CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE FÍSICA A RESPEITO DA NATUREZA DA CIÊNCIA À LUZ DA EPISTEMOLOGIA DE POPPER

Autores

  • João Otávio Garcia da Silva Instituto Federal de Santa Catarina
  • Luiz Henrique Martins Arthury Instituto Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v2i1.8213

Palavras-chave:

Concepções de Ciência. Natureza da Ciência. História e Filosofia da Ciência.

Resumo

Apresentamos nesse artigo os resultados de uma investigação sobre as concepções de professores de Física acerca da atividade científica, por meio de entrevistas. Essas foram transcritas e analisadas com base em uma categorização que destaca quatro concepções de ciência, baseadas em pesquisas da área de epistemologia, e contrastadas com a filosofia da ciência de Karl Popper. Dentre os resultados constatados, foi identificado que a visão de ciência da maioria dos professores remete a concepções indutivistas ingênuas da atividade científica.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

João Otávio Garcia da Silva, Instituto Federal de Santa Catarina

IFSC - Campus Jaraguá do Sul

Luiz Henrique Martins Arthury, Instituto Federal de Santa Catarina

IFSC - Campus Jaraguá do Sul

Referências

CHIZZOTTI, Antonio. A Pesquisa Qualitativa em Ciências Humanas e Sociais: Evolução e Desafios. Revista Portuguesa de Educação, 2003.

FLECK, L. La génesis y el desarrollo de um hecho científico. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Editora Atlas, 2008.

GIL-PÉREZ, D. et. al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Revista Ciência e Educação, 7 (2), 125 (2001).

FERNÁNDEZ, I.; GIL-PÉREZ, D.; CARRASCOSA, J.; CACHAPUZ, A.; PRAIA J. Visiones deformadas de la ciência transmitidas por la enseñanza. Enseñanza de las Ciencias, 20 (3), 477 (2002).

HARRES, J. B. S. Uma revisão de pesquisas nas concepções de professores sobre a natureza da ciência e suas implicações para o ensino. Investigações em Ciências, 4 (3), 197 (1999).

KÖHNLEIN, J.; PEDUZZI, L. O. Q. Uma discussão sobre a natureza da ciência no ensino médio: um exemplo com a teoria da relatividade restrita. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 22 (1), 36 (2005).

LAKATOS, I. O Falseamento e a Metodologia dos Programas de Pesquisa Científica. In: I. Lakatos; A Musgrave (Org.). A Crítica e o Desenvolvimento do Conhecimento. São Paulo: Cultrix, EDUSP, 1979.

MATTHEWS, M. R. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 12 (3), 164 (1995).

MOREIRA, M. A.; OSTERMANN, F. Sobre o ensino do método científico. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 10 (2), 108 (1993).

OKI, M. C. M.; MORADILLO, E. F. O ensino de história da química: contribuindo para a compreensão da natureza da ciência. Revista Ciência & Educação, 14 (1), 67 (2008).

PEDUZZI, L.O.Q; SILVEIRA, F.L. Três Episódios de Descoberta Científica: Da Caricatura Empirista a Uma Outra História. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 23 (1), 26 (2006).

POPPER, Karl. A Lógica da Pesquisa Científica. Editora Cultrix, 1993.

POPPER, Karl. Conjecturas e Refutações. Editora Universidade de Brasília, 5ª ed, 2008.

SILVEIRA, Fernando Lang da. A Filosofia da Ciência de Karl Popper: O Racionalismo Crítico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, 13 (3), 197 (1996).

ZANETIC, J. Física também é cultura. Tese de doutorado. FEUSP, São Paulo, 1989.

Downloads

Publicado

2018-03-20

Como Citar

SILVA, J. O. G. da; ARTHURY, L. H. M. CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE FÍSICA A RESPEITO DA NATUREZA DA CIÊNCIA À LUZ DA EPISTEMOLOGIA DE POPPER. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 2, n. 1, 2018. DOI: 10.26512/rpf.v2i1.8213. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/8213. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos