Poética da cidade em Carlos Drummond de Andrade

(Brejo das Almas)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/patryter.v4i8.31245

Palavras-chave:

Drummond. Brejo das Almas. Modernidade. cidade. geografia. literatura.

Resumo

Este artigo se insere nos estudos que relacionam geografia e literatura e tem como objetivo analisar a segunda obra de poemas de Carlos Drummond de Andrade, “Brejo das Almas”, publicada em 1934, sob a ótica da vivência urbana na modernidade. Para tanto, analisamos as características geográficas da cidade de Brejo das Almas (atualmente Francisco Sá) por meio dos dados de recenseamento e confrontamos sua realidade objetiva com a expressão subjetiva do autor. Buscamos, assim, ir além do conceito de representação, que se limita a uma compilação ou descrição do espaço contido na obra. Procuramos lançar, desta maneira, um olhar “geo-literário” sobre o interior mineiro a partir da obra de Drummond, entendendo a obra literária e o espaço geográfico como uma totalidade. Encontramos na poesia de Drummond sobre o interior de Minas a força das contradições da modernidade e em Brejo das Almas o mote de uma expressão poética que integra o espaço urbano como dimensão da existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Felipe Cabañas da Silva, Universidade de Sao Paulo, USP, Brasil

Doutor e mestre em Geografia Humana pela USP

Referências

Adorno, T. (2003). Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades/Editora 34.

Andrade, C. (2002). Alguma Poesia. Rio de Janeiro: Record.

Andrade, C. (2013). Brejo das Almas. São Paulo: Companhia das Letras.

Azevedo, A. (1992). Vilas e cidades do Brasil colonial: ensaio de geografia urbana retrospectiva. Terra Livre, 10, 23-78. https://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/article/view/113/111

Baudelaire, B. (1985). As flores do mal. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Baudelaire, B. (2006). Les fleurs du mal. Paris: Pocket.

Baudelaire, B. (2010). O esplim de Paris: pequenos poemas em prosa. São Paulo: Martin Claret.

Berman, M. (2007). Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras.

Bauman, Z. (1998). O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2004). Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Brosseau, M. (1996). Des romans géographes. Paris: L’harmattan.

Camilo, V. (2000). Uma poética da indecisão: Brejo das Almas. Novos Estudos CEBRAP, 57, 37-58. http://novosestudos.uol.com.br/produto/edicao-57/

Cândido, A. (2011). Inquietudes na poesia de Drummond. In A. Candido. Vários Escritos (pp. 69-99). Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul.

Corrêa, R. (1980). Da Nova Geografia à Geografia Nova. Revista de Cultura Vozes. Geografia e sociedade: os novos rumos do pensamento geográfico, 74(LXXIV), 5-12. Petrópolis: Vozes.

Gledson, J. (1981). Poesia e poética de Carlos Drummond de Andrade. São Paulo: Duas Cidades.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (1940). Recenseamento Geral do Brasil (1º de Setembro de 1940). Série Regional. Parte XIII: Minas Gerais. Tomo 2. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/65/cd_1940_p13_t2_mg.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2003). Metodologia do Censo Demográfico 2000. Rio de Janeiro: IBGE. https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=284173

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). IBGE Cidades. https://cidades.ibge.gov.br/

Lafaille, R. (1989). Départ: Géographie et poésie, The Canadian Geographer, 33(2), 118-130. https://doi.org/10.1111/j.1541-0064.1989.tb00893.x

Lévy, B. (2006). Geógraphie et littérature: une synthèse historique. Le Globe. Revue genevoise de géographie, 146, 25-52. https://www.persee.fr/doc/globe_0398-3412_2006_num_146_1_1513

Lévy, B. (1997). Géographie culturelle, géographie humaniste et littérature: Position épistémologique et méthodologique. Géographie et Cultures, 21, 27-44. https://www.researchgate.net/publication/294601485_Geographie_culturelle_geographie_humaniste_et_litterature_Position_epistemologique_et_methodologique

Lindón, A. (2009). La construcción socioespacial de la ciudad: el sujeto cuerpo y el sujeto sentimiento. Revista Latinoamericana de Estudios sobre Cuerpos, Emociones y Sociedad, 1, 6-20. http://www.relaces.com.ar/index.php/relaces/article/viewArticle/4

Marinho, S. (2010). Um homem, um lugar: geografia da vida e perspectiva ontológica. (Tese de Doutorado em Geografia). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Scarlato, F. & Costa, E. (2017). A natureza do urbano. Confins, 30. https://doi.org/10.4000/confins.11676

Villaça, A. (2013). Desejos tortos. In C. D. Andrade. Brejo das Almas (pp. 47-57). São Paulo: Companhia das Letras.

Downloads

Publicado

01-09-2021

Como Citar

Silva, F. C. da. (2021). Poética da cidade em Carlos Drummond de Andrade: (Brejo das Almas). PatryTer, 4(8), 133–151. https://doi.org/10.26512/patryter.v4i8.31245

Edição

Seção

Artigos