Análise das interações entre dados climáticos e o processo de desertificação no núcleo de desertificação de Cabrobó-PE, Brasil

Autores

  • Rita Marcia da Silva Pinto Vieira Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Ana Paula Martins do Amaral Cunha Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Alexandre Augusto Barbosa Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Germano Gondim Ribeiro Neto Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Javier Tomasella Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Regina Célia dos Santos Alvalá Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Fabrícia Cristina Santos Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil.
  • Marcos de Oliveira Santana Ministério do Meio Ambiente, Brasília, DF, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.18472/SustDeb.v9n2.2018.27559

Palavras-chave:

Degradação do Solo, Nordeste do Brasil, Mudança de Uso e Cobertura da Terra, Clima

Resumo

No presente estudo avaliou-se a dinâmica das mudanças de usos e cobertura da terra no núcleo de desertificação de Cabrobó-PE, a partir de abordagem que inclui a variação espaço-temporal de dados ambientais e de clima. Para a execução do trabalho, utilizaram-se o software ArcGis e a Plataforma do Google Earth Engine. Essa plataforma combina um catálogo de imagens de satélite e conjuntos de dados geoespaciais com recursos de análise em escala planetária e os disponibiliza a cientistas, pesquisadores e desenvolvedores, o que possibilita detectar mudanças, mapear tendências e quantificar diferenças de alterações na superfície terrestre. De acordo com os resultados obtidos, foi possível constatar que as áreas de floresta no núcleo de Cabrobó diminuíram 54%, sendo estas substituídas por áreas de solo exposto e áreas degradadas no período de 2000 a 2016. As áreas degradadas foram caracterizadas por apresentarem temperatura de superfície mais elevada (37,5oC), tendo aumentado em 1oC no período de 2009 a 2016. O aumento da temperatura da superfície pode estar associado ao estresse hídrico que tende a se agravar em áreas com alto grau de degradação do solo. A combinação das informações analisadas no presente estudo permite monitorar áreas heterogêneas, identificando pontos críticos (hotspots) que requerem ações imediatas de recuperação e implementação de manejo adequado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Marcia da Silva Pinto Vieira, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas, especialização em Geoquímica Ambiental, mestrado em Sensoriamento Remoto e doutorado em Ciência do Sistema Terrestre. Atualmente é bolsista do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Ana Paula Martins do Amaral Cunha, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Possui graduação em em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2004). Iniciação científica na área de micrometeorologia, com enfoque em modelo de balanço hídrico. Mestrado em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2007) na área de micrometeorologia com enfoque em calibração de modelo de superfície para área de caatinga. Doutorado em meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2013) nas áreas de agrometeorologia, micrometeorologia e climatologia com enfoque em impactos climáticos das mudanças dos usos e cobertura para a região semiárida. Tem experiência em modelagem de processos de superfície, aplicação de dados de Sensoriamento Remoto em modelos de interação biosfera-atmosfera e calibração e validação de modelos (SSiB, IBIS/INLAND/MCGA). Atualmente desenvolve pesquisas no Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN), São José dos Campos, SP, Brasil.

Alexandre Augusto Barbosa, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Possui graduação em Gestão Ambiental pela Faculdade de Educação e Tecnologia Thereza Porto Marques (2004). Técnico em Geodésia e Cartografia. CREA: 5063302320/TD-SP, FVE ? Fundação Valeparaibana de ensino (1998). Vasta experiência em Sensoriamento Remoto, GIS, PDI, Cartografia Digital (Orto-Retificação e Restituição de fotografias aéreas e imagens de satélite), Agrimensura (levantamentos topográficos com GPS). Proficiência em softwares de geoprocessamento, destacando o Arcgis, Envi, Erdas. Desenvolvimento nas linguagens Python, PHP, Javascript. Implementação de rotinas automáticas para a execução de projetos a partir de artigos científicos, desde a coleta de dados, desenvolvimento de algoritmos, processamento e saída de dados. Desenvolvimento de algoritmos otimizando fluxos de trabalho de geoprocessamento no Arcgis, utilizando scripts em Python. Aprofundando conhecimentos em Inteligência Artificial, Machine Learning e Data Science com Python e Linguagem R. Participação no desenvolvimento de projetos de mapeamentos utilizando Vant (veículo aéreo não tripulado).

Germano Gondim Ribeiro Neto, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Mestre em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental pelo Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desenvolveu em sua dissertação pesquisa sobre monitoramento e caracterização de secas para América do Sul utilizando produtos de sensoriamento remoto. Tem graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba. Sua especialidade é aplicação de produtos de sensoriamento remoto para o estudo do ciclo hidrológico com foco especial na análise e monitoramento de eventos de seca. Atualmente é bolsista do Programa de Capacitação Institucional (PCI) no Centro de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) onde trabalha com monitoramento de secas para o semiárido nordestino.

Javier Tomasella, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Possui graduação em Ingeniería de Recursos Hídricos - Universidad Nacional Del Litoral (1988), mestrado em Engenharia Civil pelo Instituto de Pesquisas Hidráulicas (1992) e doutorado em Engenharia Civil pelo Instituto de Pesquisas Hidráulicas (1995). Atualmente é tecnologista senior do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais onde realiza atividades de pesquisa e desenvolvimento. Atua principalmente nos seguintes temas: modelagem hidrológica, impacto das mudanças do uso da terra e climáticas nos recursos hídricos e modelagem de extremos hidrológicos.

Regina Célia dos Santos Alvalá, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Fabrícia Cristina Santos, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, SP, Brasil.

Marcos de Oliveira Santana, Ministério do Meio Ambiente, Brasília, DF, Brasil.

Ministério do Meio Ambiente, Brasília, DF, Brasil.

Referências

ALEPE (Assembleia Legislativa de Pernambuco). LEI Nº 14.685, DE 31 DE MAIO DE 2012. Disponível em: http://legis.alepe.pe.gov.br/arquivoTexto. aspx?tiponorma=1&numero=14685&complemento=0&ano=2012&tipo=&url=LO137532009. Acessado: Setembro, 2017.

ARAÚJO FILHO, J. Manejo pastoril sustentável da caatinga (No. IICA L01-52). IICA. Projeto Dom Helder Camara, Recife (Brasil). Projeto SEMEAR, Brasilia (Brasil) Associação Brasileira de Agroecologia, Rio Grande do Sul (Brasil). 2013.

BRITO, S. S. B., CUNHA, A. P. M. A., CUNNINGHAM, C. C., ALVALÁ, R. C., MARENGO, J. A., & CARVALHO, M. A. Frequency, duration and severity of drought in the Semiarid Northeast Brazil region. International Journal of Climatology.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS. Desertificação, degradação da terra e secas no Brasil, Brasília- DF, p.252, 2016.

CONTI, J. B. Desertificaçáo em áreas tropicais. In: III Encuentro de Geografos da America Latina, 2.,1991, Toluca. Anais... Toluca: Universidad Autonoma dei Estado de Mexico, 1991, p. 365-376.

CHAGNON S. A. Inadvertent weather modification in urban areas: lessons for global climate change. Bulletin of American Meteorology Society, v. 73, p. 619–627. 1992.

CUNHA, A. P. M. A., ALVALÁ, R. C. S., NOBRE, C. A., CARVALHO, M. A. Monitoring vegetative drought dynamics in the Brazilian Semiarid Region. Agric. For. Meteorol., v. 214, p. 494-505, 2015.

CUNHA, A. P. M. A.; SAMPAIO, G., ALVALÁ R. C. S. Impactos das mudanças de cobertura da superfície nos balanços de energia, água e carbono em uma região semi-árida do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 28, n. 3, 2013.

CREPANI, E, MEDEIROS, J. S.; FILHO, P. H.; FLORENZANO, T. G.; DUARTE, V., BARBOSA, C. C. F. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico-econômico e ao ordenamento territorial. São José dos Campos: INPE. 2001: 103 (INPE-8454-RPQ/722).

DE OLIVEIRA SILVA, A. K., & DE BARROS SILVA, H. P. O processo de desertificação e seus impactos sobre os recursos naturais e sociais no município de Cabrobó–Pernambuco–Brasil. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, v. 8, n. 1, p. 203-215, 2015.

FIELD, C. B., ET AL. "A special report of working groups I and II of the intergovernmental panel on climate change." Managing the Risks of Extreme Events and Disasters to Advance Climate Change Adaptation (2012).

FOLEY J. A, DEFRIES, R., ASNER, G. P., BARFORD, C., BONAN, G. B., CARPENTER, S. R., CHAPIN, F. S., COE, M.T., DAILY, G. C., GIBBS, H.K., HELKOWSKI, J. H., HOLLOWAY, T., HOWARD, E. A., KUCHARIK, C. J., MONFREDA, C., PATZ, J. A., PRENTICE, I. C., RAMANKUTTY, N., SNYDER, P. K. Global consequences of land use. Science, v. 309, p. 570–574, 2005.

Food and Agriculture Organization of the United Nations-FAO. Symposium on land degradation and poverty. Roma, Italia, FAO, International Fertilizer Industry Association-IFA, 2000: 3. Disponível em: <http://www.fao.org/docrep/X5317E/x5317e00.htm>. Acesso em: 24.08.2017.

GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2003: 472.

GUIMARÃES JUNIOR, J. A. O destino dos canais da transposição do rio São Francisco. Revista Cidadania e Meio Ambiente, 2010 Disponível em: http://www.ecodebate.com.br/2010/04/06/o-destino-dos-canais-da-transposicao-do-rio-sao-francisco-artigo-de-joao-abner-guimaraes-jr/

IBAÑEZ, J., VALDERRAMA, J. M., PAPANASTASIS, V., EVANGELOU, C., PUIGDEFABRIGAS, J. multidisciplinary model for assessing degradation in Mediterraneanrangelands. Land. Degrad. Dev, v. 25, p. 468–482, 2014.

IPCC. Climate Change 2013: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. United Kingdom and New York, p.1535, 2013.

IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change. Climate Change 2007: The Physical Science Basis, Summary for Policy Makers. IPCC Geneva, 2007.

IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change: Climate Change 2007: The physical science basis. Cambridge, p.18, 2007a.

LANFREDI, M., COPPOLA, R., SIMONIELLO, T., COLUZZI, R., D’EMILIO, M., IMBRENDA, V., MACCHIATO, M. Early identification of land degradation hotspots in complex Bio-Geographic Regions, Remote Sens., in press, 2015.

MACARTHUR, R. H.; MACARTHUR, J. W. On bird species diversity. Ecology, vol. 42, p. 594–598, 1961.

MARENGO, J. A. Vulnerabilidade, impactos e adaptação à mudança do clima no semiárido do Brasil. Parcerias Estratégicas, v. 27, p. 149-75, 2008.

MASHIKI, M. Y., Campos, S. Influência do uso e ocupação do solo na temperatura aparente da superfície no município de Botucatú/SP. Energia na agricultura, v. 28, n. 30, p. 143-149, 2013.

MATHERON, G. Le krigeage universel. Cahiers du Centre de Morphologie Mathematique, Ecole des Mines de Paris, Fontainebleau, v. 1, 1969.

MCKEE, T. B., DOESKEN, N. J., & KLEIST, J. The relationship of drought frequency and duration to time scales. In Proceedings of the 8th Conference on Applied Climatology, Boston, MA: American Meteorological Society, 1993. v. 17, n. 22, p. 179-183.

MI. Ministério da Integração Nacional. Projeto São Francisco. Disponível em:

http://www.integracao.gov.br/projeto-sao-francisco1>. Acesso em: 15 de setembro de 2017.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE –MMA. Síntese das discussões e recomendações da componente biodiversidade da caatinga. In Conferência Internacional: clima, sustentabilidade e desenvolvimento em regiões semiáridasd ICID + 18 – 2010, Fortaleza – Ceará, 2010.

MISHRA A. K., SINGH V. P., DESAI, V. R. Drought characterization: a probabilistic approach.Stoch. Environ. Res. Risk Assess, v. 23, n. 41, 2009. https://doi.org/10.1007/s00477-007-

NICHOLSON S. On the question of the “recovery” of the rains in the West African Sahel. Journal of Arid Environments, v. 63, n. 3, p. 615–641. 2005.

PBMC. Sumário Executivo do Volume 1 - Base Científca das Mudanças Climáticas. Contribuição do Grupo de Trabalho 1 para o 1o Relatório de Avaliação Nacional do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas. Brasil, Volume Especial para a Rio+20, 34p, 2012.

PRINCE S. D., DE COLSTOUN E. B., KRAVITZ L. L. Evidence from rain-use efficiencies does not indicate extensive Sahelian desertification. Global Change Biology, v. 4, n. 4, p. 359–374, 1998.

RIBEIRO, M. R. A pedologia e o planejamento da irrigação no Nordeste do Brasil: uma avaliação crítica. Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, v. 28, n. 3, p. 13-15, 2003.

SÁ, I. B., SÁ, I. D. S., & SILVA, A. D. S. Desertificação na região de Cabrobó-PE: a realidade vista do espaço. In Embrapa Semiárido-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, 3. Aracaju. Anais... Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros. 2006.

SALES, M. C. L. O panorama da desertificação no Brasil. In: MOREIRA, E. (org.). Agricultura familiar e desertificação. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB; 2006.

SAMPAIO, E. V. S. B.; SAMPAIO, Y., VITAL, T., ARAÚJO, S. B.; SAMPAIO, G. R. Desertificação no Brasil: conceitos, núcleos e tecnologias de recuperação e convivência. Recife: Editora Universitária da UFPE; 2003.

SOARES, D. B. Degradação ambiental no semiárido pernambucano: contribuição ao estudo da desertificação. (Dissertação de Mestrado). Programa de pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Pernambuco: PRODEMA/UFPE, 2012.

SOUZA, J. F. de; SILVA, R. M. , SILVA, A. M. Influência do uso e ocupação do solo na temperatura da superfície: o estudo de caso de João Pessoa - PB. Ambient., v. 16, n. 1, p. 21-37, 2016.

SPINONI J., NAUMANN G., CARRÃO H., BARBOSA, P., VOGT J. World drought frequency, duration, and severity for 1951–2010. Int. J. Climatol., v. 34, p. 2792–2804, 2014. https://doi.org/10.1002/joc.3875.

SPINONI, J., NAUMANN G., VOGT, J., BARBOSA, P. European drought climatologies and trends based on a multi-indicator approach. Glob. Planet. Change1, v. 27, p. 50–57. 2015. https://doi.org/10.1016/j.gloplacha.2015 .01.012.

TOMASELLA, J., VIEIRA, R. M. S. P., BARBOSA, A. A., RODRIGUEZ, D. A., SANTANA, M. O., SESTINI, M. F. Desertification trends in the Northeast of Brazil over the period 2000-2016. Submitted to International Journal of Applied Earth Observation and Geoinformation. 2017.

VIEIRA, R. M. S. P.; TOMASELLA, J., ALVALÁ, R. C. S., SESTINI, M. F., AFFONSO, A. G., RODRIGUEZ, D. A., BARBOSA, A. A., CUNHA, A. P. M. A., VALLES, G. F., CREPANI, E., OLIVEIRA, S. B. P., SOUZA, M. S. B., CALIL, P. M., CARVALHO, M. A., VALERIANO, D. M., CAMPELLO, F. C. B., SANTANA, M. O. Identifying areas susceptible to desertification in the Brazilian northeast. Solid Earth, v. 6, p. 347-360, 2015. doi: 10.5194/se-6-347.

WAN, Z., & LI, Z. L. A physics-based algorithm for retrieving land-surface emissivity and temperature from EOS/MODIS data. IEEE Transactions on Geoscience and Remote Sensing. v. 35, n. 4, p. 980-996, 1997.

WANG T., SUN J. G., HAN, H. et al. The relative role of climate change and human activities in the desertification process in Yulin region of northwest China. Environmental Monitoring and Assessment, v. 184, n.12, p. 7165–7173, 2012.

WANG, X. M., CHEN, F. H., DONG, Z. B. The relative role of climatic and human factors in desertification in semiarid China. Global Environmental Change, v. 16, n. 1, p. 48–57. 2006.

XU, D. Y., KANG, X. W., ZHUANG, D. F. et al. Multi-scale quantitative assessment of the relative roles of climate change and human activities in desertification–a case studyof the Ordos Plateau, China. Journal of Arid Environments, v. 74, n. 4, p. 498–507, 2010.

ZDRULI, P. Land resources of the mediterranean: Status, pressures, trendsand impacts on future regional development. Land. Degrad. Dev., v. 25, p. 373–384, 2014.

ZHENG, Y. R., XIE, Z. X., ROBERT, C. et al. Did climate drive ecosystem change and induce desertification in Otindag sandy land, China over the past 40 years? Journal of Arid Environments. v. 64, n. 3, p. 523–541, 2006.

Publicado

2018-08-31

Como Citar

Vieira, R. M. da S. P., Cunha, A. P. M. do A., Barbosa, A. A., Ribeiro Neto, G. G., Tomasella, J., Alvalá, R. C. dos S., Santos, F. C., & Santana, M. de O. (2018). Análise das interações entre dados climáticos e o processo de desertificação no núcleo de desertificação de Cabrobó-PE, Brasil. Sustentabilidade Em Debate, 9(2), 72 - 87. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v9n2.2018.27559

Most read articles by the same author(s)