Análise da relação entre vegetação, sombreamento e comportamento de usuários do Parque do Kartódromo na cidade de São Carlos-SP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n36.2023.05

Palavras-chave:

conforto térmico, mapas comportamentais, microclima urbano

Resumo

O processo de urbanização das cidades tem acentuado as consequências das mudanças climáticas globais. Diante disso, ressalta-se a relevância de estudos que demonstrem a importância de espaços livres urbanos para a qualidade de vida dos usuários das cidades. O objetivo deste trabalho consiste em contribuir para a compreensão das relações existentes entre vegetação, microclima e comportamento de usuários em espaços livres urbanos. O estudo foi realizado no Parque do Kartódromo da cidade de São Carlos-SP, cujo clima caracteriza-se como tropical de altitude. A metodologia constitui-se em: caracterização da área de estudo; definição dos pontos de medições; mapas comportamentais; medições microclimáticas; análise dos resultados; e discussão. Percebeu-se que os valores de temperatura do ar foram semelhantes no ponto sombreado, como também, no ponto exposto ao sol. Algumas variáveis interferiram no comportamento de outras, como foi o caso da temperatura do ar diante da velocidade dos ventos. Outro fator que também pode ter influenciado é o tipo da pavimentação do entorno. Apesar disso, os usuários do parque continuaram preferindo as áreas sombreadas para a realização de suas atividades. Concluiu-se que em algumas situações, portanto, a presença de vegetação não é suficiente para garantir uma melhora no microclima local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kamyla Barros, Universidade de São Paulo, Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal de Alagoas. Especialista em Reabilitação Ambiental Arquitetônica e Urbanística pela Universidade de Brasília. Mestra em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo. Possui experiência acadêmica na área de Arquitetura e Urbanismo com ênfase em conforto ambiental do espaço urbano, climatologia urbana, espaços livres urbanos e planejamento urbano com enfoque em condições climáticas locais.

Marta Adriana Bustos Romero, Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Graduação pela Universidad de Chile e pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Especialização em Arquitetura na Escola de Engenharia, USP São Carlos. Mestrado em Planejamento Urbano pela Universidade de Brasília. Doutorado em Arquitetura pela Universitat Politecnica de Catalunya. Pós-Doutorado em Landscape Architecture na PSU. Atualmente é professora Titular da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes campos: tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo, sustentabilidade, urbanismo sustentável, bioclimatismo, desenho urbano, espaço público, e arquitetura e clima. Nesses campos, publicou e organizou os seguintes livros e coletâneas: Princípios Bioclimáticos para o Desenho Urbano, Arquitetura Bioclimática do Espaço Público, Indicadores de Sustentabilidade Urbana, Reabilitação Ambiental Sustentável Arquitetônica e Urbanística, Tecnologia e Sustentabilidade para a Humanização dos Edifícios de Saúde, Arquitetura do Lugar.

Referências

ALEXANDER, P. J. et al. Land surface temperature climatology over urban surfaces: A blended approach. In: 2017 Joint Urban Remote Sensing Evento (JURSE). Anais… Dubai: 2017.

ANDRADE, L.S. É possível transformar em cidade a anticidade? Crítica ao urbanismo de empreendimentos do PMCMV. In: AMORE, C.S; SHIMBO, L.Z., RUFINO, M.B.C. (org). Minha casa... e a cidade? Avaliação do programa minha casa minha vida em seis estados brasileiros. 1. ed. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015.

ARAUJO, V. K. R.; SANTOS, J. M. F. F.; ARAÚJO, E. L.; PIMENTEL, R. M. M.; SILVA, K. A. 2017. Influence of leaf morphometric variations on the growth of seedlings and juveniles of woody species in a semiarid environment. Brazilian Journal of Botany, v. 40, n. 4, p. 1019, 1028. 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 15.220-3 Desempenho térmico de edificações. Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social. Rio de Janeiro: ABNT, 2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 16.401-2 Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários. Parte 2: Parâmetros de conforto térmico. Rio de Janeiro: ABNT, 2008.

BARBOSA, Ricardo Victor Rodrigues. Estudo do campo térmico de São Carlos (SP): análise da intensidade da ilha de calor urbano em episódio de verão. Tese (Doutorado em Engenharia Ambiental) – EESC, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009.

BRASIL. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Disponível em: https://tempo.inmet.gov.br/TabelaEstacoes/83726.

COUTTS, A. Green infrastructure for cities: It’s all about trees. Urban Climate News n.57, p. 7-12, set. 2015.

COUTTS, A. M. et al. Thermal infrared remote sensing of urban heat: Hotspots, vegetation, and an assessment of techniques for use in urban planning. Remote Sensing of Environment, v. 186, p. 637-651, 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. São Carlos (SP) Cidades e Estados. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/sao-carlos.html. Acesso em 27 setembro de 2019.

IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change. Climate change 2021: impacts, adaptation and vulnerability, 2021.

KARDEL, F.; WUYTS, K.; BABANEZHAD, M.; VITHARANA, U. W. A.; WUYTACK, T.; POTTERS, G.; SAMSON, R. Assessing urban habitat quality based on specific leaf area and stomatal characteristics of Plantago lanceolata L. Environmental Pollution, v. 158, p. 788-794. 2010.

MELLO FILHO, L. E. Arborização urbana. In.: ENCONTRO NACIONAL SOBRE ARBORIZAÇÃO URBANA, 1., 1985. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, 1985. p. 45- 49.

OKE, T. R. The energetic basis of the urban heat island (Symons memorial lecture, 20 May 1980). Quartely Journal of the Royal Meteorological Society 108 (455) (1982), pp. 1-24.

PAIVA, I. M. M.; ANDRADE, L. P. DE; ANDRADE, H. M. L DA S.; SILVA, R. N. D. A pandemia da COVID-19 e a utilização dos parques públicos urbanos de Garanhus-PE. Reaseach, Society and Development, v. 10, n. 13, e412101321317, 2021.

PREFEITURA DE SÃO CARLOS. Parque do Kartódromo – Projeto detalha 2ª fase de obras. Disponível em: http://www.saocarlos.sp.gov.br/index.php/noticias-2006/149075-parque-do-kartodromo.html. Acesso em 02 novembro de 2021.

PREFEITURA DE SÃO CARLOS. Parque do Kartódromo ganha academia ao ar livre. Disponível em: http://www.saocarlos.sp.gov.br/index.php/2012/162463-parque-do-kartodromo-ganha-academia-ao-ar-livre.html. Acesso em 02 novembro de 2021.

ROLNIK, R. (coord.) Ferramentas para avaliação da inserção urbana dos empreendimentos do MCMV. Equipe Laboratório Espaço Público e Direito à Cidade (LabCidade). FAU/USP. Chamada MCTI/CNPq/MCIDADES No 11/2012. Novembro, 2014.

ROMÉRO, M.; ORNSTEIN, S. W. Avaliação Pós-Ocupação: Métodos e Técnicas Aplicados à Habitação Social. Porto Alegre, 2003.

ROMERO, Marta Adriana Bustos. Arquitetura do lugar: uma visão bioclimática da sustentabilidade em Brasília. São Paulo: Nova Técnica Editorial, 2011. 164p.

ROMERO, Marta Adriana Bustos. [et al.]. 2. Planejamento Territorial Urbano 3. Infraestrutura 4. Desenvolvimento Sustentável 5. Paisagismo I. Relação entre mudanças climáticas e ilhas de calor urbanas (2019: Brasília – Distrito Federal – Brasil) II. Título.

SÃO CARLOS (MUNICÍPIO). Lei Municipal n° 18.053, de 19 de dezembro de 2016. Estabelece o Plano Diretor do Município de São Carlos e dá outras providências. São Carlos: Diário Oficial do Município, de 28 de dezembro de 2016.

SILVA, L. H. G. DA; PIMENTEL, R. M. DE M. Estrutura morfológica foliar da arborização urbana na manutenção do conforto térmico. Journal of Environmental Analysis and Progress, v. 04, n. 01, p. 104-109, 2019.

TOLENTINO, Mario. Estudo crítico sobre o clima da região de São Carlos. São Carlos: edUFSCAR; São Paulo, 76 p., 2007.

TUMINI, I. El microclima urbano en los espacios abiertos. Estudio de casos en Madrid. Madrid, 2012. Tese (Doutorado) - Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Madrid, Universidad Politécnica de Madrid, Madrid, 2012.

WERNECK, Daniela Rocha. Estratégias de mitigação das ilhas de calor urbanas: estudo de caso em áreas comerciais em Brasília – DF. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

ZHAO, M.; RUNNING, S. W. Drought-Induced Reduction in Global Terrestrial Net Primary Production from 2000 Through 2009. Science, v. 329, n, 5994, p. 940-943. 2010.

Downloads

Publicado

23-10-2023

Como Citar

Barros, K., & Bustos Romero, M. A. (2023). Análise da relação entre vegetação, sombreamento e comportamento de usuários do Parque do Kartódromo na cidade de São Carlos-SP. Paranoá, 16(36), 1–17. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n36.2023.05

Edição

Seção

Reabilitação Ambiental Sustentável Arquitetônica e Urbanística

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.