Prática informacional no contexto do HIV: Análise espacial do conhecimento acerca de estratégicas de prevenção

Autores

  • Flávia Moreno Alves de Souza Ministério da Saúde
  • Ivette Kafure Munõz Universidade de Brasília
  • Cristina de Albuquerque Possas Fundação Oswaldo Cruz
  • Eliana Márcia Da Ros Wendland Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Marina Bessel Hospital Moinho de Vento
  • Flavia Kelli Alvarenga Pinto Ministério da Saúde

DOI:

https://doi.org/10.26512/rici.v14.n1.2021.29596

Palavras-chave:

Vírus da imunodeficiência humana, Análise espacial, Estudo de usuários, Distrito Federal

Resumo

Evidencia a perspectiva interdisciplinar entre a Ciência da Informação e as Ciências da Saúde. Discute a relevância do conhecimento sobre as formas de transmissão do HIV/aids e as estratégias de prevenção na resposta brasileira a essa epidemia. Objetiva mensurar o nível de conhecimento a respeito das vias de transmissão do vírus e das estratégias da Prevenção Combinada, por distribuição espacial no Distrito Federal ”“ DF. Trata-se de pesquisa de corte transversal, descritiva, aplicada, de abordagem quantitativa-qualitativa, cujo método utiliza o survey. Os resultados indicam maior proporção de conhecimento moderado e alto acerca das formas de transmissão. Observa-se haver conhecimento baixo a respeito das intervenções biomédicas baseadas no uso de antirretrovirais sobre as Profilaxias Pré e Pós-Exposição. Avaliadas as características sociodemográficas e as categorias de conhecimento, tem-se que a faixa etária, o grau de escolaridade e o acesso à internet possuem associação estatisticamente significativa. A distribuição espacial entre os participantes com nível de conhecimento moderado é homogênea, enquanto para aqueles com conhecimento alto e baixo a distribuição no território se dá de maneira heterogênea. Conclui-se que há lacunas no conhecimento sobre as formas de transmissão e estratégias de Prevenção Combinada. Adequado nível de conhecimento é componente estruturante para o enfrentamento do HIV/aids.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Moreno Alves de Souza, Ministério da Saúde

Ministério da Saúde, Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente
Transmissíveis, Brasília, DF, Brasil

Ivette Kafure Munõz, Universidade de Brasília

Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, DF, Brasil

Cristina de Albuquerque Possas, Fundação Oswaldo Cruz

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Eliana Márcia Da Ros Wendland, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Departamento de Saúde Coletiva, Porto Alegre, RS, Brasil

Marina Bessel, Hospital Moinho de Vento

Porto Alegre, RS, Brasil

Flavia Kelli Alvarenga Pinto, Ministério da Saúde

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, Brasília, DF, Brasil

Referências

ADAM, B. D.; HUSBANDS, W.; MURRAY, J. et al. AIDS optimism, condom fatigue, or self-esteem? Explaining unsafe sex among gay and bisexual men. Journal of Sex Research, [S.l.], v. 42, n. 3, p. 238-248, 2005.

ALENTEJO, E. S. Qualidade da informação em saúde mediada pelas bibliotecas universitárias no Brasil e na Alemanha. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 9, n. 2, 2016.

ALMONTE, M.; ALBERO, G.; MOLANO, M. et al. Risk factors for human papillomavirus exposure and co-factors for cervical cancer in Latin America and the Caribbean. Vaccine, [S.l.], v. 26, Suppl. 11, p. L16-36, 2008.

ARAÚJO, C. A. A. O que são “práticas informacionais”? Informação em Pauta, Fortaleza, v. 2, número especial, out. 2017.

BARBOSA JR., A. et al. Indicadores propostos pela UNGASS e o monitoramento da epidemia de Aids no Brasil. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 40, supl. 1, p. 94-100, abr. 2006.

BARRETO, A. de A. A condição da informação. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, n. 16, v. 3, p. 67-74, 2002.

BATESON, G. Steps to an ecology of mind. New York: Ballantine Books, 1972.

BELKIN, N. J. Anomalous states of knowledge as a basis for information retrieval. Canadian Journal of information Science, [S.l.], v. 5, p. 133-143, 1980.

BELKIN, N. J.; ROBERTSON, S. E. Information Science and the phenomena of information. Journal of the American Society for Information Science, [S.l.], v. 27, n. 4, p. 197-204, Jul./Aug. 1976.

BORKO, H. Information Science: What is it? American Documentation, [S.l.], v. 19. n. 1, p. 3-5, Jan. 1968.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Prevenção Combinada do HIV: Bases conceituais para profissionais, trabalhadores(as) e gestores(as) de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Pesquisa de conhecimentos, atitudes e práticas na população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Pesquisa de conhecimentos, atitudes e práticas na população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico HIV/Aids. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BROOKES, B. The foundations of information science. Part I. Philosophical aspects. Journal of information science, London, v. 2, 1980. p. 125-133.

BUCKLAND, M. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, [S.l.], v. 42, p. 351-360, 1991.

CAPURRO, R. Epistemología y Ciencia de la Información. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (ENANCIB), 5., 2003, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2003.

CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 148-207, abr. 2007.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2003.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. 11. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DEB, S.; DUTTA, S.; DASGUPTA, A. et al. Sexual practice and perception of HIV/AIDS amongst men who have sex with men in Kolkata. Indian Journal of Community Medicine, [S.l.], v. 34, p. 206-11, 2009.

DERVIN, B. An overview of Sense-Making research: concepts, methods and results, to date. In: INTERNATIONAL COMMUNICATIONS ASSOCIATION ANNUAL MEETING. Proceedings… Dallas: ICAAM, May 1983.

FEITOSA, E.M. Para além da prevenção combinada: conhecimentos e significações e universitários sobre vulnerabilidade ao HIV/Aids. 2019. 107 f. Trabalho de conclusão de curso ”“ Universidade Federal de São Paulo.

FERREIRA, M. P. Conhecimento e percepção de risco sobre o HIV/AIDS: um perfil da população brasileira no ano de 1998. Caderno Saúde Pública, [S.l.], v. 19, Supl. 2, p. S213-S222, 2003.

FERREIRA, M. P. et al. Nível de conhecimento e percepção de risco da população brasileira sobre o HIV/Aids, 1998 e 2005. Revista Saúde Pública, [S.l.], v. 42, supl. 1, p. 65-71, 2008.

FONNER, V. A. et al. Effectiveness and safety of oral HIV pre-exposure prophylaxis (PrEP) for all populations: a systematic review and meta-analysis. AIDS, [S.l.], v. 30, n. 12, p. 1973-1983, jul. 2016.

FONTES, M. B. et al. Fatores determinantes de conhecimentos, atitudes e práticas em DST/aids e hepatites virais, entre jovens de 18 a 29 anos, no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 14., 2013. Anais...; Florianópolis: ENANCIB, 2013. Ciência & Saúde Coletiva, [S.l.], v. 22, n. 4, p. 1343-1352, 2017.

FREIRE, I. M. F. Informação: consciência possível. Um exercício com construtos teóricos. Ciência da Informação, Brasília, v. 24, n. 1, 1995.

GASQUE, K. C. G. D. Arcabouço conceitual do letramento informacional. Ciência da Informação, Brasília, v. 39, n. 3, p. 83-92, dez. 2010.

GOMES, R. R. F. M. et al. Fatores associados ao baixo conhecimento sobre HIV/AIDS entre homens que fazem sexo com homens no Brasil. Caderno Saúde Pública, [S.l.], v. 33, n. 10, p. e00125515, 2017.

GRANGEIRO, A. et al. O efeito dos métodos preventivos na redução do risco de infecção pelo HIV nas relações sexuais e seu potencial impacto em âmbito populacional: uma revisão de literatura. Revista Brasileira Epidemiologia, São Paulo, v. 18, p. 43-62, 2015.

GUIMARAES, M. D. C. et al. Conhecimento sobre HIV/aids entre HSH no Brasil: um desafio para as políticas públicas. Revista Brasileira Epidemiologia, São Paulo, v. 22, supl. 1, p. e190005, 2019.

JEOLÁS, L. Os jovens e o imaginário da Aids: notas para uma construção social do risco. Campos, [S.l.], v. 4, p. 93-112, 2003.

KAFURE, I.; PEREIRA, J. L. B. Aspectos emocionais e cognitivos do usuário na interação com a informação: um estudo de caso no Laboratório de Inovações Tecnológicas para ambientes de Experiência (ITAE). Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 21, n. 3, p. 222-239, jul./set. 2016.

KERR, L.; KENDALL, C.; GUIMARÃES, M. D. C. et al. HIV prevalence among men who have sex with men in Brazil: results of the 2nd national survey using respondent-driven sampling. Medicine, [S.l.], v. 97, n. 1S, p. S9-S15, May 2018.

KERR, L. Relatório Técnico Final. Brasília: Ministério da Saúde, 2017. [não publicado]. Produto 6. Projeto 914BRZ1138.

KNOX, J.; SANDFORT, T.; YI, H. et al. Social vulnerability and HIV testing among South African men who have sex with men (MSM). International Journal STD AIDS, [S.l.], v. 22, p. 709-13, 2011.

KUHLEN, R. Pragmatische Aspekte beim Entwurf und Betrieb von Informations systemen. In: INTERNATIONALEN SYMPOSIUMS FÜR INFORMATIONS WISSENSCHAFT, 1., 1990, Konstanz, Deutschland. Proceedings… Konstanz: Univ. Verlag Konstanz, 1990.

LE COADIC, Y. F. A Ciência da Informação. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

McGARRY, K. J. Da documentação à informação: um conceito em evolução. Lisboa, Editorial Presença, 1984. 196p.

MENESIA, E. O. Estudo Epidemiológico sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) no Município de Ribeirão Preto. Dissertação (Mestrado) ”“ Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 1999.

MIRANDA, A.; SIMEÃO, E. A conceituação de massa documental e o ciclo de interação entre tecnologia e o registro do conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 3, n. 4, ago. 2002.

MORIN, E. O método III: o conhecimento do conhecimento. Lisboa: Publicação Europa-América, 1987.

MOURÃO, A.L.M. Construção e validação de um folder educativo com orientações para cuidadores de crianças com HIV/aids. 2017. 100p. Dissertação de Mestrado ”“ Universidade Estadual do Ceará.

NEVES, B. C.; BRAZ, M. I. Interlocução entre saúde e Ciência da Informação: proposta para o diagrama multidisciplinar da CI. Informação & Informação, [S.l.], v. 23, n. 3, p. 100-121, dez. 2018.

NORMAN, D. A. Emotional Design: Why we love (or hate) everyday things. New York: Basic Books, 2004.

OSTROW, D. G.; SILVERBERG, M. J.; COOK, R. L. et al. Prospective Study of Attitudinal and Relationship Predictors of Sexual Risk in the Multicenter AIDS Cohort Study. AIDS and Behavior, [S.l.], v. 12, p. 127-138, 2008.

PARKER, R.; CAMARGO, JR., K. R. Pobreza e HIV/AIDS: Aspectos antropológicos e sociológicos. Cadernos de Saúde Pública, [S.l.], v. 16, supl. 1, p. 89-102, 2000.

RIBEIRO, F. Medicina e Ciência da Informação: uma abordagem integradora e interdisciplinar. In: DUARTE, Z.; FARIAS, L. (Org.). A Medicina na Era da Informação. Salvador: EDUFBA, 2009. ISBN 978-85-232-0633-8. p. 111-125.

SANTOS, J. C. A respeito do DST e AIDS nos dias de hoje [About DST and AIDS in nowadays]. Femina, [S.l.], v. 26, n. 4, p. 321-3, 1998.

SARACEVIC, T. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996.

SAVOLAINEN, R. Everyday Life Information Seeking: Approaching Information Seeking in the Context of “Way of Life”. Library & Information Science Research, Boston, v. 17, p. 259-294, 1995.

SCANAVINO, M. T.; ABDO, C. H. N. Parceiros sexuais nos últimos 12 meses e parceiros significativos ao longo da vida, segundo o estudo da vida sexual do brasileiro. Diagnóstico & Tratamento, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 138-142, 2010.

SEMIDÃO, R. A. M. Dados, informação e conhecimento: elementos de análise conceitual. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, ago. 2013.

SILVA, R. A. S. As práticas informacionais das Profissionais do Sexo da zona boêmia de Belo Horizonte. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) ”“ Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

SIRIHAL, A. B.; LOURENÇO, C. A. Informação e conhecimento: aspectos filosóficos e informacionais. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 12, n. 1, p. 67-92, 2002. Disponível em: <http://www.brapci.inf.br/v/a/754>. Acesso em: 3 jun. 2018.

SOUZA, S. D. Aids e Religião: apontamentos sobre representações católicas da sexualidade em tempos de Aids. Estudos Teológicos, [S.l.], v. 52, n. 2, p. 333-334, jul./dez. 2012.

SPERHACKE, R. D. et al. HIV prevalence and sexual behavior among young male conscripts in the Brazilian army, 2016. Medicine, [S.l.], v. 97, n. 1S, p. S25-S31, May 2018.

SZWARCWALD, C. L.; DAMACENA, G. N.; SOUZA-JÚNIOR, P. R. B. de et al. Factors associated with HIV infection among female sex workers in Brazil. Medicine, [S.l.], v. 97, n. 1S, p. S54-S61, maio 2018.

SZWARCWALD, C. L. Relatório Técnico Final. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. Produto 6. Projeto 914BRZ1138.

TAQUETTE, S. Aids e Juventude: gênero, classe e raça. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2009.

UNAIDS (UNITED NATIONS JOINT PROGRAMME ON HIV/AIDS). Get on the fast-track: The life-cycle approach to HIV. Geneva: UNAIDS, 2016.

UNAIDS (UNITED NATIONS JOINT PROGRAMME ON HIV/AIDS). Combination HIV Prevention: Tailoring and Coordinating Biomedical Behavioural and Structural Strategies to Reduce New Infections. Geneva: UNAIDS, 2016.

WAGENAAR, B. H.; SULLIVAN, P. S.; STEPHENSON, R. HIV knowledge and associated factor among internet-using men who have sex with men (MSM) in South Africa and the United States. PLoS One, [S.l.], n. 7, p. e32915, 2012.

WERSIG, G. Information science: the study of postmodern knowledge usage. Information Processing & Management, v. 29, n. 2, p. 229-239, 1993.

WERSIG, G.; NEVELLING, U. The phenomena of interest to information Science. The information Scientist, [S.l.], v. 9, n. 4, p. 127-140, dez. 1975.

Downloads

Publicado

2021-01-16 — Atualizado em 2021-01-16

Versões

Como Citar

Souza, F. M. A. de ., Munõz, . I. K. ., Possas, C. de A. ., Wendland, E. M. D. R. ., Bessel, M. ., & Pinto, F. K. A. . (2021). Prática informacional no contexto do HIV: Análise espacial do conhecimento acerca de estratégicas de prevenção. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 14(1), 70–91. https://doi.org/10.26512/rici.v14.n1.2021.29596

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.