As fronteiras raciais do genocídio

Autores

Palavras-chave:

Genocídio, racismo, Diáspora negra, justiça penal internacional, Holocausto

Resumo

Este artigo discute as características eurocêntricas da justiça penal internacional na caracterização do genocídio e na consequente negação da vitimização genocida das comunidades negras na Diáspora. Esta dinâmica é amplamente sustentada pela sobreposição simbólica entre o genocídio como uma categoria geral e o Holocausto, sinalizando padrões históricos que situam a violação de corpos europeus como uma expressão única de terror e desconsideram as expressões do sofrimento negro nos preceitos da justiça internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Luiza Pinheiro Flauzina, American University Washington College of Law (AUWCL)

Doutora em Direito pela American University Washington College of Law. (http://lattes.cnpq.br/0335649346417993)

Capa da Revista Direito.UnB Volume 1, Número 1

Publicado

2014-01-01

Como Citar

FLAUZINA, A. L. P. As fronteiras raciais do genocídio. Direito.UnB - Revista de Direito da Universidade de Brasília, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 119–146, 2014. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/revistadedireitounb/article/view/24625. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos