Arquivos da Autopia: acervos de projetos de infraestrutura viária em São Paulo - 1952-1985

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.21

Palavras-chave:

infraestrutura, historiografia, vias expressas, rodoviarismo, engenharia de transportes

Resumo

O campo da infraestrutura de transportes oferece um desafio ao pesquisador da historiografia da arquitetura. A natureza dos projetos de infraestrutura e o formato das equipes de projeto que os desenvolveram, distantes do formato autoral do cânone moderno, oferecem uma responsabilidade dupla: o de mapear esse nicho profissional, formado por empresas multidisciplinares de engenharia consultiva, e o de analisar as ambições de projeto através de fontes cuja linguagem, malgrado também projetual, se distancia do vocabulário arquitetônico comum. Através da abordagem crítica de Reyner Banham e da historiografia não-canônica da arquitetura, busca-se a maturação de uma ferramenta de pesquisa que interpreta documentos técnicos à luz de suas condicionantes ideológicas. O presente artigo aborda, através de dois estudos de caso, a experiência de pesquisa nos acervos da Prefeitura de São Paulo e do Departamento de Estradas de Rodagem do governo do estado, reflete sobre as condições físicas e a catalogação dos acervos, e aponta para ações necessárias para preservação e melhor interpretação dos acervos, fundamentais para entender a história da infraestrutura e seu impacto na paisagem urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luiz Ricardo Araujo Florence, Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Formado em arquitetura e urbanismo pela FAU-USP em 2005, onde também obteve seus títulos de Mestrado (2014) e Doutorado (2021), Luiz Florence é sócio da 23 Sul Arquitetura, onde desenvolve projetos em diversas escalas e tipologias, com ênfase em infraestrutura de transportes. Desde a graduação, Luiz Florence trabalha com temas relacionados à sistemas de mobilidade urbana, em paralelo com sua pesquisa acadêmica, cujo foco metodológico é o da historiografia crítica. O interesse por investigar elementos da arquitetura anônima, como ruas, calçadas, estradas, autoconstrução e customizações o aproximou da produção de Reyner Banham, em especial a sua abordagem dos elementos do vernacular moderno estadunidense e seu impacto na arquitetura moderna, foco da pesquisa de mestrado. Na pesquisa de doutoramento, o foco se direcionou para o mapeamento da paisagem rodoviária formada pelas vias expressas de São Paulo, que foi cunhada como Autopia. Utilizando a metodologia de Banham, a construção da paisagem autópica mobilizou não apenas aspectos do projeto, mas suas apropriações, sua relação com a cultura de consumo de massa e realidade socioeconômica. Foi professor da Universidade São Judas Tadeu, onde lecionou nos cursos de teoria e história da arquitetura e urbanismo, entre 2015 e 2018.

Referências

ARREGUY, C. A. C.; VEN NCIO, R. P. Políticas públicas e legislação arquivística no brasil. Informação Arquivística, v. 6, n. 2, 2017. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/90924. Acesso em: 11 abr. 2022.

ARTIGAS, Rosa, MELLO, Joana, CASTRO, Ana Paula, (org.). Caminhos do Elevado, Memória e Projetos. São Paulo, SEMPLA, 2008.

BANHAM, Reyner. Los Angeles – A Arquitetura de Quatro Ecologias. São Paulo: Martins Fontes, 2013

BRODSLY, David. L.A. Freeway: an appreciative essay. Berkeley, University of California Press, 1981.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Estranhas Catedrais: Empreiteiras Brasileiras e a Ditadura. Rio de Janeiro: Eduff, 2014.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. A Ditadura dos Empreiteiros: as empresas nacionais de construção pesada, suas formas associativas e o Estado ditatorial brasileiro, 1964-1985 (Tese de Doutorado) Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2012

DIMENTO, Joseph F. C.; ELLIS, Cliff. Changing Lanes: Visions and Histories of Urban Freeways. Cambridge: The MIT Press, 2013.

DURAND, José Carlos Garcia. A Profissão do Arquiteto: estudo sociológico (mestrado). São Paulo: FFLCH-USP, 1972.

ESCRITÓRIO TÉCNICO FIGUEIREDO FERRAZ, Plano Funcional de Remanejamento da via Marginal do Rio Tietê (projeto técnico). São Paulo: DER-SP, 1977.

FICHER, Sylvia. Ensino e profissão : o curso de engenheiro-arquiteto da Escola Politécnica de São Paulo. São Paulo: Escola Politécnica da USP, 1995.

FLORENCE, Luiz Ricardo Araujo. Arquitetura e Autopia. Infraestrutura rodoviária em São Paulo – 1952-1972 (tese de doutorado). São Paulo: FAU-USP 2020.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Estudo do pequeno anel rodoviário de São Paulo. Secretaria de Transportes, Departamento de Estradas de Rodagem – DER, 1965.

HOCHTIEF, MONTREAL DECONSULT / COMPANHIA DO METROPOLITANO DE São Paulo. Metrô de São Paulo – Sistema integrado de transporte rápido coletivo da cidade de São Paulo. São Paulo: Companhia do Metropolitano de São Paulo, 1969.

LIRA, José Tavares Correia de. “A História e o Fazer da Arquitetura”. In DESIGNIO: revista de história da arquitetura e do urbanismo. Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU-USP). São Paulo: Annablume, 2011, pp. 11-18.

MARTINS, Luís Pompeo. A Cidade em Movimento: a via expressa e o pensamento urbanístico do século XX (dissertação de mestrado). São Paulo: FAU-USP, 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. Anteprojeto para um Sistema de Transporte Rápido, 1956.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO, HIDROSERVICE, Projeto para o Elevado Costa e Silva, 1969.

____________________________________. Vias Expressas. São Paulo, Departamento de Planejamento (DPL) dos Sistemas de Transportes, 1973.

PULHEZ, Magaly Marques. O Arranjo Gerencial: Estado, empresas de engenharia e Arquitetos nos cotidianos de gestão da política habitacional em São Paulo (tese de doutorado). São Carlos: IAU-USP, 2014.

TAFURI, Manfredo. “Arquitetura e Historiografia. Uma Proposta de Método”. In DESIGNIO: revista de história da arquitetura e do urbanismo. Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU-USP). São Paulo: Annablume, 2011, pp. 11-18.

TRANSESP, DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM DE SÃO PAULO, Corredor Tietê: Situação Atual (plano viário). São Paulo, 1977.

VASCONCELLOS, Eduardo de Alcântara. Circular é Preciso, Viver não é Preciso: a história do trânsito na cidade de São Paulo. São Paulo: Annablume, 1999. Ed. original 1996.

_______________ . Políticas de Transporte no Brasil: a construção da mobilidade excludente. São Paulo: Manole, 2014.

Downloads

Publicado

2022-08-26

Como Citar

Araujo Florence, L. R. (2022). Arquivos da Autopia: acervos de projetos de infraestrutura viária em São Paulo - 1952-1985. Paranoá, (32), 1–16. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.21

Edição

Seção

Edição Temática: Arquivos e Acervos em Arquitetura e Urbanismo