Tão bonita quanto imoral: identidade anarcopunk feminina na cena paulistana

  • Moacir Oliveira de Alcântara

Resumo

Uma movimentação cultural punk de forte inclinação ao anarquismo surgiu na década de 1990 na cidade de São Paulo, o chamado anarcopunk, em que atuou expressivo contingente de mulheres e no qual houve, em consequência de sua politização, a fomentação da militância feminista e de perspectivas pró-feminismos. Tais aspectos estão expressos em letras de músicas de duas das bandas que compunham o cenário anarcopunk e, posteriormente, raw punk na capital paulista: Pós-Guerra e Luta Armada. Partiremos da apreciação do cenário no qual se inseriam as bandas citadas, objetivando a investigação de alguns aspectos do contexto histórico em que essas bandas atuaram, pensando a identidade punk feminina que se apresenta em duas canções selecionadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-17