Jornal de Umbanda: em defesa das “boas” práticas religiosas.

Autores

  • Fabíola Amaral Tomé de Souza UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i30.14722

Palavras-chave:

Umbanda. Jornal de Umbanda. A Noite. racialização.

Resumo

O presente artigo trata da Umbanda no Rio de Janeiro ”“ Brasil, na década de 1950, a partir de fontes jornalísticas que apresentam uma construção de discurso de superioridade religiosa umbandista em detrimento das práticas candomblecistas, consideradas naquele período como africanistas. Como a Umbanda se integra e legitima-se no seio da sociedade brasileira, analisando os periódicos Jornal de Umbanda e o jornal A Noite.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, Wlamyra R. Jogo da Dissimulação: Abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

ARRUDA, A. Teoria das representações sociais e teorias de gênero. Cadernos de Pesquisa, (117), p.127-147, 2002. Disponível em: < https://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742002000300007>, Acesso realizado em 23 de janeiro de 2017.

AZEVEDO, Celia Maria Marinho de. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário das elites - século XIX.Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: Estética da Criação Verbal. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes

BARROS, Sulivam Charles. As Entidades “Brasileiras” da Umbanda. In: Espiritismo & religiões afro-brasileiras: história e ciências sociais. São Paulo: Ed. UNESP, 2012.

BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil, São Paulo, EDUSP, 1971. 2 Vols. _______________, A Poesia Afro-Brasileira, in Estudos Afro-Brasileiros, São Paulo Perspectiva, 1973.

BERMAN, Mashal (1999). Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo.

BIRMAM, Patrícia. O que é Umbanda. São Paulo: Brasiliense, 1983.

BRAGA, Lourenço. Umbanda (Magia Branca) e Quimbanda (Magia Negra). Rio de Janeiro: Eco, 1957.

BRASIL. Decreto nº 847, de 11 de outubro de 1890. Promulga o Código Penal. Coleção de Leis do Brasil de 31.12.1890. Vol. 10. p. 2664. BROWN, Diana. Umbanda & Política. Cadernos do ISER, 18. Rio de Janeiro. ISER e Marco Zero, 1987.

CAPELATO, Maria Helena. Populismo na imprensa: UH e NP. In: MELO, José Marques de (org.). Populismo e comunicação. São Paulo: Cortez, 1981.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CONCOME, Maria Helena Vilas Boas. Umbanda: uma religião brasileira. São Paulo: FFLCH/USP, 1987.

DAHL, Robert Alan. Poliarquia: participação e oposição. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1997.

FEU - FEDERAÇÃO ESPÃRITA DE UMBANDA. Primeiro Congresso Brasileiro do Espiritismo de Umbanda. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1942.

GOMES, Flávio e DOMINGUES, Petrônio (orgs.). Experiências da Emancipação: biografias, instituições e movimentos sociais no pós-abolição (1890-1980). São Paulo: Selo Negro, 2011.

GOMES, Flávio e DOMINGUES, Petrônio. Políticas da Raça: experiências e legados da abolição e da pós-emancipação no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2014.

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: O breve século XX (1914-1991), 2 ed. São Paulo, Cia da Letras, 1995.

JUNIOR, Mario Teixeira de Sá. A invenção da alva nação umbandista: a relação entre a produção historiográfica brasileira e a sua influência na produção dos intelectuais da Umbanda (1840-1960). Dissertação de Mestrado. UFMTS. Dourados. 2004. Acessível em http://pt.scribd.com/doc/54404424/A-Alva-Nacao-a. Acessado dia 21 de maio de 2013.

KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. São Paulo. FEB. 2006.

LUCA, Tania Regina. Fontes Impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2014.

MAGGIE, Yvonne - Medo do Feitiço: Relações entre Magia e Poder no Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

MATA E SILVA, W.W. A Umbanda de Todos Nós. São Paulo: Ãcone, 1996.

MATOS, Ralfo. BRAGA, Fernando. Urbanização no Brasil contemporâneo, população e a Rede de Localidades Centrais em Evolução. XI Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. Salvador. 2005

ORTIZ, Renato, A Morte Branca do Feiticeiro Negro: Umbanda e Sociedade Brasileira. São Paulo. Ed. Brasiliense, 1999.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

PÓVOAS, Ruy do Carmo. A Linguagem do Candomblé: níveis sóciolinguistícos de integração afro-portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989.

PRANDI, Reginaldo. Modernidade com feitiçaria: candomblé e umbanda no Brasil do século XX. Tempo Social; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 1990.

RAMOS, Arthur. O Negro brasileiro. São Paulo: Nacional, 1940.

ROHDE, Bruno Faria. Umbanda, uma Religião que não Nasceu: Breves Considerações sobre uma Tendência Dominante na Interpretação do Universo Umbandista.Revista de Estudos da Religião- PUC-SP. 2009 / pp. 77-96. Acessado em 07 de janeiro de 2013.

RODRIGUES, Raimundo Nina. Os Africanos no Brasil. São Paulo: Nacional, 1977.

SAMPAIO, Gabriela dos Reis. Axé Carioca. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 1, n° 6, dezembro/2005.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice ”“ O social e o político na pós-modernidade. Campinas: Cortez, 1996.

SKIDMORE, Thomas. Preto no Branco, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1976.

SOSA, Derocina Alves Campos. Imprensa e história. Biblos, Rio Grande, v. 19, p. 109-125, 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2015.

ZESPO, Emanuel. O Que é Umbanda. Rio de Janeiro: Biblioteca Espiritualista Brasileira, 1953.

Downloads

Publicado

2017-10-23

Como Citar

AMARAL TOMÉ DE SOUZA, F. Jornal de Umbanda: em defesa das “boas” práticas religiosas. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 30, 2017. DOI: 10.26512/emtempos.v0i30.14722. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14722. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos