teatro dos vícios: transgressão e transigência na sociedade urbana colonial. 2ª ed., Rio de Janeiro: José Olympio, 1997.

BETANZOS, Juan de [1551]. Suma y Narración de los Incas. Madrid: Ediciones Atlas, 1987.

BARSTOW, Anne Llewellyn. Chacina de feiticeiras ”“ uma revisão histórica da caça à s bruxas na Europa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1995.

DELUMEAU, Jean. História do medo no Ocidente: 1300-1800, uma cidade sitiada. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

DRANSART, Penelope. Afinidad, descendencia y la política de las representaciones de gênero: ¿Quién fue la quya de Ataw Wallpa? In ARNOLD, Denise Y. (org.) Más allá del silencio: las fronteras de género en los Andes. Tomo I: Parentesco y género en los Andes. Bolívia: ILCA (Instituto de lengua y cultura aymara)/CISE, 1997.

FILHO, Daniel Aarão Reis. Conferência no ciclo Vozes do Pensamento Político Contemporâneo. http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/taqalerj.nsf/0/dae66161d2949e7083256ee6007ef218?OpenDocument Acessado em: mar. 2004.

FREITAS, Luiz Carlos Teixeira. Tahuantinsuyo: Estado Imperial Inca. http://www.luzcom.com.br/inca/livro/html/Indice.htm> Acessado em jun. 1997.

GARCILASO DE LA VEGA, Inca. Comentarios Reales de los Incas [1609]. Tomo I. Colección Autores Peruanos. Lima: Editorial Universo,1967.

_______. O Universo incaico. São Paulo: EDUC/Giordano/Loyola, 1992.

_______. Comentários Reales. In: Educar-Argentina, 1999. < Disponível em: http://www.educar-argentina.com.ar/GARCILASO/comentario01.htm> Acessado em: abr. 2003.

GEBRAN, Philomena. Um cronista do século XVI: Garcilaso de la Vega. In: ALMEIDA, Jaime de (org.). Caminhos da História da América no Brasil. Tendências e contornos de um campo historiográfico. Brasília: ANPHLAC, 1998, p. 27-32.

GUAMA POMA DE AYALA, Felipe [1613?]. Nueva coronica y buen gobierno. Caracas: Bibl. Ayacucho, 1980.

LIMA. Paolo. “Resulta aberrante hablar de Garcilaso como de un adelantado de la nacionalidad peruana”. Entrevista al poeta y crítico José A. Mazzotti. In: Ciberayllu, 2000. http://www.andes.missouri.edu/andes/Cronicas/pdl_mazzotti.html> Acessado em: mai. 2003.

MANGA QUISPE, Eusébio. Quinta creación andina, ?Pachakuteq? in: Ciberayllu, 2002. http://www.andes.missouri.edu/andes/Especiales/EMQQuinta/EMQ_Quinta2.html>

Acessado em fev. 2003.

MURÚA, Martín de [1590]. Historia del origen y genealogía real de los Reyes Incas del Perú. Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Instituto Santo Toribio de Mogrovejo, 1946.

NEVES, Luiz Felipe Baeta. O combate dos soldados de Cristo na Terra dos Papagaios: colonialismo e repressão cultural. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1978.

NOGUEIRA, Carlos Roberto Figueiredo. Bruxaria e História ”“ as práticas mágicas no ocidente cristão. São Paulo: Ática, 1991.

OLIVEIRA, Susane Rodrigues de. Diferentes e desiguais: os incas e suas práticas religiosas no olhar dos cronistas espanhóis do século XVI. Dissertação de mestrado. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Terra à vista. Discursos do Confronto: Velho e Novo Mundo. São Paulo: Unicamp, Cortez, 1990.

ROSTWOROWSKI, Maria de Diez Canseco. Historia del Tahuantinsuyu. 2ª ed., Lima: IEP, Promperú, 1999.

ROVIRA, José Carlos Rovira; MATAIX, Remédios. El Inca garcilaso de La Vega. Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, 2003. http://www.cervantesvirtual.com/bib_autor/garcilaso/index.shtml> Acessado em: mai. 2004.

PINTO, Laudiceia de Souza; INOUE, Mariléia, Franco Marinho. Garcilaso de la Vega: a vivência do conflito de identidade de um inca. http://achegas.net/numero/vinteedois/laudicea_e_marileia_22.htm> Acessado em: mar. 2004.

SILVERBLATT, Irene. Luna, Sol y Brujas ”“ Gênero y clases en los Andes prehispánicos y coloniales. Cusco: Centro de Estudios Regionales Andinos Bartolomé de Las Casas, 1990.

SPINK, Mary Jane P.; Medrado, benedito. Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In: SPINK, Mary Jane P. (org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. 2ª ed., São Paulo: Cortez, 2000, p. 41-62.

SWAIN, Tânia Navarro. “A construção imaginária da História e dos gêneros” in: ALMEIDA, Jaime de (org.). Caminhos da História da América no Brasil: Tendências e contornos de um campo historiográfico. Brasília: ANPHLAC, 1998.

TORRES, Moise Romanazzi. O Sentido Religioso da Noção Germânica de Império. Brathair, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, 2004.

Downloads

Publicado

2011-02-07

Como Citar

OLIVEIRA, S. Gênero, sacralidade e poder: o mito das origens dos incas na obra de Garcilaso de la Vega (1586). Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 08, 2011. DOI: 10.26512/emtempos.v0i08.20120. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/20120. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos