Práticas de lazer na dinâmica socioespacial do município de São Bernardo, Maranhão: reflexões a partir da comunidade local

Autores

  • Samuel Nascimento de Gois
  • Karoliny Diniz Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.26512/revcenario.v10i1.40628

Palavras-chave:

Lazer. Turismo. Espaço urbano. São Bernardo (MA)

Resumo

O artigo possui como objetivo conhecer a opinião dos moradores do município de São Bernardo, Maranhão, sobre os espaços públicos de lazer. Busca compreender o fenômeno do lazer e a sua relação com o turismo e identificar as diversas formas de uso e apropriação do espaço urbano pelos moradores. Aplicou-se 170 questionários junto à comunidade com o fito de conhecer a sua visão sobre lazer e turismo. Os resultados da pesquisa demonstraram que os moradores possuem uma visão restrita sobre o lazer e apropriam-se dos espaços públicos de lazer para desempenhar atividades de cunho social e cultural. O estudo aponta a necessidade de articular o planejamento urbano e o turístico com vistas à valorização do espaço urbano e incentivo ao turismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Caravelas, D. C.; Bahia, M. (2010). Lazer e espaços públicos: a visão dos cidadãos de vila dos cabanos em Barcarena–PA. Revista Corpo consciência, (14) 1, p. 21- 34.

Cardoso, A. C.; Gomes, T. do V; Melo, A. C. C de; Bibas, L. (2016). Quando o projeto disfarça o plano: o exemplo de construção de agenda de planejamento urbano e metropolitano em Belém (PA). In: XVII Seminário sobre a Economia Mineira, Diamantina.

Carlos, A. F. A. (2004) O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Contexto.

Cruz, R de C. A da. (2007). Geografias do turismo: de lugares a pseudo-lugares. São Paulo: Roca. 140p.

Dumazedier, J. (1999). Sociologia empírica do lazer. São Paulo: Perspectiva.

Farias, K.; Meguis, T. (2015). Lazer e turismo: o olhar dos adolescentes do pro paz nos Bairros. FÓRUM INTERNACIONAL DE TURISMO DO IGUASSU. 9., 2015, Foz do Iguaçu, RS. Anais Eletrônicos [...]. Foz do Iguaçu, 2015. Recuperdao em 12 de maio, 2020, de http://festivaldascataratas.com/wp-content/uploads/2015/12/4.-Lazer-e-Turismo-O-Olhar-dos-Adolescentes-do-PROPAZ-nos-Bairros.pdf .

Figueiredo, S. L.; Nóbrega, W. R. de M. ( 2015). Turismo e desenvolvimento regional: conceitos e políticas em um caso brasileiro. In: Figueiredo, S. L; Azevedo, F.; Nóbrega, W. R. M. (Org.). Perspectivas contemporâneas de análise em turismo. Belém: NAEA, p. 11-37.

Fratucci, A. C. (2014). Turismo e território: relações e complexidades. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 14 (1): 87-96.

Giraldi, R.; Leite, E. (2010). Reflexões sobre planejamento urbano, lazer e turismo como instrumentos para a qualidade de vida. In: Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, 6, 2010. Anais...Universidade de Caxias do Sul.

Gomes, C. L. ( 2008). Lazer Urbano, Contemporaneidade e Educação Das Sensibilidades. Itinerarium. Rio de Janeiro, v. 1, p. 1-18. Recuperado em 03 de fevereiro, 2020, em http://seer.unirio.br/index.php/itinerarium/article/view/204 .

Gomes, C. L.; Elizalde, R. (2012). Horizontes latino-americanos do lazer. Belo

Horizonte: Editora UFMG.

Harvey, D. (2012).O direito à cidade. Lutas Sociais, São Paulo, (29) 2, p.73-89.

Lefebvre, H (2000). A produção do espaço. (do original: La production de l’espace. 4. ed. Paris: Éditions Anthropos).

Mascarenhas, F. (2007). Políticas sociais, lazer e educação: apontamentos para uma pedagogia crítica. Revista Corpoconsciência, (11) 2, p. 02-09.

Marcellino. N. C. (2008). (Org.) Lazer e Sociedade: Múltiplas relações. Campinas/SP: Alínea.

Marcelino, N. C. (2000). Estudo do lazer: uma introdução. Campinas: Autores Associados.

Marcellino, N. C; Barbosa, F. S.; Mariano, S. H. (2006). As cidades e o acesso aos espaços e equipamentos de lazer. Impulso, (17) 1 p. 55-66. Recuperado em 15 de maio, 2020, em http://docente.ifrn.edu.br/andreacosta/planejamento-de-espacos-e-equipamentos-de-lazer/texto-3-as-cidades-e-os-equipamentos-de-lazer/at_download/file.

Marin, E.C.; Padilha, V. (2000). Lazer e consumo no espaço urbano. Revista Corpoconsciência p. 21-36.

Melo, V. A. de; Alves Junior, E. de D. (2012). Introdução ao Lazer. 2. ed. Barueri, SP: Manole.

Neto, R. N. de A. S. (2018). A importância do lazer no contexto social: Elementos para o Desenvolvimento e Consolidação de Políticas Públicas. Mediação. (11) 1, p. 96 – 111.

Pellegrin, A. de. (1996). O espaço de lazer na cidade e a administração municipal. In: Marcellino, N. C. (Org.). Políticas públicas setoriais de lazer: o papel das prefeituras.

Pereira, P. V. V.; MATOS, L. da S. (2016). Lazer como mecanismo de apropriação democrática dos espaços públicos: um estudo sobre as práticas de lazer na estação das Docas em Belém-PA. In: Bahia, M. C.; Figueiredo, S. L. (Orgs). Planejamento e gestão pública do turismo e do lazer. Belém: NAEA.

Polato, T. H. P. (2003). Lazer e trabalho: algumas reflexões a partir da ontologia do ser social. Revista Motriviência. (...) 2; p. 20-21. Recuperado em 24 de novembro, 2020, de https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/viewFile/917/4147.

Rechia, S. (2005). Espaço e planejamento urbano na sociedade contemporânea: políticas públicas e a busca por uma marca identitária de Curitiba. Revista Movimento, (11) 3, p. 49-66.

Relph, E. C. (1979). As bases fenomenológicas da geografia (4 )7, p.1-25.

Santos, M (2006). A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. São Paulo: EDUSP

Santos, L. P. dos.; Ortigoza, S. A. G. (2017). A realidade socioespacial dos espaços públicos de lazer em Teresina – PI: utilização e conservação. Sociedade e Território (29)2, p. 154-174.

Santos, A. C. M. F. dos.; MANOLESCU, F. M. K. (2009). A importância do espaço para o lazer em uma cidade. ENCONTRO LATINO AMERICANO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 12., ENCONTRO LATINO AMERICANO DE PÓS-GRADUAÇÃO – UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA, 8. São José dos Campos, SP. Anais Eletrônicos [...] São José dos Campos – SP.

Sawitzki, R. L. (2012). Políticas públicas para esporte e lazer: para além do calendário de eventos esportivos. Licere. (15) 1. Recuperado em 18 de agosto, 2021, de http://www.anima.eefd.ufrj.br/licere/sumario.html?ed=31 .

Santana, R. L. F. de.; ALVES, J. de A. (2014). Apropriação e uso dos espaços de lazer da população currais-novense. Licere, Belo Horizonte, (17) 3, set. Recuperado em 18 de agosto, 2021, de https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/download/977/753/3840.

Serapioni, M. (2000). Métodos qualitativos e quantitativos na pesquisa social em saúde: algumas estratégias para a integração. Ciência e saúde coletiva (5 )1, p. 187-192, 2000. Recuperado em 31 de agosto, 2021, de https://www.scielo.br/j/csc/a/8MGqFCjhjvXKQsq37t6q7PK/?lang=pt.

Simões, P. (2016). O turismo e o lazer na cultura de consumo: impactos nas variáveis do tempo e no espaço. In: Lourenço, L. (Org.). Geografia, Cultura e Riscos. Coimbra, 2016: Imprensa da Universidade de Coimbra.153-165p. Recuperado em 8 de setembro, 2020, de https://www.riscos.pt/wpcontent/uploads/2018/SRC_IV/SRC_IV_artigo06.pdf

Downloads

Publicado

06-04-2022

Como Citar

Nascimento de Gois, S. ., & Diniz Carvalho, . K. (2022). Práticas de lazer na dinâmica socioespacial do município de São Bernardo, Maranhão: reflexões a partir da comunidade local. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 10(1), 24–44. https://doi.org/10.26512/revcenario.v10i1.40628