Renato Ortiz Notas de Um Aprendiz

Main Article Content

Michel Nicolau Netto

Resumo

Este texto traz reflexões pessoais feitas a partir das leituras dos textos de Renato Ortiz e de nossa convivência, primeiro como orientando/orientador, depois como colegas e amigos. Para tanto, começo com a descrição de sua trajetória peculiar, que exigiu que Renato mobilizasse uma intensa reflexividade, uma vez que seu habitus não o levava ao caminho que seguiu nas ciências sociais. Em seguida, me concentro na reflexão sobre duas dimensões do pensamento de Ortiz: a relação entre escrita e pesquisa nas ciências sociais e, como proponho, sua forma de construção de objetos de pesquisa a partir da dimensão do poder. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Nicolau Netto, M. (2020). Renato Ortiz: Notas de Um Aprendiz. Arquivos Do CMD, 7(01), 37–49. https://doi.org/10.26512/cmd.v7i01.29623
Seção
Artigos de Dossiê

Referências

Bakhtin, M. (1997). Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes.

Bourdieu, P. (2003). A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva .

Bourdieu, P. (1983). Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática.

Bourdieu, P., & Passeron, J.-C. (2014). A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Petrópolis: Editora Vozes.

Bourdieu, P., & Passeron, J.-C. (2013). Os herdeiros: os estudantes e a cultura. Florianópolis: Editora da UFSC.

Bourdieu, P., Chamboredon, J.-C., & Passeron, J.-C. (2007). Ofício de sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis: Vozes.

Hobsbawm, E., & Ranger, T. (1997). A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Ortiz, R. (2008). A diversidade dos sotaques (o inglês e as ciências sociais). São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (1986). A escola de Frankfurt e a questão da cultura. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 1.

Ortiz, R. (2001). A Moderna Tradição Brasileira: cultura brasileria e indústria cultural. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (1978). A morte branca do feiticeiro negro. Petrópolis: Editora Vozes.

Ortiz, R. (2013). A recepção de Pierre Bourdieu no Brasil. Sociologia & Antropologia , 03 (05), 81-90.

Ortiz, R. (1994a). Alienação e cultura: o ISEB. In R. Ortiz, Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (2002). Ciências sociais e o trabalho intelectual. São Paulo: Olho d'Agua.

Ortiz, R. (1994b). Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (1991). Cultura e Modernidade. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (1989). Durkheim: arquiteto e herói fundador. Revista brasileira de ciências sociais , 4 (11).

Ortiz, R. (1999). Espaço e territorialidade. In R. Ortiz, Um outro território. São Paulo: Olha D'Água.

Ortiz, R. (2014). Franz Fanon: um itinerário político e intelectual. Contemporânea - Revista de Socioogia da UFSCAR , 4.

Ortiz, R. (2009). Globalização: notas sobre um debate. Sociedade e Estado , 24.

Ortiz, R. (1983). Introdução: A procura de uma sociologia da prática. In P. Bourdieu, Pierre Bourdieu: Sociologia. São Paulo: Ática .

Ortiz, R. (2003). Mundialização e Cultura. São Paulo: Ed. Brasiliense.

Ortiz, R. (2000b). O próximo e o distante: Japão e modernidade. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (2006). O senso comum planetário. In R. Ortiz, Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense.

Ortiz, R. (1992a). Reflexões sobre a pós-modernidade: o exemplo da arquitetura. Revista Brasileira de Ciências Sociais .

Ortiz, R. (1992b). Românticos e Folcloristas. São Paulo: Olho D'Água.

Ortiz, R. (2010). Trajetos e memórias. São Paulo: Editora Brasiliense.

Ortiz, R. (1999). Um Outro Território. São Paulo: Ed. Olho D'água.

Ortiz, R. (2000a). Walter Benjamin e Paris: individualidade e trabalho intelectual. 12.

Ortiz, R., Borelli, S., & Ramos, J. (1989). Telenovela: História e reprodução. São Paulo: Brasiliense.

Sassen, S. (1991). The Global City: New York, London, Tokyo. Princeton: Princeton University Press.

Simmel, G. (1992). Exkurs üben den Fremden. In G. Simmel, Soziologie. Untersuchungen über die Formen der Vergesellschaftung. Gesamtausgabe Band 11 (pp. 764-711). Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Sylvester, D. (2006). Sobre Arte Moderna. São Paulo: Cosac & Naify.

Taylor, P., Derudder, B., Saey, P., & Witlox, F. (2007). Cities in Globalization: practices, policies and theories. New York: Routledge.

Vicente, E., Venanzoni, T. S., & Soares, R. d. (2017). Renato Ortiz: tecido da escrita, teia da memória. Matrizes , 11 (3), 91-112.

Wallerstein, I. (2011). The Modern World-System I: Capitalist Agriculture and the Origins of the European World-Economy in the Sixteenth Century, With a New Prologue. Berkeley: University of California Press.

Weber, M. (2016). A 'objetividade' do conhecimento na ciência social e na ciência política. In M. Weber, Metodologia das Ciências Sociais. São Paulo : Cortez.

Wright Mills, C. (2000). The sociological imagination. Oxford: Oxford University Press.