Mudanças climáticas, riscos e adaptação na megacidade de São Paulo, Brasil

Autores

  • Gabriela Marques Di Giulio Docente do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo
  • Ana Maria Bedran-Martins Doutora em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo – São Paulo – SP, Brasil
  • Maria da Penha Vasconcellos
  • Wagner Costa Ribeiro docente do Departamento de Geografia, Universidade de São Paulo – São Paulo – SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18472/SustDeb.v8n2.2017.19868

Palavras-chave:

Mudanças Climáticas, Adaptação, Capacidade Adaptativa, Risco, Megacidade, São Paulo

Resumo

O artigo discute resultados de uma pesquisa sobre a experiência em curso da megacidade de São Paulo relacionada a questões climáticas. Dialogando com a literatura e tendo como base estudo realizado entre 2014 e 2015, reflete sobre o papel do poder local no processo de buscar sinergias entre adaptação, mitigação e desenvolvimento por meio da experimentação. Os autores discutem ações implementadas em São Paulo com potencial para responder aos desafios climáticos, com foco nas intervenções que não estão diretamente associadas ao discurso climático. Exemplos dessas intervenções são as propostas do Plano Diretor e ações de mobilidade urbana adotadas na gestão municipal (2013-2016). Esses projetos e a adoção de uma agenda socioambiental podem se constituir como respostas às mudanças climáticas, promovendo sinergias entre adaptação e mitigação. Os autores concluem o artigo sinalizando desafios para a adaptação na capital paulista, considerando suas especificidades e complexidades nos planos econômico/político/social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Marques Di Giulio, Docente do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo

Professora Doutora - Departamento de Saúde Ambiental
Faculdade de Saúde Pública
Universidade de São Paulo

Maria da Penha Vasconcellos

docente do Departamento de Saúde Ambiental, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo – São Paulo – SP, Brasil

Referências

AMBRIZZI, T. et al. Sumário Executivo do Volume 1 – Base Científica das Mudanças Climáticas. Contribuição do Grupo de Trabalho 1 para o 1º Relatório de Avaliação Nacional do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas. PBMC, Rio de Janeiro, Brasil, 2012. 34p.

ANGUELOVSKI, I.; CARMIN, J. Something borrowed, everything new: innovation and institutionalization in urban climate governance. Current Opinion in Environmental Sustainability, vol. 3, n.3, p. 169-175, 2011.

BACK, A.G. Política paulistana de mudança climática: agenda-setting e desenvolvimento político-institucional. 2012. Acesso: http://www.anppas.org.br/encontro6/anais/ARQUIVOS/GT11-794-493-20120621193331.pdf

BARCLAY, P.; BASTONI, C.; EISENHAUER, D.; et al. Climate change adaptation in Great lakes Cities. University of Michigan Masters Capstone. 2013.

BASSEST, E.; SHANDAS, V. Innovation and climate action planning. Journal of the American Planning Association, v. 76, n. 4, p. 435-450, 2010.

BECK, U. The Cosmopolitan Society and its Enemies. Theory, Culture & Society, Vol. 19(1–2): 17–44, 2002.

BONDUKI, N. Plano Diretor de São Paulo não inviabiliza mercado imobiliário, mas regula a sua atuação. 2014. Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/opiniao/coluna/2014/06/16/plano-diretor-de-sao-paulo-nao-inviabiliza-mercado-imobiliario-mas-regula-a-sua-atuacao.htm>, acesso em 17/06/2014.

BUENO, L. M. M. A adaptação da cidade às mudanças climáticas: uma agenda de pesquisa e uma agenda política. In: Ojima, R.; Marandola Jr. E. Mudanças climáticas e as cidades: novos e antigos debates na busca da sustentabilidade urbana e social. São Paulo: Blucher, 2013.

BULKELEY, H, BROTO, V. “Government by Experiment? Global Cities and the Governing of Climate Change.” Transactions of the Institute of British Geographers, 38 (3): 361–75, 2013.

CARLOS, A.F.A. O espaço urbano. São Paulo: Contexto, 2004.

CARVALHO, S.A.D.; FURTADO, A.T. 2015. Os desafios da adaptação às mudanças climáticas globais. In: ClimaCom Cultura Científica - pesquisa, jornalismo e arte. In: ClimaCom Cultura Científica - pesquisa, jornalismo e arte, Ano 02, Número 02. Disponível em: http://climacom.mudancasclimaticas.net/?p=1927, acesso em 18/11/2015.

CLIMATE AND DEVELOPMENT KNOWLEDGE NETWORK. Gerenciando extremos climáticos e desastres na América Latina e no Caribe: Lições do relatório SREX vargas. 2012. Disponível em: <http://www.fapesp.br/ipccsrex/upload/SEX-Lessons-Portuguese-LAC.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2012.

COHEN, D.A. The Rationed City: The Politics of Water, Housing, and Land Use in Drought-Parched. Public Culture Volume 28, Number 2 79: 261-289, 2016.

COUTO, C.G. 2015. Fernando Haddad: a ousadia sem diálogo. Disponível em: http://politica.estadao.com.br/blogs/gestao-politica-e-sociedade/fernando-haddad-a-ousadia-sem-dialogo/, Acesso em: 16 ago. 2016.

DENTON, F.; WILBANKS, T.J.; ABEYSINGHE, A.C.; BURTON, I.; GAO, Q.; LEMOS, M.C.; MASUI, T.; O’BRIEN, K.O.; WARNER, K. Climate-resilient pathways: adaptation, mitigation, and sustainable development. In: Climate Change. 2014: Impacts, Adaptation, and Vulnerability. Part A: Global and Sectorial Aspects. Contribution of Working Group II to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change 2014. p. 1101-1131.

DI GIULIO, G.M.; VASCONCELLOS, M. P. Contribuições das Ciências Humanas para o debate sobre mudanças ambientais: um olhar sobre São Paulo. Estudos Avançados (USP. Impresso), v. 28, p. 41-63, 2014.

EAKIN, H., LEMOS, M.C.; NELSON, D. Differentiating capacities as a means to sustainable climate change adaptation. Global Environmental Change, 27: p. 1-8, 2014.

ECHEGARAY, F.; AFONSO, M.H.F. Respostas às mudanças climáticas: inovação tecnológica ou mudança de comportamento individual? Estud. av., São Paulo , v. 28, n. 82, dez. 2014 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142014000300010&lng=pt&nrm=iso>. acesso em 17 dez. 2014.

ENGLE, N.; LEMOS, M.C. Unpacking Governance: Building Adaptive Capacity to Climate Change of River Basins in Brazil. Global Environmental Change. 20: 4-13, 2010.

FERREIRA, L. C.; BARBI, F. The Challenge of Global Environmental Change in the Antropocene: an analyis of Brazil and China. Chinese Political Science Review, v. x, p. 1-13, 2016.

GIDDENS, A. The politics of climate change. Cambridge: Polity Press, 2009.

GIDDENS, A. Sociologia. 4ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2005

HOFFMANN, M.J. Climate governance at the crossroads: experimenting with a global response. New York: Oxford University Press, 2011.

HOGAN, D. (Org.) Dinâmica populacional e mudança ambiental: cenários para o desenvolvimento brasileiro. Núcleo de Estudos de População – Nepo. Campinas: Unicamp, 2007.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. IBGE, 2013.
INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE (IPCC). 2007. Working Group II – Climate Change Impacts, Adaptation and Vulnerability. United Kingdom: Crown.

INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE (IPCC). 2013. Summary for Policymakers. In: Stocker, T.F.; D. Qin, G.-K. Plattner, M. Tignor, S.K. et al. Climate Change 2013: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge, United Kingdom and New York, NY, USA: Cambridge University Press.

KASPERSON, J. X. et al. Vulnerability to Global Environmental Change. In: KASPERSON, J.; KASPERSON, R. The social contours of risk: publics, risk communication and the social amplification of risk. London: Earthscan, 2005. p. 245-85.

LEISEROWITZ, A. 2007/2008. Public Opinion, Perception, and Understanding of Global Climate Change. Human Development Report 2007/2008 - Fighting climate change: Human solidarity in a divided world. Human Development Report Office, 2007/2008. Disponível em: https://hdr.undp.org/en/reports/global/hdr2007-2008/papers/leiserowitz_anthony6.pdf, acesso em 24/01/2013.

LEISEROWITZ, A. et al. 2012. Public support for climate and energy policies in September, 2012. Yale University and George Mason University. New Haven, CT: Yale Project on Climate Change Communication.
LITRE, G.; BURSZTYN, M. Percepções e adaptação aos riscos climáticos e socioeconomicos na pecuária familiar do bioma pampa. Ambiente & Sociedade, São Paulo. v.XVIII, n.3.p.55-80.jul.-set. http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422ASOC668V1832015. 2015.

LOMBARDO, M.A. Ilha de Calor Nas Metropoles: e Exemplo de São Paulo. São Paulo: Hucited, 1985.

MARENGO, J. A., et al. "A seca e a crise hídrica de 2014-2015 em São Paulo." Revista USP 106 : 31-44, 2015.

NOBRE, C.A., MARENGO, J.A., SELUCHI, M.E., CUARTAS, L.A. AND ALVES, L.M. Some Characteristics and Impacts of the Drought and Water Crisis in Southeastern Brazil during 2014 and 2015. Journal of Water Resource and Protection, 8, 252-262, 2016. http://dx.doi.org/10.4236/jwarp.2016.82022.

ORESKES, N. 2007, “The scientific consensus on climate change: How do we know we’re not wrong?” In: Di Mento, J.F.C.; Doughman, P. (ed). Climate Change: What It Means for Us, Our Children, and Our Grandchildren. MIT Press, pp. 65-99.

PELLING, M.; HIGH, C. 2005. “Understanding Adaptation: What Can Social Capital Offer Assessments of Adaptive Capacity?” Global Environmental Change 15 (4): 308–19. Eakin, H., M.

RENN, O. 2011. The social amplification/attenuation of risk framework: application to climate change. Wires Climate Change, v. 2, 144-169.

RIBEIRO, W. C. Geografia política e gestão internacional dos recursos naturais. Estudos Avançados, v.24, n. 68, São Paulo, 2010. p.69-80, disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142010000100008.

SETZER, J.; MACEDO, L.V.; REI, F. Combining local and transnational action in adaptation of climate policies in the city of São Paulo. In: Johnson, C. et al. The urban climate challenge: rethinking the role of cities in the global climate regime, p. 101-118, 2015.

TORRES, R.R. Qual é o conhecimento disponível hoje e quais informações ainda faltam para São Paulo. Dezembro/2016. In: DI GIULIO, G.M. et al. Relatório Técnico-Científico Workshop Mudanças climáticas e o processo decisório na megacidade de São Paulo: análise das discussões promovidas, 2016-2017.

UITTENBROEK, C.J. et al. 2014. Political commitment in organising municipal responses to climate adaptation: the dedicated approach versus the mainstreaming approach. Environmental Politics, 26: 6, 1043-1063.

VIOLA, E., AND M. FRANCHINI. Climate politics in Brazil: public awareness, social transformations and emissions reduction. In: Bailey, I; Compston, H. Feeling the heat: the politics of climate policy in rapidly industrializing countries. Hampshire: Palgrave. P. 175-201, 2012.

WEBER, E. U. What shape perceptions of climate change? Wires Climate Change, v.1, p. 332-342, 2010.

WISE, R.M. et al. Reconceptualising adaptation to climate change as part of pathways of change and response. Global Environmental Change, 28: 325-336, 2014.

WISNIK, G. A virada civilizatória de Haddad. 2014. Disponível em: <http://tools.folha.com.br/print?site=emcimadahora&url=http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/09/1521429-guilherme-wisnik-a-agenda-de-haddad-para-o-futuro.shtml>, acesso em 20/10/2014.

Publicado

2018-10-04

Como Citar

Di Giulio, G. M., Bedran-Martins, A. M., Vasconcellos, M. da P., & Ribeiro, W. C. (2018). Mudanças climáticas, riscos e adaptação na megacidade de São Paulo, Brasil. Sustentabilidade Em Debate, 8(2), 75 - 87. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v8n2.2017.19868

Edição

Seção

Artigos