v. 2 n. 4 (2018): Temporal ”“ prática e pensamento contemporâneos: A Arte, as artes

Linoleogravura de Lennon Noleto; foto de Caroline Ribeiro

Djanira (1914-1979) foi uma artista brasileira cuja produção se dava num discurso aparentemente deslocado dos paradigmas considerados centrais no século XX. Mas, mesmo sob o lugar comum do naïf, suas obras não se eximem de circulações nas quais estão presentes grandes nomes institucionalmente legitimados, desde Henri Matisse a Alfredo Volpi. Ademais, com o passar das décadas, a artista chamou a atenção por parte de escritores da crítica e da academia, entre os quais podemos citar Mário Pedrosa. Há fronteiras frágeis, porém suficientemente persistentes, que direcionam os sistemas de artes que hoje conhecemos, desde de galerias até universidades. Em suas tensões e incoerências, tais critérios institucionais não deixam de ser profícuo objeto de discussão acerca dos espaços artísticos e seus impactos.

Com o intuito de pensar artes, entre elas o paradigma ocidental da Arte, a revista Temporal: prática e pensamento contemporâneos convidou a comunidade a submeter trabalhos para este nosso número, intitulado A Arte, as artes.

Capa: linoleogravura de Lennon Noleto, fotografada por Caroline Ribeiro

Publicado: 17-02-2020

Expediente

Editorial

  • Editorial

    Priscila Rossinetti Rufinoni, Samira Margotto, Jade Oliveira Chaia, Lennon Noleto, Iasmin Leiros, Maria Clara Rodrigues, Yuri de Lavor
    02 - 03