A Guerra de São Sebastião

reflexões sobre o messianismo-régio no movimento social do Contestado (1912-1916)

Autores

  • Eduardo Rizzatti Salomão Universidade de Brasília, Unb

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i15.20001

Palavras-chave:

Contestado. Milenarismo. Sincretismo religioso.

Resumo

Na região serrana de Santa Catarina, entre os anos de 1912 a 1916, eclodiu uma revolta popular batizada de Guerra do Contestado. Mas, para os milhares de caboclos que pegaram em armas, o conflito em curso era a “Guerra de São Sebastião”, cujo desfecho restauraria a “monarquia”, inaugurando uma época de felicidade e fartura. O presente artigo tem por objeto refletir sobre a transformação do mártir cristão São Sebastião num personagem com atributos inerentes aos conferidos aos reis do milenarismo cristão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSUNÇÃO, Herculano Teixeira de. A campanha do Contestado. 2 vols. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado, 1917 (vol.1) e 1918 (vol.2).

BERNARDET, Jean-Claude. Guerra no Contestado. São Paulo: Global editora, 1979.

BURKE, Peter. História e teoria social. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

_____ . “A Cavalaria no Novo Mundo” in: Variedades de história cultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

CABRAL, Oswaldo Rodrigues. João Maria: interpretação da Campanha do Contestado. São Paulo: Editora Nacional, 1960.

CASCUDO, Luiz da Câmara. Cinco livros do povo. Rio de Janeiro: Livraria e Editora José Olympio, 1953.

CERTEAU, Michel. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. São Paulo: Perspectiva, 2006.

ESPIG, Márcia Janete. A presença da gesta carolíngia no movimento do Contestado. Dissertação de mestrado em História, UFRGS/RS. Rio Grande do Sul, 1998.

_____ . São Sebastião, O “Rei da Glória” - O Santo do Contestado in: Revista Eletrônica de História do Brasil. Juiz de Fora: UFJF, v.2, n.2, jul./dez. 1998, 18-36 . 06/2008.

FACÓ, Rui. Cangaceiros e fanáticos: gênese e luta. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1963.

GALLO, Ivone Cecília D’Ávila. O Contestado: o sonho do milênio igualitário. Campinas: Editora Unicamp, 1999.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, /s.d./.

HERMANN, Jacqueline. “Dom Sebastião e a cidade do paraíso celeste: um estudo sobre o movimento da serra do rodeador, Pernambuco, primeira metade do século XIX” in: MUSUMECI, Leonarda. Antes do fim do mundo: milenarismos e messianismos no Brasil e na Argentina. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004.

LEITE, Antonio A. de Souza. “Memória sobre a Pedra Bonita ou Reino Encantado na Comarca de Villa Bella, província de Pernambuco” in: Revista do Instituto Arqueológico e Geográfico Pernambucano, Tomo XI, Recife, 1904.

LEMOS, Alfredo de Oliveira. A história dos fanáticos de Santa Catarina e parte de minha vida naqueles tempos ”“ 1913/1916. Passo Fundo: Gráfica e Editora Pe. Berthier, /s.d./.

MACHADO, Paulo Pinheiro. Lideranças do Contestado: a formação e atuação das chefias caboclas. Campinas: Editora Unicamp, 2004.

MOCELLIN, Renato. Os guerrilheiros do Contestado. São Paulo: Editora do Brasil, 1989.

MONTEIRO, Duglas Teixeira. Os errantes do novo século: um estudo sobre o surto milenarista do Contestado. São Paulo: Duas Cidades, 1974.

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL. Anais do Museu Histórico Nacional. Vol.VIII. Rio de Janeiro, 1947-1957.

PEIXOTO, Demerval (pseudônimo Clivelaro Marcial). Campanha do Contestado. 3 vols. Rio de Janeiro, 1916.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. La guerre Sainte au Brésil: le mouvement messianique du Contestado. Tese de doutorado, Ècole Pratique des Hautes Études, Universidade de Paris. Paris, 1955. Publicada no Boletim n° 187 da FFLCH-USP. São Paulo, 1957.

_____ . O messianismo no Brasil e no mundo. São Paulo: Alfa-Ômega, [1976] 2003.

_____ . O campesinato brasileiro. Ensaios sobre civilização e grupos rústicos no Brasil. Petrópolis: Editora Vozes, 1976.

_____ . “D. Sebastião no Brasil” in: Dossiê Canudos, n.20, 28-41. Dez.93-fev.94. <http://www.usp.br/revistausp/n20 /numero20.html>. 28/04/07.

VINHAS DE QUEIROZ, Maurício. Messianismo e conflito social: a guerra sertaneja do Contestado. São Paulo: Editora Ática, 1977.

Downloads

Publicado

2011-07-12

Como Citar

SALOMÃO, E. R. A Guerra de São Sebastião: reflexões sobre o messianismo-régio no movimento social do Contestado (1912-1916). Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 15, 2011. DOI: 10.26512/emtempos.v0i15.20001. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/20001. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos