Área de proteção ambiental Jenipabu e Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão: um processo histórico conservacionista?

  • Artemísia dos Santos Soares UFRN
  • Mayara Ferreira de Farias UFRN
  • Francisco Fransualdo de Azevedo UFRN
Palavras-chave: Área de Proteção Ambiental. Jenipabu. Ponta do Tubarão. Processo Histórico. Reserva de Desenvolvimento Sustentável.

Resumo

A pesquisa buscou averiguar as relações entre conservação e consumo e suas influências no ecoturismo realizado nas UCs de uso sustentável selecionadas para este estudo. Para tanto, se teve como percurso metodológico uma abordagem qualitativa sob uma perspectiva crítica, baseada em pesquisa bibliográfica e documental e realização de entrevistas semiestruturadas com três grupos de agentes, a saber: gestores/técnicos, comunidade e ecoturistas envolvidos com o ecoturismo nas UCs selecionadas. Para a fixação das unidades de análise e categorias, tomou-se como referência autores que realizam crítica à sociedade do consumo e apresentam as principais características do meio técnico-científico-informacional predominante. Os principais resultados revelam que o uso mercadológico do prefixo “eco” tem atuado como uma nova roupagem para o que na realidade ainda se revela antigo, ou seja, usa-se a conservação como justificativa para mais um novo tipo de consumo. Ao final, concluiu-se que não se pode desconsiderar o atual contexto de consumo, uma vez que se torna premente um novo posicionamento do ecoturismo na sociedade contemporânea, levando em consideração as raízes teóricas e ideológicas que o criaram, priorizando, portanto, a conservação em sua totalidade, em detrimento do poder hegemônico do consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Artemísia dos Santos Soares, UFRN

Doutoranda em Turismo pelo Programa de Pós-Graduação em Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGTUR-UFRN). Mestre em Turismo pelo PPGTUR-UFRN. Especialista em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Graduada em Turismo pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Guia de Turismo Regional pelo IFRN. É Professora EBTT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (IFAL) - Campus Maragogi. É Membro associado do Grupo de Pesquisa Território e Desenvolvimento da UFRN. Experiência docente em nível técnico e superior. Tem experiência em consultoria de projetos ambientais e culturais - elaboração e execução. Áreas de interesse: Turismo e Participação Social, Turismo e Desenvolvimento. Turismo e Território. Turismo de Base Comunitária, Ecoturismo em Áreas Naturais Protegidas, Turismo e Meio Ambiente, Planejamento Turístico, Políticas Públicas do Turismo, Hospitalidade, Projetos e Captação de Recursos. CV: http://lattes.cnpq.br/1052024626478722. E-mail: artemisiasoares@yahoo.com.br

Mayara Ferreira de Farias, UFRN
Francisco Fransualdo de Azevedo, UFRN

Bacharel em Ciências Econômicas, com estudos realizados na Universidade Católica de Santos - São Paulo (3 primeiros anos do curso) e Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2 últimos anos do curso); Licenciado em Geografia pela Faculdade Católica de Uberlândia - Minas Gerais; Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe; Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia - Minas Gerais, com Estágio Doutoral na Universidade de Barcelona - Espanha. Pós-Doutor pela Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (UNESP). Atualmente é professor Associado do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Cursos de Licenciatura e Bacharelado), Docente do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFRN (Mestrado e Doutorado) e do Programa de Pós-Graduação em Turismo da UFRN (Mestrado e Doutorado). Editor-Chefe da Revista Sociedade e Território. Orientador de Mestrado e Doutorado. Tem experiência docente nas áreas de Economia, Geografia e Turismo. Coordenador de Projetos de Pesquisa, Ensino e Extensão Universitária. Desenvolve pesquisas sobre: Reestruturação produtiva, circuitos espaciais de produção, circuitos da economia urbana, desenvolvimento local e regional, turismo e produção do espaço, turismo e políticas públicas, Economia solidária e participação social. Coordena e/ou participa de projetos de Pesquisa e Extensão no Brasil, Espanha e África. CV: http://lattes.cnpq.br/2719998085102847. E-mail:  ffazevedo@gmail.com

Referências

Brasil. [MMA] Ministério do Meio Ambiente. (2000). SNUC: Sistema Nacional de Unidades de Conservação– SNUC: lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000; decreto n. 4.340, de 22 de agosto de 2002. Brasília: MMA.

Bruhns, H. T. (2009). A busca pela natureza: turismo e aventura. Barueri, SP: Manole.

Cacho, A. N. B., & Azevedo, F. F. (2010). O turismo no contexto da sociedade informacional. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. v.4, n.2, p.31-48, ago.

CMMAD – Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1991). Nosso futuro comum. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV.

Diegues, A. C. (1998). O mito na da natureza intocada. 2. ed. São Paulo: HUCITEC.

Diegues, A. C. (Org.). (2000). Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. São Paulo, SP: Hucitec.

Engels, F. (1979). A dialética da natureza. 3. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

Guerreiro Ramos, A. (1989). A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV.

IDEMA. Núcleo de Unidades de Conservação. (2009). Plano de manejo da área de proteção ambiental – APA Jenipabu. Relatório de consolidação. Natal.

Lindberg. K., & Hawkins, D. E. (Orgs.). (2002). Ecoturismo: planejamento e gestão. 4. ed. São Paulo: SENAC.

Maffesoli, M. (1996). No fundo das aparências. Petrópolis: Vozes.

Moreira, I. V. D. (Org.). (1990). Vocabulário básico de meio ambiente. Rio de Janeiro: Serviço de Comunicação Social da Petrobrás.

Nascimento. A. O., & Souza, J. E. S. (2008). GT de Turismo da RDSEPT: trajetória. Revista do VIII Encontro Ecológico da RDS Estadual Ponta do Tubarão. Ano VI. v.1, série 1, p. 11-12. nov.

Neiman, Z.; & Rabinovici, A. (Orgs.). (2010). Turismo e meio ambiente no Brasil. Barueri, SP: Manole.

Nobre, I. M. (2005). Revelando os modos de vida da Ponta do Tubarão. 260f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Pires, P. S. (2002). Dimensões do ecoturismo. São Paulo: Editora SENAC São Paulo.

Reigota. M. (1995). Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez.

Rio Grande do Norte [Estado]. (2003). Lei nº 8.349 de julho de 2003. Cria a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão, na região de Diogo Lopes e Barreiras e dá outras providências. Diário Oficial do Estado, Natal.

Rodrigues, A. B. (2001). Turismo e espaço: rumo a um conhecimento transdisciplinar. 3. ed. São Paulo: Hucitec.

Santos, M. (1987). O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel (Coleção Espaços).

Santos, M. (1988). Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec.

Santos, M. (1994). Técnica, espaço, tempo. São Paulo: Editora Hucitec.

Santos, M. (2001). Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 6. ed. Rio de Janeiro: Record.

Santos, M. (2006). A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo (Coleção Milton Santos).

Soares, A. S. (2011). O ecoturismo sob a égide da sociedade do consumo: um estudo das Unidades de Conservação de uso sustentável do RN. 2011. Dissertação (Mestrado em Turismo) – Programa de Pós-Graduação em Turismo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Soares, A. S., & Azevedo. F. F. (2013). Consumo e conservação no ecoturismo das UCs Área de Proteção Ambiental Jenipabu e Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão (RN): a percepção dos atores que nelas atuam. In: AZEVEDO, F. F. et al. Turismo em foco. Belém: NAEA, pp.116-136.

Wallace, G. N. (2002). A administração do visitante: lições do Parque Nacional de Galápagos. In: Lindberg. K., & Hawkins, D. E. (Orgs.) Ecoturismo: planejamento e gestão. 4. ed. São Paulo: SENAC, pp. 193–139.

Publicado
2019-06-24
Como Citar
SoaresA. dos S., FariasM. F. de, & AzevedoF. F. de. (2019). Área de proteção ambiental Jenipabu e Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão: um processo histórico conservacionista?. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 7(12), 124 - 145. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v7i12.19665
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##