Direitos humanos e ética da libertação

Pretensão política de justiça e a luta pelo reconhecimento dos novos direitos

Autores

  • Enrique Dussel Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgncia.v1i1.18800

Palavras-chave:

Direitos humanos. ética da libertação. justiça. novos direitos. novos movimentos sociais.

Resumo

O presente ensaio, inserido em um horizonte de construção de uma ética da libertação e de uma filosofia política crítica, pretende analisar a historicidade dos direitos humanos e sua importância na seara das instituições políticas vigentes. A partir de uma pretensão política de justiça, toma-se em conta o sistema do direito em sua contínua tensão entre o vigente e não vigente, abrindo espaço para que os novos movimentos sociais, em suas reivindicações, conquistem novos direitos, superando sua exclusão no âmbito formal. Assim, configura-se uma luta por reconhecimento dos sem-direitos a partir da sociedade civil, modificando as estruturas estatais.

Referências

DUSSEL, Enrique Domingo. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. Tradução de Ephraim F. Alves, Jaime A. Clasen e Lúcia M. E. Orth. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

_____. Hacia una filosofía política crítica. 2 ed. Bilbao: Desclée de Brouwer, 2011, p. 145-157.

Downloads

Publicado

06.11.2018

Como Citar

DUSSEL, Enrique. Direitos humanos e ética da libertação: Pretensão política de justiça e a luta pelo reconhecimento dos novos direitos. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 1, n. 1, p. 121–136, 2018. DOI: 10.26512/insurgncia.v1i1.18800. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/18800. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.