O Diálogo entre Renato Ortiz e Roger Bastide a partir do Problema da Memória

Main Article Content

EDSON SILVA FARIAS

Resumo

Neste artigo, entende-se estar no recurso à categoria o ponto nevrálgico do diálogo entabulado por Renato Ortiz com Roger Bastide e, mediante este, com os caminhos trilhados pela Escola Francesa de sociologia. A proposta alia etnografia com arqueologia das ideias, de acordo o objetivo de realizar uma sociologia da sociologia da memória.  Assim, a narrativo do texto procura historiar a estruturação de determinada cognição com repercussões fortes o suficiente para alicerçar um modo de consciência com repercussões para além dos muros acadêmico-científicos, em meio as continuidades e cortes na realização de tal processo a um só tempo epistemológico e institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
FARIAS, E. S. (2020). O Diálogo entre Renato Ortiz e Roger Bastide a partir do Problema da Memória. Arquivos Do CMD, 7(01), 83–122. https://doi.org/10.26512/cmd.v7i01.28344
Seção
Artigos de Dossiê

Referências

ALEXANDRE, J.-Michel. “Introdução” In: HALBWACHS, Maurice: A Memória Coletiva. SP: Revista dos Tribunais e Vértice, 1990.

ASSUNÇÃO, Luiz. « A transgressão no religioso: Exus e mestres nos rituais da umbanda ». Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 14, vol.21(1): 157-183 (2010)

BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil. SP: Pioneira, 2 vol, 1971.

BASTIDE, Roger. “Mmemórie Colletive et Sociologie du Bricolege”. L’Anée Sociologique vol. 21, 1970.

BASTIDE, Roger . Brasil País de Contrastes. SP: Anhambi, 1969.

BASTIDE, Roger. Déterminismessociaux et libertéhumaine. Cahiersinternationaux de Sociologie, 1955, 18: 160.

BASTIDE, Roger. Elémentsde SociologieReligieuse. 1936.

BASTIDE, Roger. “Un Grand Sociologue Français, Gaston Richard”. Revue du Christianisme Social, Paris, n.3, 1930.

BASTIDE, Roger. “Mysticisme et Sociologie”. Revue Internationale de Sociologie, Paris, n. 36, mai-jun, 1928.

BALANDIER, Georges. “La situationcoloniale: approchethéorique”. CahiersInternationaux de Sociologie, 1951, 11: 44.

BATAILLE, Georges. A Parte Maldita. RJ: Imago, 1975.

BERGSON, Henri. Matéria e Memória. SP: Martins Fontes, 1999.

BENOIT, Lelita Oliveira. Sociologia Comteana: Gênese e Devir. SP: Discurso Editorial, 1999.

BIRMAN, Patrícia. Fazer Estilo Criando Gênero: possessão e diferenças de gênero em terreiros de Umbanda e Candomblé no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume-Dumará; Ed.UERJ.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. RJ: Bertrand do Brasil, 2000.

BURKE, Peter. Variedades de História Cultural. RJ: Civilização Brasileira, 2000.

CALLOIS, Roger. O Homem e o Sagrado. Lisboa: Edições 70, 1988.

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas Híbridas. México (D.F): Grijalbo, 1990.

CANEVACCI, Massimo. A Cidade Polifônica: Ensaio sobre a Antropologia da Comunicação Urbana. SP: Studio Nobel, 1993.

CARPENTIER, Alejo. América, laImagen de una Conjunción. Madrid: Anthropos Editorial, 2004.

DESROCHE, Henri. “Roger Bastide: Ultimascriptarecueillis et présentés par Henri Desroche”. Archives de SciencesSocialesdesReligions, 1974, pp. 03-47.

DEJEAN, Joan. Antigos Contra Modernos: as guerras culturais e a construção de um fin de siècle. Rio de Janeiro: Record, 2005.

DURKHEIM, Emile. As Regras do Método Sociológico. SP: Cia Nacional, 1985.

DURKHEIM, Emile. As Formas Elementares da Vida Religiosa. SP: Paulínea, 1989.

DURKHEIM, Emile & MAUSS, Macel. “Nota Sobre a Noção de Civilização” In: MAUSS, Marcel: Ensaios de Sociologia. SP: Perspectiva, 1981.

DURKHEIM, Emile. “Algumas Formas Primitivas de Classificação” In: Ensaios de Sociologia. SP: Perspectiva, 1981.

EISENSTADT, Shmuel Noah. A Dinâmica das Civilizações (Tradição e Modernidade). Lisboa: Cosmos, 1991.

ELIAS, Norbert. La DynamiqueSociale de laConsciênce: sociologie de laconnassance e desseiences. Paris: Gallimard, 2016.

ELIAS, Norbert. Norbert Elias Por Ele Mesmo. RJ: Jorge Zahar Editor, 2001.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte. Lisboa: Editorial Estampa, 1987.

FARIAS, Edson. O protocolo de pesquisa da circulação na sociologia da cultura, no Brasil. Revista Sociedade e Estado ”“ Volume 31, Número 3,Setembro/Dezembro 2016, pp.583-614.

_____________. “Multimodalidade da memória e a sociologia dos a priori sociais”.Arquivos do CMD, Volume 4, N.1. Jan/Jun, 2016a, pp. 112-155.

_____________. “Alguns apontamentos sobre o dueto memória e modernidade” IN: Elder P. Maia Alves (org.): Políticas Culturais para as Culturas Populares no Brasil Contemporâneo. Maceió: UFAL, 2011, pp.25-58.

_____________. “Quando inovar é apelar à tradição: a condição baiana frente à modernização turística”. Caderno CRH, 2008, 21.54, pp. 571-594.

_____________. “Um Percurso na Pesquisa sobre as Resignificações de Memórias de Práticas Lúdico-Artísticas Populares em Contextos de Modernização” IN:

FANON, Frantz. Pele Negra Máscaras Brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil. São Paulo: Globo, 2006.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FREYRE, Gilberto. O Novo Mundo nos Trópicos. Rio de Janeiro: Topbooks, 2000.

GÉLARD, Marie-Luce. “‘Lestechniquesducorps’ de Marcel Mauss. Renouveau ou retoursur une question anexe” IN: Marcel Mauss. L’Anthropologie de l’Un et duMultiple.Paris: PUF, 2013, pp. 81-100.

GILLIES, Eva. “Introdução” In: EVANS-PRITCHARD, E.E.: Bruxaria, Oráculos e Magia entre os Azande. RJ: Zahar Editores, 1978.

GOLDMAN, Marcio. Razão e Diferença: Afetividade, Racionalidade e Relativismo no Pensamento de Lévy-Brühl. RJ: Ed. UFRJ e Grypho, 1994.

GIUMBELLI, Emerson. “Religiões no Brasil dos anos 1950: processos de modernização e configurações da pluralidade”. PLURA. Juiz de Fora, MG. Vol. 3, n. 1 (jan./jun. 2012), p. 79-96.

___________________. “Presença na recusa: a África dos pioneiros umbandistas”. Esboços: histórias em contextos globais, 2010, 17.23, pp.107-118.

GORDON,Lewis ; SHARPLEY-WHITING, T. Denean e WHITE, Renée T. (eds.).Fanon: a critical reader.Oxford: Blackwell,1996.

GUIMARÃES, ANTÔNIO S. A. A recepção de Fanon no Brasil e a identidade negra. NovosEstudos, n. 81, julho, 2008, pp.99-114.

GURVITCH, Georges. A Vocação Atual da Sociologia, Vol. I. Lisboa: Cosmos ”“ Martins Fontes, 1979 (2 volumes).

__________________. Déterminismessociaux et libertéhumaine. RevueFrançaise de Sociologie, 1963, 4.3: 359.

HALBWACHS, Maurice. Les Cadres Sociaux de la Mémorie. Paris: PUF, 1952.

________________. A Memória Coletiva. SP: Vértice e Revista dos Tribunais, 1990.

HEGEL, G.W.F. Enciclopedia de las Ciencias Filosóficas. Madrid: Editorial, 1997.

HUME, David. Tratado da Natureza Humana. SP: Unesp ”“ Imprensa Oficial de São Paulo, 2001.

Horizonte, Belo Horizonte, v. 9, n. 23, p. 729-745, out./dez. 2011 - ISSN: 2175-5841

ISAIA, Arthur César. “Umbanda, magia, religião: a busca pela conciliação na primeira metade do século XX”.Horizonte, Belo Horizonte, v. 9, n. 23, out./dez. 2011, pp. 729-745.

_________________. “Umbanda, intelectuais e nacionalismo no Brasil”. Fênix ”“ Revista de História e Estudos Culturais. Setembro/ Outubro/ Novembro/ Dezembro de 2012 Vol. 9 Ano IX nº 3.Disponível em: www.revistafenix.pro.br.

_________________. “Ordenar progredindo: a obra dos intelectuais de umbanda no Brasil da primeira metade do século XX”. Anos 90, 1999, pp.07-11.

LEIRIS, Michel. A África Fantasma. SP: Cosacnaify, 2007.

L´ESTOILE, Benoît, NEIBURG, Federico e SIGAUD, Lígia. “Antropologia, Impérios e Estados Nacionais: uma abordagem comparativa” In: Benoît de L´Estoile, Federico Neiburg e Ligia Sigaud (orgs.): Antropologia, Impérios e Estados Nacionais. RJ: RelumeDumara/FAPERJ, 2002.

LÉVI-STRAUSS, Claude. “Introdução” In: MAUSS, Marcel: Sociologia e Antropologia. SP: EPU e Edusp, 1974.

____________________. O Pensamento Selvagem. SP: Cia Editora Nacional, 1976.

____________________. As Estruturas Elementares do Parentesco. Petrópolis (RJ): Vozes, 1995.

_____________________ . Tristes Trópicos. SP: Cia das Letras, 1996.

LÉVY-BRÜHL, Lucien. La Mentalité Primitive. Paris : PUF, 1947.

LUKES, Steven. Emile Durkheim, His Life andWork: a historicalandcriticalstudy. Stanford: Stanford University Press, 1985.

KECK, Frédéric. “Religion et mystiquedanslasociologiefrançaise de l’entre-deux-guerres : Durkheim, Lévy-Bruhl, Bataille, Lévi-Strauss” IN: Dominique de Courcelles et GhislainWaterlot (orgs.): La mystique Face auxGuerresMondiales. Paris: PUF, 2010, pp. 153-168.

KUPPER, Adam. Cultura: a Visão dos Antropólogos. Bauru (SP): Edusc, 2002.

MASSI, Fernanda Peixoto. Os Trópicos de Lévi-Strauss e a África de Michel Leiris. Novos Estudos Cebrap, n.33, julho, 1992.

MAURICE, Leenhardt. Do Kamo: lapersonne et lemythedansle monde mélanésien. Paris: Gallimard, 1985.

MAUSS, Marcel. Relações Reais e Práticas entre a Psicologia e a Sociologia. Organização e edição: Márcia Consolim, NoemíPizarroso López e Raquel Weiss. São Paulo: Edusp, 2018.

_______________. Esboço de uma Teoria Geral da Magia. Lisboa: Edições 70, 2000.

_______________.“Ensaio sobre a dádiva” IN: Sociologia e Antropologia. São Paulo: USP, 1974, 2 vol.

_______________.“Técnicas corporais” IN: Sociologia e Antropologia. São Paulo: USP, 1974, 2 vol.

MATTA, Roberto da. Carnavais, Malandros e Heróis (Para uma Sociologia do Dilema Brasileiro). RJ: Zahar Editores, 1979.

MERLEAU-PONTY, Maurice. “De Mauss a Claude Lévi-Strauss” In: Maurice Merleau-Ponty (Textos Selecionados). SP: Abril Cultural (Os Pensadores), 1980.

MONTAIGNE, Michel. Ensaios, Vol. II. São Paulo: Abril Cultural, 1987 (Os Pensadores, 2 vols.).

MORIN, Edgar. Culturas de Massas no Século XX: o “Espírito do Tempo”, Vol. I ”“ a neurose. RJ: Forense Universitária.

NASCIMENTO, Adriano R. A. ; SOUZA, Lídio de ; TRINDADE, Zeidi A. «Exus e pombas-giras : o masculino e o feminino nos pontos cantados da umbanda » Psicologia em Estudo, Maringá, v. 6, n. 2, jul./dez. 2001, pp. 107-113.

NGHE,Nguyen.“Frantz Fanon et les problèmes de l’indépendance”. La Pensée.nº 107,1963,pp.23-36.

NIETZSCHE, Friedrich. A Genealogia da Moral. SP: Nova Cultural (Os Pensadores), 1987.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. “Introdução a uma leitura de Mauss” In: Roberto Cardoso de Oliveira (org.): Mauss. SP: Ática, 1979.

_________________________. “A Categoria de ‘Entendimento Humano’ na Antropologia” In: Sobre o Pensamento Antropológico. RJ: Tempo Brasileiro/Cnpq, 1988.

_________________________. Razão e Afetividade: o pensamento de Lucien Lévy-Brühl. Brasília (DF): UnB, 2002.

ORTIZ, Renato. “Frantz Fanon: um itinerário político e intelectual”. Contemporânea ”“ Revista de Sociologia da UFSCar. São Carlos, v. 4, n. 2, jul-dez 2014, pp. 425-442.

_____________.Trajetos e Memórias. São Paulo: Brasiliense, 2010.

_____________.“Frantz Fanon:colonialismo,violência e identidade cultural”IN:Abdala Júnior,Benjamin. Margens da Cultura: mestiçagem, hibridismo & outras misturas.São Paulo: Boitempo,2004,pp.67-86.

_____________ .“Introdução” IN: Renato Ortiz (org.): A Sociologia de Pierre Bourdieu. SP: Olho d´Água, 2003.

_____________. “Durkheim ”“arquiteto e herói fundador” IN: Ciências Sociais e Trabalho Intelectual. SP: Olho d´Água, 2002.

_____________.A Morte Branca do Feiticeiro Negro. São Paulo: Brasiliense, 1990.

_____________.A Consciência Fragmentada. RJ: Tempo Brasileiro, 1980.

_____________. “Roger Bastide: a utopia e o outro”. Vozes Cultura, n.5, setembro-outubro, 1993.

ORTIZ, Fernando. Contrapunteo Cubano del Tabaco y el Azucar: advertencia de sus contrastes agrários económicos, históricos y sociales, su etnografia y su transculturación. Habana: Consejo Nacional de Cultura, 1963.

PEIXOTO, Fernanda Arêas. Diálogos Brasileiros: Uma Análise da Obra de Roger Bastide. SP: Edusp, 2000.

PICKERING, William S.F. “Gaston Richard: Collaborateur et Adversaire”. RevueFrançaise de Sociologie, vol. XX, n. 1, janvier-mars, 1979.

PRANDI, Reginaldo. Herdeiras do Axé. São Paulo, Hucitec, 1996.

________________. “Referências sociais das religiões afro-brasileiras: sincretismo, branqueamento e africanização”. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, ano 4, n. 8, jun. 1998, pp. 151-167.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. “Introdução - Nostalgia do Outro e do Alhures: a Obra Sociológica de Roger Bastide” In: QUEIROZ, Maria Isaura P. (org.): Bastide. SP: Ática, 1983 (Grandes Cientistas Sociais).

RIOS, Fábio. “Memória coletiva e lembranças individuais a partir das perspectivas de Maurice Halbwachs, Michael Pollak e Beatriz Sarlo”. Revista Intratextos, vol 5, no1, 2013,pp. 01-22.

RODRIGUES, Nina. Raimundo. Os Africanos no Brasil. São Paulo: Madras, 2008.

SANSONE, Livio. “Os Objetos da Identidade Negra: consumo, mercantilização, globalização e a criação de culturas negras no Brasil”. Mana, n. 6 vol. 1 abril, 2000.

SANTIAGO, Silviano. “A Viagem de Lévi-Strauss aos Trópicos”. Folha de São Paulo, 10 de setembro (Caderno Mais), 2000.

__________________. “Caleidoscópio de questões” In:Sete Ensaios

sobre o Modernismo. Rio de Janeiro, 1983, p. 25-28.

SANTO AGOSTINHO. Confissões. Petrópolis (RJ): Vozes, 1988.

TARDE, Gabriel. Monadologia e Sociologia. Petrópolis (RJ): Vozes, 2003.

TODOROV, T. (1989). Nous et LesAutres. Paris: ÉditionsduSeuil.

WEBER, Max. “La ética protestante y elespíritudel capitalismo”; “La sectas protestantes y elespíritudel capitalismo” IN: Ensayos sobre Sociología de laReligión, Vol. I. Madrid: Taurus, 2001, pp. 11-232 (Três volumes).

WEISZ, George. “L´ideologie républicaine et les sciences sociales. Les durkheimiens et la chaire d´histoire d´economie sociale à la sorbonne”. RevueFrançaise de Sociologie, vol. XX, n. 1, janvier-mars, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. RJ: Zahar Editores, 1979.