Compreensão de professores sobre tarefas de ensino de língua estrangeira em um Centro Interescolar de Línguas público

Autores

  • Ana Lucia Ferreira de Morais Universidade de Brasília
  • Vanessa Borges-Almeida Universidade de Brasília

Palavras-chave:

tarefas de ensino de língua estrangeira; crenças sobre tarefas de ensino de língua estrangeira.

Resumo

Esta pesquisa busca identificar como as tarefas são compreendidas em um centro de línguas público. Trata-se de um estudo de caso intrínseco de métodos mistos de cunho interpretativista desenvolvido junto a seis professores de língua, com dados coletados por meio de análise documental, questionário e entrevistas. A análise foi conduzida baseada no método de análise de conteúdo (BARDIN,1979) utilizando-se categorias de análise, triangulação e a perspectiva da pesquisadora. Realizou-se a pesquisa considerando o direcionamento teórico sobre a definição de tarefas de língua elaborada por Willis e Willis (2007) e a definição de crenças elaborada por Barcelos (2007). Os resultados permitiram a identificação de uma percepção multifacetada de tarefas no contexto pesquisado, mais distante da teoria que o esperado, mas que serve como diagnóstico que pode auxiliar ações promotoras da construção de conhecimento sobre o uso de tarefas no ensino de língua estrangeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, G.A; FREITAS, G.M. da S; SILVA, J.A.P. A hipótese do filtro afetivo e o constructo da motivação na aquisição de segunda língua: uma retomada crítica. Entrepalavras, Fortaleza, v.9, n. 2, 2019.

BACHMAN, L. F.; PALMER, A. Language testing in practice: designing and developing useful language tests. Oxford: Oxford University Press, 1996.

BARALT, M. Becoming a task-based teacher educator: a case study. In: SAMUDA, V.; VAN DEN BRANDEN, K.; BYGATE, M. (Ed). TBLT as a researched pedagogy. Philadelphia: John Benjamins, 2018. cap.10.

BARCELOS, A. M. F. Crenças sobre aprendizagem de línguas, Linguística Aplicada e ensino de línguas (Beliefs on language learning, Applied Linguistics and language teaching). Linguagem & Ensino, v. 7, n. 1, p. 123-156, 2004.

BARCELOS, A M. Reflexões acerca da mudança de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.7, n. 2, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Obra originalmente publicada sob o título L’analyse de contenu. Presses Universitaires de France, 1977. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Publicação brasileira Martins Fontes, 1979.

BYGATE, M. I. TBLT Through the lens of applied linguistics: engaging with real world of the classroom. International Journal of Applied Linguistics, v. 167, n. 1, John Benjamins Publishing Company, 2016.

CARLOMAGNO, M. C.; ROCHA, L. C de. Como criar e classificar categorias para fazer análise de conteúdo: uma questão metodológica. Revista Eletrônica de Ciência Política, v. 7, n. 1, p. 173-188, 2016. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/politica/article/view/45771/28756. Acesso em: 30 de jan. 2022

DAMASCO, D. G. de B. WELLER, W. Centros Interescolares de Línguas no Distrito Federal uma experiência singular no Brasil. Revista Com Censo #9. V, 4. N, 2. Maio de 2017.

DÖRNYEI, Z. Research methods in Applied Linguistics: quantitative, qualitative and mixed methods. Madrid: Oxford University Press, 2007.

ELLIS, R. Task-based language teaching and learning. Oxford, Oxford University Press, 2003.

FERNANDES, S. B.; PEREIRA, S. M. Projeto político-pedagógico: Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 3, 2018.

GUEDES, R. de O. Relações entre autenticidade e motivação no desenvolvimento da produção escrita por jovens aprendizes de língua estrangeira (inglês), a partir do gênero notícias de jornal. 2011. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/10436/DissROG.pdf?sequence=1&isAllowed=y . Acesso em: 16 mar. 2022.

JANOWSKA, I. Tarefa: Um conceito-chave da perspectiva acional. Tradução Eduardo Nadalin e José Carlos Moreira, Universidade Federal do Paraná, In: Dossiê especial: didática sem fronteiras (orgs.) CHEREM, RAMMÉ, PEDRA & OLMO. Revista X, vol.2, p. 59-77, 2014.

LAKATOS, E. M. MARCONI, M. de A. Fundamentos da metodologia científica. 5ª edição, São Paulo. Atlas, 2003.

LONG, M.H. Focus on form in task-based language teaching. Annual McGraw-Hill Teleconference in Second Language Teaching, 1997. http://www.mhhe.com/socscience/foreignlang/top.htm

LONG, M. Second Language Acquisition and Task based Language Teaching. West Sussex. Editora John Wiley and Sons, 2015.

MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. 5ª ed.- 6a reimpressão. São Paulo. Editora Ática, 2003.

MARCUSCHI, L. A. Da Fala para a escrita: atividades de retextualização. 10ª edição. São Paulo. Cortez, 2010.

MARIANO, M. L. S.; OLIVEIRA, K. L. DE; INÁCIO, A. L. M. Motivação para aprender no ensino médio: uma análise com professores e alunos. Argumentos Pró-Educação, v. 4, n. 12, 2019.

MARTINS, G. A. Estudo de caso: uma estratégia de pesquisa. 2ª ed. - 2ª reimpressão. São Paulo. Atlas, 2008.

MELO, S. A. O. Avaliação das aprendizagens: entre a formal e a informal. 2013. 39 f. Monografia (Especialização em Coordenação Pedagógica) – Universidade de Brasília, Brasília, 2013. Disponível em:https://bdm.unb.br/bitstream/10483/8854/1/2013_SolangeAmorimOzorioMelo.pdf.

Acesso em: 12 fev. 2022.

MERRIAM, S.B. Qualitative research a guide to design and implementation. São Francisco. Jossey-Bass, 2009.

MORAIS. A. L. F. de. A tarefa de usar tarefas: práticas avaliativas em um Centro Interescolar de Línguas público. Dissertação, 2022. (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2022.

NUNAN, D. Task based language teaching. Cambridge. Cambridge University Press, 2004.

OLIVER, R. BOGACHENKO. Teacher perceptions and use of tasks in school ESL classrooms. In SAMUDA, V; VAN DEN BRANDEN, K. BYGATE, M. (ed). TBLT as a researched pedagogy. Philadelphia: John Benjamins, 2018. cap.3.

O QUE é Inconsciente Coletivo para Jung? Psicanaliseclinica.com., 27 maio 2019. Disponível em: https://www.psicanaliseclinica.com/inconsciente-coletivo-jung/. Acesso em: 09 jun. 2022.

PAJARES, M. F. Teacher’s Belief and Educational research: Cleaning Up a Messy Construct. Review of Educational Research, v. 62, n. 3, p. 307-332, 1992.

PASSOS, S. C. No meio do caminho tinha uma pedra: o ensino comunicativo baseado em temas e tarefas e suas implicações no uso de materiais didáticos diversificados em um Centro de Línguas do Distrito Federal. 2019. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

PRATES, E. A. R.; JOLY, M. C. R. A. Motivação e aprendizagem autorregulada. Latin American Journal of Development, v. 3, n. 5, 2021.

PPP, Projeto Político Pedagógico. Centro Interescolar de Línguas de Brazlândia, 2018.

PPP, Projeto Político Pedagógico. Centro Interescolar de Línguas de Brazlândia, 2019.

PPP, Projeto Político Pedagógico. Centro Interescolar de Línguas de Brazlândia, 2020.

PPP, Projeto Político Pedagógico. Centro Interescolar de Línguas de Brazlândia, 2021.

RENÓ, A. F. S. Manos a la obra: o uso de enfoque por tarefas para a promoção da motivação e da autonomia em um curso de Letras Espanhol. 2015, Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

SCHWANDT, T. A. Três posturas epistemológicas para investigação qualitativa: interpretativismo, hermenêutica e construcionismo social in DENZIN, N. K. LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Tradução: Sandra Regina Netz. Porto Alegre, Artmed, 2006.

SILVA, K. A. Crenças e aglomerados de crenças de alunos ingressantes em Letras (Inglês). Dissertação 2005. (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, Campinas, 2005.

SILVA, K.A. Crenças sobre o ensino e aprendizagem de línguas na Linguística Aplicada: um panorama histórico dos estudos realizados no contexto brasileiro. Linguagem & Ensino, v.10, n.1, 2007.

SKEHAN, P. Task-based instruction. Lang. Teach. 36, London: Cambridge University Press, 2003.

SKEHAN, P.; FOSTER, P. Cognition and Tasks. In: ROBINSON, P. Cognition and Second language Instructions. 3 ed. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2007. cap. 7.

STAKE, R. E. The art of case study. California: SAGE Publications, 1995.

STEVENS, D. D.; LEVI, A. Introduction to rubrics: an assessment tool to save grading time, convey effective feedback, and promote student learning. Canada: Stylus, 2005.

WILLIS, D.; WILLIS, J. Doing task-based Teaching. New York: Oxford University Press, 2007.

WILLIS, J. A framework for task-based learning. London: Longman, 1996.

Downloads

Publicado

10-04-2023

Como Citar

MORAIS, Ana Lucia Ferreira de; BORGES-ALMEIDA, Vanessa. Compreensão de professores sobre tarefas de ensino de língua estrangeira em um Centro Interescolar de Línguas público. Revista Desempenho, [S. l.], v. 1, n. 33, p. 41–67, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rd/article/view/44467. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.