Frei Caneca na historiografia

da questão nacional ao revisionismo

Autores

  • Liliane Gonçalves de Souza Carrijo Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i20.19863

Palavras-chave:

Frei Caneca. Historiografia. Política.

Resumo

Analisaremos nesse trabalho as construções das imagens/representações de frei Joaquim do Amor Divino Rabello e Caneca na historiografia brasileira. Frei Caneca foi um personagem de destaque na esfera política pernambucana do início do século XIX e, historiograficamente, seu pensamento foi compreendido por meio de diferentes perspectivas. Considerando este aspecto, procuraremos abordar diversas interpretações em torno da figura do frei e refletir sobre suas contribuições para o campo historiográfico. Dialogaremos com obras de autores expressivos, atentando para algumas questões: a do debate sobre a formação da nação brasileira e dos problemas que dele advém, em geral associados ao anacronismo interpretativo; a da pluralidade identitária e da defesa da autonomia local; e a da análise conceitual e do rigor linguístico na pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Gonçalves de Souza Carrijo, Universidade de Brasília (UnB)

Graduada em História pela União Pioneira de Integração Social/UPIS e mestranda em História Social pelo PPGHIS/UnB. A autora conta com financiamento do CNPq para o desenvolvimento de sua pesquisa.

Referências

BARROS, Lydia. Um legado que supera o mito: complexidade e pioneirismo do pensamento de Frei Caneca são analisados por especialistas no 184º aniversário de sua morte. 13 de Janeiro de 2009. Disponível em http://www.fundaj.gov.br/notitia/servlet/newstorm.ns.presentation.NavigationServlet?publicationCode=16&pageCode=1303&textCode=12311&date=currentDate. Acesso em: 28 jun. de 2010.

BERNARDES, Dênis Antonio de Mendonça. Pacto social e o constitucionalismo em Frei Caneca. Estudos Avançados. São Paulo: USP, vol. 11, no. 29, jan./abr. 1997.

BICALHO, Maria Fernanda Baptista. Dos “Estados Nacionais” ao “sentido da colonização”: história moderna e historiografia do Brasil colonial. In: ABREU, M. Et. al. (Org.). Cultura política e leituras do passado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, p. 69-87.

CERTEAU, Michel de. A operação historiográfica. In: Certeau. M. de. A escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982, p. 65-119.

HESPANHA, António Manuel & XAVIER, Ângela Barreto. A representação da sociedade e do poder. In: MATTOSO, J. História de Portugal: o Antigo Regime (1620-1807). v.4. Lisboa: Estampa, 1993, p. 121-145.

JANCSÓ, István & PIMENTA, João Paulo G. Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira). In: MOTA, C. G. (Org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500 a 2000). São Paulo: Ed. SENAC, 2000, p. 127-175.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: PUC/Rio, 2006.

LEITE, Gracyra Lazzari. A insurreição pernambucana de 1817. São Paulo: Brasiliense, 1984.

__________________. Pernambuco 1817: estrutura e comportamentos sociais. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Editora Massangana, 1988.

__________________. Pernambuco: 1824. Recife: Massangana, 1989.

LYRA, Maria de Lourdes Viana. A utopia do poderoso império: Portugal e Brasil: bastidores da política, 1798-1822. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1994.

___________________________. “Pátria do cidadão”: A concepção de pátria/nação em Frei Caneca. Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH, vol. 18, no. 36, 1998.

MARROU, Henri-Irèene. Do conhecimento histórico. Lisboa: Ed. Pedagógica Universitária, 1974.

MELLO, Antônio Joaquim de. Obras políticas e litterarias de Frei Joaquim do Amor Divino Caneca. 3ª Ed. Recife: Assembléia Legislativa de Pernambuco, 1979 (edição fac-similar da primeira de 1875).

MELLO, Evaldo Cabral de (Org.). Frei Joaquim do Amor Divino Caneca. São Paulo: Ed. 34, 2001.

_______________________. A outra independência: o federalismo pernambucano de 1817 a 1824. São Paulo: Ed. 34, 2004.

_______________________. A outra independência: o federalismo pernambucano de 1817 e 1824. In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro: IHGB, no. 436, jul./set. 2007, p. 93-107.

MOREL, Marco. Frei Caneca: entre Marília e a Pátria. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

MOTA, Carlos Guilherme. Idéias de Brasil: formação e problemas. In: MOTA. C. G. (Org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500 a 2000). São Paulo: Ed. SENAC, 2000, p. 199-238.

NEVES, Guilherme P. C. Pereira das. O Seminário de Olinda: educação, cultura e política nos tempos modernos. Dissertação de Mestrado, defendida no Departamento de História da UFF, 1984.

________________________________. Como um fio de Ariadne no intrincado labirinto do mundo: a idéia de império luso-brasileiro em Pernambuco (1800-1820). Revista Ler História. Lisboa, no. 39, 2000, p. 35-58.

PEDREIRA, Jorge M. Economia e política na explicação da independência do Brasil. In MALERBA. J. (Org.). A independência brasileira: novas dimensões. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2006, p. 55-97.

QUINTAS, Amaro. A agitação republicana no nordeste. In: HOLANDA, S. B. de. (Dir.). História geral da civilização brasileira. Tomo 2. v. 1. 9ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001, p. 207-262.

REIS, José Carlos. As identidades do Brasil: de Varnhagen a FHC. 3 ed. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

RODRIGUES, José Honório. Independência: revolução e contra-revolução: a evolução política. v. 1. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora/USP Editora, 1975

_______________________. Independência: revolução e contra-revolução: a liderança nacional. v. 4. Rio de Janeiro; Livraria Francisco Alves Editora/USP Editora, 1975.

_______________________. História: corpo do tempo. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1976.

SILVA, Sandra Vieira da. “A DISSERTAÇÃO DE FREI CANECA: ESFORÇO PARA UMA DEFINIÇÃO DE PÁTRIA EM 1822”. Dissertação (Mestrado em História e Historiografia das Idéias) ”“ apresentada na Universidade de Brasília em 2004.

Downloads

Publicado

2012-08-17

Como Citar

CARRIJO, L. G. de S. Frei Caneca na historiografia: da questão nacional ao revisionismo. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 20, p. 136–152, 2012. DOI: 10.26512/emtempos.v0i20.19863. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/19863. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos