O ano de 2017 marcou as comemorações dos 70 anos professor Renato Ortiz. Uma mesa redonda no auditório da IFCH da Unicamp, a realização de um colóquio na Escola de Comunicação da USP e ainda uma seção durante o I Encontro de Pesquisadores de Arte e Cultura no Brasil, celebraram um nome que se confunde com o desenvolvimento da Sociologia da Cultura no Brasil e cuja obra ressoa na América Latina como uma referência inquestionável, quando se trata da discussão sobre modernização cultural, cultura popular de massa, mundialização, entre outros temas. 

Neste número, trouxemos uma parte significativa do que foi exposto e discutido nesses encontros para as páginas da Arquivo do CMD. Organizado por Edson Farias e Maria Celeste Mira, o dossiê “Renato Ortiz, 70 anos: uma obra e muitos ensinamentos depois...”´, a luz dos sete textos nele reunidos, deixa por conclusão a certeza de que “Ortiz influenciou a percepção de muitos pesquisadores brasileiros a respeito do cenário moderno e contemporâneo da cultura no Brasil e no mundo, predominantemente no Ocidente.”

DOI: https://doi.org/10.26512/cmd.v7i01

Publicado: 2020-05-06

Editorial

Edson Farias, Thais Alves Marinho, Salete Nery, Bruno Couto

1-8

Fazer festa, fazer memória

Julio Cesar Valente Ferreira

231-236

A Etnogênese Kalunga

Da identidade às performances

MARIA EDIMACI TEIXEIRA BARBOSA LEITE, MARIA ZENEIDE CARNEIRO MAGALHÃES DE ALMEIDA

237-240