Abuso sexual

infância, relações sociais e patriarcado

Palavras-chave: Abuso sexual, Infância, Patriarcado, Rede Protecão Sexual

Resumo

Este artigo apresenta o fenômeno da violência sexual infantil com recorte para o abuso sexual atrelado ao processo de construção das relações sociais, gênero e patriarcado dado à formação sócio-histórica da infância na conjuntura das sociedades, no patriarcado como sistema de opressão e dominação, de apropriação e poder dos corpos, na inferiorização da criança. Apresenta o Sistema de Garantia de Direitos no enfrentamento à violência sexual na infância, os desafios da rede de proteção social para o atendimento integral da criança e sua família neste contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARIES, P. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro, Editora Zabar, 1978.

BRASIL. Constituição Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1998.

_______. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal no 8.069/1990, Imprensa Oficial, CONDECA, 2000.

________. Dos Crimes Contra a Dignidade Sexual. Lei no 12.015/2009. Brasília-DF: Presidência da República, 2009.

________. Boletim Epidemiológico. Análise epidemiológica da violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil, 2011 a 2017. Secretaria de Vigilância em Saúde. Ministério da Saúde. Volume 49. Jun. 2018. Disponível em:<http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/junho/25/2018-024.pdf>. Acesso em: 04/07/2019.

DEL PRIORI, Mary Del. História da infância no Brasil. 4a edição. São Paulo: Editora Contexto, 2004.

________. História das Crianças no Brasil. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

CISNE, Mirla; SANTOS, Silvana Mara Morais dos. Feminismo, Diversidade Sexual e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2018.

DAVIS, Ângela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

FALEIROS, Vicente de Paula; FALEIROS, Eva Teresina Silveira. Circuito e curtos-circuitos: atendimento, defesa e responsabilização do abuso sexual contra crianças e adolescentes. São Paulo: Veras Editora, 2001.

FALEIROS, Eva T. Silveira. A Exploração sexual comercial de crianças e de adolescentes no mercado do sexo. In: A exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil: reflexões teóricas, relatos de pesquisa e intervenções psicossociais. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

FROTA, Ana Maria Monte Coelho. Diferentes concepções da infância e adolescência: a importância da historicidade para sua construção. Estudos e Pesquisas em Psicologia. UERJ: Rio de Janeiro. Ano 7, no 1., 1o Semestre de 2007.

KHULMANN Jr. M. Infância e educação infantil – uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LEAL, Maria Lúcia Pinto. A mobilização das ONGs no enfrentamento à exploração sexual comercial de crianças e adolescentes no Brasil. Brasília-DF: Editora Universidade de Brasília, 2014.

MOREIRA, Maria Ignez Costa; SOUSA, Sônia Margarida Gomes. Violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes: do espaço privado à cena pública. In: O Social em Questão – Ano XV – no 28. GO: PUC-GO, 2012.

NOGUEIRA NETO, Wanderlino. O Sistema de Garantia de Direitos das Crianças e Adolescentes no Brasil – Um estudo analítico. Disponível em: <http://www.conselhodacrianca.al.gov.br/sala-de-imprensa/eventos/conferencias-da-crianca-2011/orienta-

coes-das-conferencias-2011/sistemaGarantia.pdf/at_download/file>. 2011.

ONU-UNICEF. Declaração Universal dos Direitos da Criança. 1959.

SAFFIOTI, Heleieth, I. B. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987. (Coleção Polêmica).

________. A transgressão do tabu do incesto. Relatório apresentado ao CNPq, 96 p. Apoio: CNPq. 1992.

________. Gênero, Patriarcado e Violência. São Paulo: Perseu Abramo, 2011.

STEARNS, Peter N. A infância. São Paulo: Contexto, 2006.

YAZBEK, Maria Carmelita. Sistemas de Proteção Social, Intersetorialidade e Integração de Políticas Sociais. In: A Intersetorialidade na agenda das Políticas Sociais. Campinas-SP: Papel Social, 2014.

Publicado
2019-06-30
Como Citar
ChabanL. (2019). Abuso sexual. Revista Do CEAM, 5(1), 125-136. https://doi.org/10.5281/zenodo.3362480