Impacto do fator emocional no usuário quando da recuperação de informação da homepage do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites do Ministério da Saúde

Autores

  • Flávia Moreno Alves de Souza Universidade de Brasília - UnB
  • Ivette Kafure Muñoz Universidade de Brasília - UnB

DOI:

https://doi.org/10.26512/rici.v10.n1.2017.2505

Palavras-chave:

design emocional, estudo de usuários, interação humano-computador, informação em saúde, HIV-AIDS

Resumo

Discute a relevância do fator emocional na recuperação de informação. Discorre sobre a necessidade de disponibilização de informações com valor agregado que atendam às necessidades informacionais do usuário e satisfaçam as suas expectativas. Objetiva identificar o impacto do fator emocional no usuário na recuperação de informação da homepage do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. Trata-se de pesquisa qualitativa e exploratória, cujo método utiliza estudo de caso. A análise dos dados mostra que diante da interface, o estado afetivo de 56,92% é negativo e de 43,08% positivo; para 85,71% o estado emocional interfere na busca e recuperação da informação; para 14,28% não interfere. Conclui que a dimensão emocional é fator decisivo na recuperação de informação de saúde dos usuários desta homepage e há necessidade do aprimoramento da interface, baseado nos princípios do design emocional centrado no usuário para que esta desperte sensações positivas, pois esta é uma ferramenta de orientação na prevenção e no tratamento da epidemia de Aids no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Moreno Alves de Souza, Universidade de Brasília - UnB

Mestranda em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília. Possui MBA (Master Business Administration) em Planejamento e Gestão Empresarial, bem como em Gerência de Projetos. Graduada em Ciência Política pela Universidade de Brasília - UNB.

Ivette Kafure Muñoz, Universidade de Brasília - UnB

Doutora em Ciência da Informação, Universidade de Brasília. Mestre em Informática, Universidade Federal de Campina Grande. Especializada em Práticas Audiovisuais, Universidade del Valle, Cali, Colômbia. Graduada em Engenharia de Sistemas, Universidade Autônoma de Manizales, Manizales, Colômbia.

Referências

ABRAHÃO, J.I.; SILVINO, A.M.D.; SARMET, M.M. Ergonomia, cognição e trabalho informatizado. Psicologia: Teoria e pesquisa, Brasília, v. 21, n. 2, p. 163-171, 2005.

ALMEIDA, E.G. de; SILVINO, F.F. Abordagem qualitativa e suas possibilidades de aplicação em pesquisas na linguística aplicada. Belo Horizonte, 2010. Disponível em: http://estagio3-2010-wikispaces.com/file/view/abordagem_qualitativa_em_dois_projetos_de_pesquisa_LA.pdf/159811513/abordagem_qualitativa_em_dois_projetos_de_pesquisa_LA.pdf. Acesso em: 4 de junho de 2014.

ARAÚJO, V.M.R.H. Usuários: uma visão do problema. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, v. 3, n. 2, p. 175-192, 1974.

BAECKER, R. M; BUXTON, W. A. S. Readings in human-computer interaction: A multidisciplinary approach. San Mateo, CA: Morgan Kaufmann, 1987.

BAPTISTA, S. G.; CUNHA, M. B. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, p. 168" 184, 2007.

BARBOSA JUNIOR, A. et al. Tendências da epidemia de Aids entre subgrupos sob maior Risco no Brasil, 1980-2004. Cadernos de Saúde Pública, [S.l.], v. 25, n. 4, p. 727-737, 2009.

BASTOS, F.I. Taxas de infecção de HIV e sífilis e inventário de conhecimento, atitudes e práticas de risco relacionadas às infecções sexualmente transmissíveis entre usuários de drogas em 10 municípios brasileiros. Relatório técnico entregue ao Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, 2009.

BATES, M. J. The making of a super searcher. Searcher, v. 7, n. 10, 1999.

BELKIN, N. J.; ODDY, R. N.; BROOKS, H. M. ASK for information retrieval: part I. Background and theory. Journal of Documentation, v. 38, n. 2, p. 61-71, 1982.

BELKIN, N. J; CROFT, W. B. Retrieval techniques. Annual Review of Information Science and Technology, v. 22, p. 112-119, 1987.

BELKIN, N. J. Anomalous states of knowledge as a basis for information retrieval. Canadian Journal of information Science, n. 5, p. 50-54, 1980.

BELKIN, N. J. The cognitive viewpoint in information science. Journal of Information Science, v. 16, p. 11-15, 1990.

BORGES, M. E. N et al. A ciência da informação discutida à luz das teorias cognitivas: Estudos atuais e perspectivas para a área. Cadernos BAD, Lisboa, v. 2, 2004.

BORKO, H. Information Science: What is it? American Documentation, v. 19, n. 1, p. 3-5, 1968.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais (DDAHV). Pesquisa de conhecimento, atitudes e práticas na população brasileira/Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais (DDAHV). Boletim Epidemiológico, v. 4, n. 1. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRITTAIN, M. J. Information and application of the results of user studies. In: DEBONS, A.; CAMERON, W.J. Perspectives in information science. Leyden: Noordhoff, 1975.

BROOKES, B. The foundations of information science. Part I. Philosophical aspects. Journal of Information Science, London, v. 2, n. 3-4, p. 125-133, 1980.

BUCCINI, M.; PADOVANI, S. Uma introdução ao Design Experiencial. Estudos em Design, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, p. 9-29, 2005.

BUCKLAND, M.K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v. 42, p. 351-360, 1991.

BUSH, V. As we may think. Atlantic Monthly, v. 176, n. 1, p. 101-108, 1945.

CAPURRO, R. Epistemologia e Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO, 8., 2003, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 148-207, 2007.

CHOO, C. W. Web work: information seeking and knowledge work on the World Wide Web. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2000.

CHOO, C. W.; DETLOR, B.; TURNBULL, D. A behavioral model of information seeking on the web: preliminary results of study of how managers and IT specialists use the web. In: ASIS ANNUAL MEETING, 35., 1998, Medford. Electronic proceedings. Medford: [s. n.], 1998.

CHURCHILL, G. Marketing research: methodological foundations. 2. ed. Dryden Press, 1998.

COSTA, J.; ANTUNES, M. J.; SILVA, L. O. Design emocional e concepção nas entidades tutoras: estudo de caso. In: CONGRESSO DAS ASSOCIAÇÕES LUSÓFONAS DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 8., 2009. Anais. Lisboa: Federação das Associações Lusófonas de Ciências da Comunicação, 2009.

COSTA, S. M. S. Metodologia da pesquisa: aspectos Gerais. Brasília: UnB/CID, 2005.

COSTA, J. dos A. F. Design emocional e expressão de emoções em agentes tutores. 2009. 103p. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal, 2009.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CUNHA M. B. Metodologias para estudos dos usuários de informação científica e tecnológica. Revista de Biblioteconomia, Brasília, v. 10, n. 2, p. 5-19, 1982.

DAMÁSIO, A. O Erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DAMÁSIO, A. Em busca de Espinosa: prazer e dor na ciência dos sentimentos. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

DARWIN, C. The Expression of the Emotions in Man and Animals. New York: D. Appleton, 1899.

DERVIN, B. An overview of Sense- Making research: concepts, methods and results, to date. In: International Communications Association Annual Meeting. Dallas. May, 1983.

DESMET, P. Designing emotions. 2002. 225p. Tese (Doutorado) - Delft University of Tecnology, Delft, 2002.

ELLIS, D. A. Behavioural approach to information retrieval system design. Journal of Documentation, v. 45, n. 3, p. 171-212, 1989.

FERNEDA, E. Recuperação de informação: análise sobre a contribuição da Ciência da Computação para a Ciência da Informação. 2003. 137p. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

FERREIRA, S. B. L. Novos paradigmas e novos usuários de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 2, p. 1-10, 1995.

FIALHO, J. F.; ANDRADE, M. E. A. Comportamento informacional de crianças e adolescentes: uma revisão da literatura estrangeira. Ciência da Informação, Brasília, v.36, n.1, p.20-34, 2007.

FIGUEIREDO, N. M. Estudo de uso e usuários de informação. Brasília: IBICT, 1994.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FRASCARA, J. Diseño gráfico para la gente: comunicaciones de masa y cambio social. 3. ed. Buenos Aires: Ediciones Infinito, 2004.

GARFIELD, E. Information Retrieval. Science, v. 156, n. 3780, p. 1398-1401, 1967.

GASQUE, K.C.G; COSTA, S.M.S. Evolução teórico-metodológica dos estudos de comportamento informacional de usuários. Ciência da Informação, Brasília, v.39, n.1, p. 21-32, 2010.

GOLEMAN, D. Inteligência emocional. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

HACK, Josias Ricardo; SANTOS, Juliano Alves dos. Influência do design emocional na interação homem-computador. Liinc em revista, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, set. 2010. p. 409-421.

HEWETT, T. T.; BAECKER R., et al: Curricula for human-computer interaction. Nova York: [s.n.], 1992/1996. Relatório da Association for computing Machinery e Special Interest Group on Computer Human Interaction.

INGWERSEN, P. Information retrieval interaction. London: Taylor Graham, 1992.

JAMES, W. What is an emotion? Mind, Oxford, v. 9, n. 34, p. 188-205, 1884.

JORDAN, P.W. Designing pleasurable products: an introduction to the new human factors. London: Taylor& Francis, 2000.

KAFURE, I. Concepção interdisciplinar da interface do sistema de gestão da informação. Revista Ibero Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 2, n. 2, p. 2009.

KAUARK, F.; MANHÃES, F. C.; MEDEIROS, C. H. Metodologia da pesquisa: Guia Prático. Itabuna: Via Literarium, 2010.

KERR, L. Comportamento, atitudes, práticas e prevalência de HIV e sífilis entre homens que fazem sexo com homens (HSH) em 10 cidades brasileiras. Relatório técnico entregue ao Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, 2009.

KRIKELAS, J. Information-seeking behavior: patterns and concepts. Drexel Library Quartely, v. 19, p. 5-20, 1983.

KUHLTHAU, C. C. Inside de search process: information seeking from the user’s perspective. Journal of the American Society for Information Science, Washington, v. 42, n. 5, p. 361-71, 1991.

LE COADIC, Y. F. A Ciência da Informação. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

LEDOUX, J. O Cérebro Emocional: os misteriosos alicerces da vida emocional. 7. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

MARCHIORI, P. Z et al. Metodologia para o monitoramento da difusão de inovação em canais de comunicação científica. Informação & Informação, Londrina, v .17, n. 2, p. 77-102, 2012.

MARTINEZ-SILVEIRA, M.; ODDONE, N. Necessidades e comportamento informacional: Conceituação e modelos. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 118-127, 2007.

MATURANA, H. R. Emoções e Linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

MENEZES, C. S. Design e emoção: sobre a relação afetiva das pessoas com os objetos usados pela primeira vez. 2007. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

NORMAN, D. A. Design Emocional: Por que adoramos (ou detestamos) os objetos do dia-a-dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

NORMAN, D. A. O design do dia-a-dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

NORMAN, D. A. Emotional Design: Why We Love (or hate) Every Day things. Basic Books, 2004.

OLIVEIRA, F.B. Interfaces usuário”“máquina. [20--?]. Disponível em: http://sistemas.riopomba.ifsudestemg.edu.br/dcc/materiais/1618984280_Apostila-Interfaces-Homem-Maquina.pdf. Acesso em: 20 de fevereiro de 2015.

PIAGET, J. Relações Entre a Afetividade e a Inteligência no Desenvolvimento Mental da Criança. Rio de Janeiro: WAK, 2014.

RIJSBERGEN, V. Information Retrieval. 2. ed. London: Butterworths, 1979.

RODRIGUES, B. C.; CRIPPA, G. A recuperação da informação e o conceito de informação: o que é relevante em mediação cultural? Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.16, n. 1, p. 45-64, 2011.

SARACEVIC, T. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.1, n.1, p. 4-62, 1996.

SAUERBRONN, J. F. R.; AYROSA, E. A. T.; BARROS, D. F. Bases sociais das emoções do consumidor: uma abordagem complementar sobre emoções e consumo. Cadernos EBAPE, Rio de Janeiro, v.7, n.1, 2009.

SCOLARI, S. H. P. Design e emoção: um modelo de círculos de referências de emoções em produtos. Bauru:[s.n], 2008.

SILVA, C. A. da. Design emocional: afetos positivos e negativos nas interações com o ambiente web. 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

SILVA, F. M. B. O Impacto do Design Emocional na recuperação da informação no catálogo público de acesso de linha. Brasília: [s.n], 2009.

SZWARCWALD, C. L. Taxas de prevalência de HIV e sífilis e conhecimento, atitudes e práticas de risco relacionadas às infecções sexualmente transmissíveis no grupo das mulheres profissionais do sexo, no Brasil. Relatório técnico entregue ao Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, 2009.

THOMPSON, J. B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e características da pesquisa de marketing. Revista da FAE, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 61-70, 2002.

WILSON, T.D. On user studies and information need’s. Journal of Documentation, London, v. 7, n. 1, p. 3-15, 1981.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

Souza, F. M. A. de, & Kafure Muñoz, I. (2021). Impacto do fator emocional no usuário quando da recuperação de informação da homepage do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites do Ministério da Saúde. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 10(1), 164–184. https://doi.org/10.26512/rici.v10.n1.2017.2505

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.