Para além de Freud e Marx

por uma sociedade livre

Autores

  • Cibele Saraiva Kunz USP

Palavras-chave:

Marcuse, Eros, Civilização

Resumo

Neste artigo, busco retomar o debate levantado por Marcuse em seu livro Eros e Civilização, qual seja, a busca por uma civilização sem mais-repressão, permeada pelos valores de Eros mais que pelos valores do cogito cartesiano - que determinou toda a filosofia ocidental. Neste livro, Marcuse avança para além de Freud e Marx ao tentar estabelecer uma sociedade não repressiva, que tenha em sua base o trabalho como jogo e a arte como principal ferramenta de libertação. Para tanto, Marcuse se apoia em Schiller e Fourier para traçar novos caminhos para se chegar a uma sociedade livre.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ADORNO, Theodor W. A arte é alegre? In: Teoria Crítica, estética e educação. Ramos de Oliveira, Antonio Alvaro Zuin, Bruno Pucci (orgs.). Campinas/Piracicaba: Autores Associados/UNIMEP, 2001. Disponível em http://nupese.fe.ufg.br/up/208/o/Adorno_-_A_ARTE_%C3%89_ALEGRE.htm?1349567350

BARBOSA, Ricardo. Marcuse e a crítica estética da modernidade: uma nova educação estética? Terceira margem. Rio de Janeiro, n. 23, pp.165-191, 2010.

BRETAS, Aléxia C. Do Romance de artista à permanência da arte: Marcuse e as aporias da modernidade estética. São Paulo: Annablume, 2013.

GOETHE, Johann Wolfgang. Escritos sobre arte. São Paulo: Humanitas, 2008.

HABERMAS Jürgen. O discurso filosófico da modernidade. Trad. Luiz Sérgio Repa e Rodnei Nascimento. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

JAMESON, Frederic. Marxismo e forma. Trad. Simon, Maria Lumma; Xavier, Ismail; Oliboni Fernando. São Paulo: Hucitec, 1985.

KELLNER, Douglas. Marcuse and the Crisis of Marxism. Berkeley, Los Angeles: University of California Press, 1984.

Kunz, Cibele S. Arte e Utopia em Herbert Marcuse. Tese (Doutorado em Filosofia) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2019.

LUKES, Timothy J. The Flight into Inwardness. An Exposition and Critique of Herbert Marcuse’s Theory of Liberative Aesthetics. Lanham: Rowman & Littlefield, 1985.

MARCUSE, Herbert. A dimensão estética. Trad. Maria Elisabete Costa. Lisboa: Edições 70, 1999a.

___________. Art and Liberation. Collected papers of Herbert Marcuse. v. 4. Edited by Douglas Kellner. London and New York: Routledge, 2007.

___________. Eros e civilização. Uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. Trad. Álvaro Cabral. 8ª ed. São Paulo: Guanabara, 1982.

___________. Sobre o Caráter Afirmativo da Cultura. In: Cultura e sociedade vol. 1. Trad. Wolfgang Leo Maar, Isabel Maria Loureiro, Robespierre de Oliveira. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

___________. Para a Crítica do Hedonismo. In: Cultura e sociedade vol. 1. Trad. Wolfgang Leo Maar, Isabel Maria Loureiro, Robespierre de Oliveira. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

____________. Um Ensaio sobre a Libertação. Trad. Maria Ondina Braga. Lisboa: Bertrand, 1977.

SCHILLER, Friedrich. A Educação Estética do Homem. Numa série de cartas. Trad. Roberto Schwarz e Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1990.

__________. Cultura estética e liberdade. Tradução e introdução. Ricardo Barbosa. São Paulo: Hedra, 2009.

SUZUKI, Márcio. O belo como imperativo. In: SCHILLER. A educação Estética do Homem. Numa série de Cartas. São Paulo: Iluminuras, 1990.

PISANI, Marilia. e KLEIN, Stefan. A educação estética como educação política em Herbert Marcuse. In: Educação estética. De Schiller a Marcuse. Rio de Janeiro: NAU, 2011.

REITZ, Charles. Art, Alienation and the Humanities. A critical Engagement with Herbert Marcuse. New York: State University of New York, 2000.

Downloads

Publicado

2022-02-26

Como Citar

SARAIVA KUNZ, C. Para além de Freud e Marx: por uma sociedade livre. Das Questões, [S. l.], v. 14, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/dasquestoes/article/view/40076. Acesso em: 7 jul. 2022.