Transformação X Abandono

Um olhar sobre a Estação Ferroviária de Paranaguá, Paraná.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.31574

Palavras-chave:

Palavras-chave: Patrimonio Histórico; Transformação; Abandono.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo geral colocar em diálogo as ideias do filósofo francês, Henry-Pierre Jeudy discorridas no livro: Espelho das Cidades e as do arquiteto brasileiro, Eduardo Rocha, em sua tese de doutorado: Arquiteturas do Abandono (ou uma cartografia nas fronteiras da arquitetura, filosofia e da arte), para assim estruturar entendimentos e reflexões de abandono e transformação sobre a Estação Ferroviária de Paranaguá. A pesquisa caracterizou-se como qualitativa com coletas de dados bibliográficos e documentais. Tal analise situou-se na Estação Ferroviária de Paranaguá-PR, cuja inauguração do primeiro prédio data de 1883.O resultado deste estudo sinalizou que a Estação Ferroviária de Paranaguá-PR traz ao longo de suas transformações o seu próprio abandono, explicitamente nítido, um verdadeiro descaso, visto como algo que se tornou habitual, e até mesmo um reflexo do que a estrutura histórica representa para a cidade e principalmente pelo próprio aspecto de desinteresse em muitas formas e sentidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAHÃO, Cinthia Sena. BAHL, Miguel. Turismo Cultural em Desenvolvimento Includente: O caso de Paranaguá, Paraná, Brasil. Revista Turismo em Análise. Vol. 22, n.1, Abril 2011.

ALLIS, T. Turismo, patrimônio cultural e transporte ferroviário. Um estudo sobre ferrovias turísticas no Brasil e na Argentina. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina. Universidade de São Paulo, USP. 2006.

ÁVILA, Marco Aurélio. WILKE, Erick Pusch. Dos fatores limitantes ao desenvolvimento sustentável: alternativas planejadas para o turismo em Paranaguá, PR, Brasil (artigo) 2008.

BETTEGA, M. A estética no contexto do desenvolvimento territorial sustentável: um olhar ao centro histórico de Paranaguá-PR . Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial Sustentável. Universidade Federal do Paraná. UFPR.2018.

BRAMBATTI, L. E.; DAMAS, M. T. Território, turismo e identidade. Percepção de moradores da cidade portuária de Paranaguá-PR. Artigo cientifico (Especialização em Questão Social na Perspectiva Interdisciplinar), Universidade Federal do Paraná, 2016.

CASTRO, W. R. As ações das instituições públicas e privadas sobre o patrimônio cultural ferroviário da linha Paranaguá-Curitiba (Estrada de Ferro do Paraná). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geografa. Universidade Estadual de Ponta Grossa. UEPG. 2014.

DAMAS, M.T. A abordagem cultural no planejamento turístico do destino turístico Paranaguá. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Turismo. Universidade Federal do Paraná. UFPR. 2019.

ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS. Estações. Disponível em: http://www.estacoesferroviarias.com.br/pr-cur-paran/paranagua.htm Acesso em: Dezembro de 2019.

FOLHA DO LITORAL. Obras na Estação Ferroviária de Paranaguá estão 80% concluídas. Disponível em: Fevereiro de 2020.

GAZETA DO POVO. Ferrovia 130 anos. Paranaguá-Curitiba. Disponível em: https://especiais.gazetadopovo.com.br/ferrovia-130-anos/a-ferrovia-atualmente/ Acesso em: Janeiro de 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas,1999.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2018. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=411820&search=||infogr%E1ficos:-informa%E7%F5es-completas

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Bens Tombados. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/872. Acesso em: nov. 2019.

JEUDY, HP. O Espelho das cidades. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005.

MUSEU PARANAENSE. A Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba. Disponível em: http://www.museuparanaense.pr.gov.br/arquivos/File/Banestado61anos/Aestra dadeFerroParanaguaCuritibaUmaobradeArte.pdf. Acesso em: nov. 2019.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ROCHA, E. Arquiteturas do abandono (ou uma cartografia nas fronteiras da arquitetura, da filosofia e da arte). Tese de Doutorado. Programa de Pós- Graduação em Arquitetura. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. UFRGS, 2010.

SECRETARIA DA COMUNICAÇÃO SOCIAL E DA CULTURA. Patrimônio Cultural. Estação Ferroviária de Paranaguá. Disponível em: http://www.patrimoniocultural.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=191%20Acesso%20em%20Fevereiro%20de%202020. Acesso em Novembro de 2019.

WILKE, Erick Pusch. Dos fatores limitantes ao desenvolvimento sustentável: Alternativas planejadas para o turismo em Paranaguá, PR.2006. Dissertação (Mestrado em Cultura e Turismo) – Universidade Federal da Bahia.

Publicado

2020-10-27

Como Citar

Tonet Damas, M., & Cristina Bettega, M. . (2020). Transformação X Abandono: Um olhar sobre a Estação Ferroviária de Paranaguá, Paraná. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 8(15), 100 - 112. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.31574

Edição

Seção

Artigos

Most read articles by the same author(s)