Projetos de Ciência Cidadã em Acesso Aberto: uma (não) realidade em Portugal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rici.v15.n2.2022.40436

Palavras-chave:

Ciência Aberta, Ciência Cidadã, Portugal, Participação cidadã, Comunidades locais, Dados Abertos

Resumo

A Ciência Cidadã, enquanto princípio subjacente à Ciência Aberta, pressupõe o envolvimento dos cidadãos e da sociedade na utilização, no escrutínio e na produção de ciência, e caracteriza-se pela participação de amadores ou não-cientistas na construção do conhecimento científico, potenciada pela crescente utilização de tecnologias de informação e comunicação e redes sociais. Os dados recolhidos e os metadados resultantes destes projetos são naturalmente disponibilizados publicamente e publicados em acesso aberto. A partir da informação recolhida em diferentes plataformas da Internet foram identificados projetos em Portugal, nas áreas das Ciências Sociais e Humanas e das Ciências Naturais, que se desenvolvem de acordo com o espírito colaborativo e de envolvimento das comunidades locais e dos cidadãos em geral. O objetivo, para além da identificação dos referidos projetos, é analisar, do ponto de vista quantitativo, as práticas de Acesso Aberto, nomeadamente, a disponibilização e publicação de conteúdos em acesso aberto, dados de investigação abertos (acesso e reutilização), existência de repositórios digitais, gestão de dados e participação em projetos internacionais. Conclui-se que são escassos os projetos verdadeiramente de Ciência Cidadã, embora a colaboração das comunidades e dos cidadãos na construção colaborativa do conhecimento seja crescente, e ainda mais raros aqueles que disponibilizam dados em acesso aberto, para posterior reutilização. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luísa Alvim, Universidade de Évora, CIDEHUS, Évora, Portugal

Doutora em Ciências da Informação e Documentação pela Universidade de Évora (2016) com a investigação intitulada A Missão Social da Biblioteca Pública: uma visão das bibliotecas públicas portuguesas a partir do Facebook. Mestre em Ciência da Informação (2011). Pós-graduada em Ciências Documentais (1992). Licenciada em Filosofia (1985). Investigadora do CIDEHUS - Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora.

Ana Margarida Dias da Silva, Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, Coimbra, Portugal

Ana Margarida Dias da Silva, arquivista desde 2004, tem trabalhado em arquivos públicos e privados. É técnica superior no Arquivo do Departamento das Ciências da Vida da Universidade de Coimbra. Aluna do doutoramento em Ciência da Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mestre em Ciência da Informação e Documentação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (2013) e mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (2014). A sua dissertação de mestrado O uso da Internet e da Web 2.0 na difusão e acesso à informação arquivística: o caso dos arquivos municipais portugueses venceu o 1º Prémio Olga Gallego de Investigación en Archivos (2015).

Principais áreas de interesse e investigação: Ciência da Informação; Arquivística; Organização e Representação da Informação; Comunicação da Informação; Instituições de Memória; Crowdsourcing; Ciência Cidadã; Arquivos pessoais e familiares; História Social; História religiosa.

Referências

AGÊNCIA PORTUGUESA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AMA. Dados.gov.pt. 2016. Disponível em: http://www.dados.gov.pt/pt/inicio/inicio.aspx#sthash.1xWtAJo9.dpbs. Acesso em: 2 abril 2021.

AGÊNCIA PORTUGUESA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AMA. Guia Dados Abertos. 2016. Disponível em: https://www.ama.gov.pt/documents/24077/24804/guia_dados_abertos_ama.pdf/aa97d8e8-c5fe-47ab-9500-734948c02b19. Acesso em: 2 abril 2021.

BERLIN DECLARATION ON OPEN ACCESS TO KNOWLEDGE IN THE SCIENCES AND HUMANITIES. Berlin, 2013. Disponível em: https://openaccess.mpg.de/Berliner-Erklaerung. Acesso em: 2 abril 2021.

BETHESDA STATEMENT ON OPEN ACCESS PUBLISHING. Chevy Chase, MD., 2003. Disponível em: http://legacy.earlham.edu/~peters/fos/bethesda.htm. Acesso em: 2 abril 2021.

BORGES, M. M.: SANZ-CASADO, E. (coord.). Sob a Lente da Ciência Aberta: Olhares de Portugal, Espanha e Brasil. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2021. Disponível em: http://monographs.uc.pt/iuc/catalog/download/184/374/679-1?inline=1. Acesso em: 2 abril 2021.

BRABHAM, D. C. Crowdsourcing do Processo de Participação Pública para Projetos de Planejamento. Teoria do planejamento, v. 8, p. 242-262, 2009. DOI: 10.1177/1473095209104824.

BUDAPEST OPEN ACESS INNIATIVE ORGANIZATION. Budapest Open Access Initiative. Budapest. 2002. Disponível em: http://www.budapestopenaccessinitiative.org/. Acesso em: 2 abril 2021.

CC.pt. Rede Portuguesa de Ciência Cidadã. 2021. Disponível em: https://www.cienciacidada.pt/148/Rede-Portuguesa-de-Ciencia-Cidada-%7C-CC-pt. Acesso em: 2 abril 2021.

COMISSÃO EUROPEIA. White Paper on Citizen Science. Disponível em Comissão Europeia, 2014. Disponível em: https://ec.europa.eu/futurium/en/system/files/ged/socientize_white_paper_on_citize%20n_science.pdf. Acesso em: 2 abril 2021.

COMISSÃO ORGANIZADORA DO 2O ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA CIDADÃ. Panorama da Ciência Cidadã em Portugal. Relatório do 2o Encontro Nacional de Ciência Cidadã. Lisboa, 2019.

EUROPEAN CITIZEN SCIENCE ASSOCIATION ECSA. Dez princípios da ciência cidadã. European Citizen Science Association, 2015. Disponível em: https://ecsa.citizen-science.net/wp-content/uploads/2021/05/ECSA_Ten_principles_of_CS_Portuguese.pdf. Acesso em: 2 abril 2021.

EUROPEAN CITIZEN SCIENCE ASSOCIATION ECSA. The ECSA Characteristics of Citizen Science. 2020. Disponível em: https://zenodo.org/communities/citscicharacteristics?page=1&size=20. Acesso em: 2 abril 2021.

ELLIOTT, K. C.; ROSENBERG, J. Philosophical Foundations for Citizen Science. Citizen Science: Theory and Practice, v. 4,n. 1, p. 9, 2019.

ESTELLÉS-AROLAS, E.; GONZÁLEZ-LADRÓN-DE-GUEVA, F. Towards an integrated crowdsourcing definition. Journal of Information Science, v. 32, n. 2, p. 189-200, 2012. Disponível em: https://riunet.upv.es/bitstream/handle/10251/56904/Towards%20an%20integrating%20crowdsourcing%20definition%20-%20Enrique%20Estell%E9s%20%20Fernando%20Gonz%E1lez_.pdf;jsessionid=708B1949A6848D8F64BEBF7F57AB7248?sequence=3. Acesso em: 2 abril 2021.

EUROPEAN COMMISSION. Green paper on citizen science. 2013. Disponível em: https://digital-strategy.ec.europa.eu/en/library/green-paper-citizen-science-europe-towards-society-empowered-citizens-and-enhanced-research. Acesso em: 2 abril 2021.

FOLLET, R., & STREZOV, V. An Analysis of Citizen Science Based Research: Usage and Publication Patterns. PLoS ONE, v. 10, n. 1, 2015. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0143687. Acesso em: 2 abril 2021.

FOSTER. Open Science Definition. 2018. Disponível em: https://www.fosteropenscience.eu/foster-taxonomy/open-science-definition. Acesso em: 2 abril 2021.

LAMB, C. Open access publishing: opportunity or threat to scholarly and academic publishers? Learned Publishing, v. 17, n. 2, p. 143–150, 2004. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1087/095315104322958526/epdf. Acesso em: 2 abril 2021.

MEMÓRIA PARA TODOS. Workshop Memória para Todos História Pública e práticas colaborativas. 2020. Disponível em: https://memoriaparatodos.pt/. Acesso em: 2 abril 2021.

OBERG, J. The failure of the ‘science’ of UFOlogy. New Scientist, 84(1176), p. 102–105, 1979.

PORTUGAL. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. FCT. 1.º Encontro Nacional de Ciência Cidadã. 2017. Disponível em: https://www.ciencia-aberta.pt/ciencia-cidada. Acesso em: 2 abril 2021.

PORTUGAL. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. FCT. 2.º Encontro Nacional de Ciência Cidadã. 2019. Disponível em: https://www.cienciacidada.pt/encontrocc2019/. Acesso em: 2 abril 2021.

PORTUGAL. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. Princípios orientadores Ciência Aberta. 2016. Disponível em: https://www.ciencia-aberta.pt/principios-orientadores. Acesso em: 2 abril 2021.

RIESCH, H.; POTTER, C. Citizen science as seen by scientists: Methodological, epistemological and ethical dimensions. Public Understanding of Science, v. 23, n. 1, p. 107–120, 2014.

ROHDEN, F., et al. Tagging, Pinging and Linking – User Roles in Virtual Citizen Science Forums. Citizen Science: Theory and Practice, v. 4, n. 1, p. 1–13, 2019.

ROBINSON, L. D., CAWTHRAY, J. L., WEST, S. E., BONN, A.; ANSINE, J. Ten principles of citizen science. In: Citizen Science: Innovation in Open Science, Society and Policy, UCL Press, p. 27–40, 2018.

SILVA, A. M. D. da; BORGES, L.C . A transcrição e a leitura de manuscritos entre o crowdsourcing e a participação cidadã. Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Fundão, 2018 Disponível em: https://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/1792. Acesso em: 2 abril 2021.

SILVA, A. M. D. da, BORGES, L. C.; ALVIM, L. Dados abertos e Ciência Cidadã em Instituições de Memória. Páginas a&b, 3aSérie (Especial), p. 92–98, 2021. Disponível em: https://ojs.letras.up.pt/index.php/paginasaeb/article/view/10153. Acesso em: 2 abril 2021.

SUBER, P. Open access overview. 2004. Disponível em: http://legacy.earlham.edu/~peters/fos/overview.htm. Acesso em: 2 abril 2021.

VICENTE-SAEZ, R., & MARTINEZ-FUENTES, C. Open Science now: A Systematic literature review for an integrated definition. Journal of Business Research, v. 88, Serie C, p. 428-436, 2018.

VOHLAND, K., et al. Citizen Science and the Neoliberal Transformation of Science – an Ambivalent Relationship. Citizen Science: Theory and Practice, v. 41, n. 1, p. 1–9, 2019. Disponível em: https://theoryandpractice.citizenscienceassociation.org/articles/10.5334/cstp.186/. Acesso em: 2 abril 2021.

Downloads

Publicado

2022-08-22

Como Citar

Alvim, L., & Silva, A. M. D. da. (2022). Projetos de Ciência Cidadã em Acesso Aberto: uma (não) realidade em Portugal. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 15(2), 572–591. https://doi.org/10.26512/rici.v15.n2.2022.40436

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.