Paisagem cultural e políticas públicas do Patrimônio Mundial no Brasil (2012-2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/patryter.v4i7.30394

Palavras-chave:

Patrimônio Mundial. paisagem cultural. políticas públicas. narrativas. memória.

Resumo

O conceito de paisagem cultural, historicamente associado à ciência geográfica, foi interpretado como uma tipologia do Patrimônio Mundial e incorporado pelo Comitê da UNESCO em 1992. O artigo objetiva a compreensão deste conceito e das tipologias dele derivadas e operadas pela UNESCO, nos dois casos ocorridos no Brasil: “Rio de Janeiro: paisagens cariocas entre o mar e a montanha” e “Conjunto Moderno da Pampulha”. Após a análise dos dossiês de candidatura ao título de Patrimônio Mundial foi possível identificar os usos da memória e as construções narrativas derivados da confluência do conceito de paisagem cultural e das políticas públicas dos campos do patrimônio brasileiro e mundial. O resultado são os discursos que consagraram esses dois sítios brasileiros como paisagens culturais excepcionais, mundialmente reconhecidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Civale, Universidade Federal de Viçosa, UFV

Professor doutor da UFV

Walkiria Maria Freitas Martins, Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF

Professora do Colégio de Aplicação João XXIII, UFJF

Referências

Besse, J-M. (2006). Ver a Terra: seis ensaios sobre a paisagem e a geografia. São Paulo: Perspectiva.

Besse, J-M. (2014). O Gosto do Mundo: exercícios de paisagem. Rio de Janeiro: EdUERJ.

Borttoloto, C. (2011). A salvaguarda do patrimônio cultural imaterial na implementação da Convenção da Unesco de 2003. Revista Memória em Rede, 2 (4), 7-17. Recuperado em 21 de julho de 2019, https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Memoria/article/view/9532.

Braudel, F. (2011). L’ Identité de La France. Paris: Flammarion.

Capel, H. (1983). Filosofía y ciencia en la geografía contemporánea. Barcelona: Barcanova, S.A.

Certeau, M. (1994). A Invenção do Cotidiano. Petrópolis: Vozes.

Conseil de l’ Europe. (2000). European Landscape Convention and reference documents. Recuperado em 21 de julho de 2020, https://rm.coe.int/CoERMPublicCommonSearchServices/DisplayDCTMContent?documentId=09000016802f80c6.

Cosgrove, D. (1998). A geografia está em toda parte. Cultura e simbolismo nas paisagens humanas. In R. L. Correa & Z. Rosendahl (Orgs.) (Ed.). Paisagem, Tempo e Cultura (pp. 92-123). Rio de Janeiro: EDUERJ.

Holanda, S. B. (1995). Raízes do Brasil. São Paulo: Cia. das Letras.

Iphan. (2012). Dossiê de candidatura do Rio de Janeiro: paisagens cariocas entre a montanha e o mar. Recuperado em 21 de julho de 2020, http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Dossi%C3%AA%20portugu%C3%AAs%2028%20mar%C3%A7o%202011%20RJ.pdf.

Iphan. (2016). Dossiê de candidatura do Conjunto Moderno da Pampulha: candidato a Patrimônio Cultural da Humanidade. Recuperado em 21 de julho de 2020, http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/FMC_dossie_conjunto_moderno_%20da_pampulha.pdf.

Lowenthal, D. (2008). Passage du temps sur le paysage. Paris: Editeur INFOLIO.

Martin, O. & Piatti, G. (Ed.). (2008). World Heritage and buffer zones. International Expert Meeting on World Heritage and buffer zones. Recuperado em 21 de julho de 2020, https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000181966.

Meneses, U. (1999). A paisagem como fato cultural. In E., Yazigi (Ed.). Turismo e Paisagem (pp. 29-64). São Paulo: Contexto.

Ribeiro, R. W. (2007). Paisagem Cultural e patrimônio [Versão eletrônica]. Rio de Janeiro: IPHAN/COPEDOC. Recuperado em 21 de julho de 2020, http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/SerPesDoc1_PaisagemCultural_m.pdf.

Schama, S. (1996). Paisagem e memória. São Paulo: Companhia das Letras.

Unesco. (1972). Convenção para a proteção do patrimônio mundial, cultural e natural. Recuperado em 21 de julho de 2020, https://whc.unesco.org/archive/convention-pt.pdf.

Unesco. (1994). Operational Guidelines for the Implementation of the World Heritage Convention. Recuperado em 21 de julho de 2020, https://whc.unesco.org/en/guidelines/.

Unesco. (2016). Évaluations des propositions d’inscription de biens mixtes et culturels sur la Liste du patrimoine mondial. Rapport de l’ICOMOS pour le Comité du patrimoine mondial - 40e session ordinaire, Istanbul, 10-20 juillet 2016, (pp. 97-112). Recuperado em 21 de julho de 2020, https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000245912_fre?posInSet=2&queryId=f2b01c0e-334e-4917-8536-70813daee0b8.

Downloads

Publicado

27-02-2021

Como Citar

Civale, L., & Martins, W. M. F. (2021). Paisagem cultural e políticas públicas do Patrimônio Mundial no Brasil (2012-2019). PatryTer, 4(7), 90–106. https://doi.org/10.26512/patryter.v4i7.30394

Edição

Seção

Artigos