Violetas em Desmontagem

Voltar a Falar é Voltar a Viver

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/vozcen.v4i01.48315

Palavras-chave:

Voz, Silenciamento, Violência de Gênero, Feminismo, Escrita de Si

Resumo

O presente artigo é um recorte de minha pesquisa de doutorado pela Universidade do Estado de Santa Catarina, orientada pela Prof.ª Dr.ª Daiane Dordete Steckert Jacobs. Nessa pesquisa, compartilho o processo de desmontagem de Violetas, envolvendo o relato e a reflexão sobre a criação desse espetáculo teatral, abrangendo a costura de uma nova dramaturgia tanto escrita como corpórea-vocal, assim como a escrita da própria tese. Todas essas dimensões são consideradas nesse trabalho como uma “escrita de si” (Rago, 2013). Este artigo, ou pequeno recorte, tem o objetivo de tratar a voz em uma perspectiva feminista, como a capacidade de ser autora de si mesma e de narrar a própria história. A voz como seu poder pessoal, como seu lugar no mundo e seu prazer de viver. Por séculos as mulheres foram silenciadas e oprimidas para um lugar de inferioridade e subalternidade. A obra Um Teto Todo Seu de Virginia Woolf é utilizada como referência, bem como escritos das historiadoras Letícia Milan e Michelle Perrot. Traço um paralelo com o conceito de “Escrita de Si”, de Margareth Rago. Observo efeitos nocivos do silenciamento nos aspectos fisiológicos e comunicativos da voz através das autoras Anna Alice Almeida e Naomi Wolf. Busco uma conceituação da voz através das obras de Freya Jarman-Ives e especialmente de Adriana Cavarero. Através dos escritos de Leonor Arfuch e bel hooks encontro e reflito sobre a urgência e importância de soltar a voz. Por fim, apresento o convite e o apelo para soltarmos juntas as nossas vozes, na luta pelo fim da violência de gênero e por uma sociedade mais justa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mayra Montenegro de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, Natal/RN, Brasil

Doutoranda em Artes Cênicas pela UDESC, Mestra em Artes Cênicas pela UFRN (2012) e Licenciada em Educação Artística com Habilitação em Música pela UFPB (2008). É atriz, cantora, compositora, fundadora da Cia. Violetas de Teatro e professora titular da Licenciatura em Teatro da UFRN. Pesquisa as áreas de Técnica e Expressão Vocal, bem como os Feminismos e a Mímesis Corpórea nos processos de criação

Referências

ALMEIDA, Anna Alice. Palestra Voz e Emoção. Clínica de Otorrino da Paraíba. Eco Business Center, João Pessoa-PB, 15 de abril de 2023.

ARFUCH, Leonor. Mujeres que Narram: trauma y memoria. Labrys, Études Féministes/Estudos Feministas. Janvier/Décmbre 2009 – Janeiro/Dezembro 2009.

CAVARERO, Adriana. Vozes Plurais: filosofia da expressão vocal. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FERRACINI, Renato, HIRSON, Raquel Scotti, COLLA, Ana Cristina. Práticas Teatrais: sobre presenças, treinamentos, dramaturgias e processos. Campinas: Editora da Unicamp, 2020.

JARMAN-IVENS, Freya. Queer Voices: Technologies, Vocalities, and the Musical Flaw. London: Palgrave MacMillan, 2011.

MILAN, L. P. Escrita de si e diários: construções do gênero diante de paradigmas socioculturais. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, [S. l.], v. 8, n. 15, p. 154–172, 2016.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História, v. 9, nº. 18, p. 9-18, São Paulo: ANPUH, 1989.

RAGO, Margareth. A Aventura de Contar-se. Feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

WOLF, Naomi. Vagina: uma biografia. São Paulo: Geração Editorial, 2013.

WOOLF, Virginia. Um Teto Todo Seu. São Paulo: Círculo do Livro S.A., s.d.

Downloads

Publicado

29-06-2023

Como Citar

Souza, M. M. de. (2023). Violetas em Desmontagem: Voltar a Falar é Voltar a Viver. Voz E Cena, 4(01), 39–50. https://doi.org/10.26512/vozcen.v4i01.48315

Edição

Seção

Dossiê Temático - Artigos

Categorias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.