Patrimônio e plano diretor: as perspectivas para o patrimônio histórico em Anápolis/GO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.05

Palavras-chave:

arquitetura, patrimônio histórico, Plano

Resumo

Discute-se a política patrimonial em Anápolis-GO, cidade média localizada entre Goiânia e Brasília. Historicamente, há pouco reconhecimento do valor dos seus edifícios históricos e, após 114 anos de existência, a cidade possui apenas doze edifícios tombados e uma trajetória de destruição do seu acervo arquitetônico. Investiga-se o que o poder municipal, por meio do Plano Diretor, propõe ao patrimônio histórico da cidade. Para avaliação, elege-se o bairro Vila Industrial que possui um conjunto de edificações históricas ligadas à ferrovia e indústria. Recorre-se à pesquisa documental, com levantamento histórico e bibliográfico e análise do Plano Diretor de 2006 (revisto em 2016) de Anápolis. Assim, observa-se a fragilidade na preservação do acervo patrimonial da cidade, em que as medidas propostas pelo atual Plano Diretor não contemplam de forma satisfatória os edifícios históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mário Calaça, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Artes Visuais, Programa de Pós Graduação em Projeto e Cidade

Mário Pinto Calaça Júnior, Arquiteto e Urbanista formado pela Universidade Evangélica de Goiás (2018). Mestrando no Programa de Pós Graduação Projeto e Cidade da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (2021-). Pesquisa patrimônio histórico na cidade de Anápolis, com ênfase em patrimônio industrial. Faz parte do grupo de pesquisa 'A cidade em quadros: Estudos de Goiânia' (2021-). Atuação acadêmica e profissional em teoria, história e crítica da arquitetura e urbanismo, patrimônio e projeto de arquitetura e urbanismo.

Adriana Mara Vaz de Oliveira, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Artes Visuais, Programa de Pós Graduação em Projeto e Cidade

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Goiás (1985), mestrado em História das Sociedades Agrárias pela Universidade Federal de Goiás (1999) e doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Atualmente é professor Associado I da Universidade Federal de Goiás, ministrando aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo, na Faculdade de Artes Visuais e é integrante do corpo docente do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo - Mestrado Projeto e Cidade da mesma instituição. É integrante dos grupos de pesquisa Arquitetura Interfaces e Estudos Urbanos e Culturais. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Teoria, História e Crítica da Arquitetura e do Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: arquitetura, cidade, cidade contemporânea, projeto de arquitetura, história da arquitetura e da cidade, patrimônio e memória, teoria e crítica da arquitetura, cultura arquitetônica, memória e cidade, urbanismo.

Referências

ANÁPOLIS. Lei Complementar n. 349, de 07 de julho de 2016. Dispõe sobre o Plano Diretor

Participativo do Município de Anápolis. Anápolis, GO, julho de 2016.

BRASIL. Lei n 10.257 de 10 de julho de 2001 – Estatuto da Cidade.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CASTRO, Joana D’arc Bardella; CASTRO, Márcio Cesar Gomes de. Planejamento urbano e a intervenção na paisagem: um estudo dos planos diretores de Anápolis/Goiás. Revista de Economia de UEG - VOL. 13, N.º 1, Jan/Jun. 2017

CANDAU, Joel. Memória e identidade. Trad. Maria L. Ferreira. São Paulo: Contexto, 2011.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Unesp, 2001.

FARIA, Ivone Oliveira & PEREIRA, Jacy C. de Azevedo. A formação da estrutura urbana. In. Correio do Planalto, Anápolis, 1976.

FÉRES, Luciana Rocha. Paisagem Cultural e Paisagem Urbana Histórica: reflexões acerca dos conceitos e os desafios da gestão do Conjunto Moderno da Pampulha patrimônio cultural da humanidade. Simpósio Científico – ICOMOS BRASIL. Volume 1 -2017.

FERREIRA, Anderson Saccol. O Plano Diretor como instrumento de planejamento do patrimônio histórico, cultural e arquitetônico em pequenos municípios. Unoesc & Ciência – ACSA, Joaçaba, v. 8, n. 1, p. 77-84, jan./jun. 2017

GONÇALVES, José Reginaldo. O patrimônio como categoria de pensamento. In: ABREU, Regina, CHAGAS, Mário (Orgs.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A. 2003.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Portaria no 127 de 30/04/2009. Estabelece a chancela da Paisagem Cultural Brasileira. Disponível em: https://iphanparana.wordpress.com/iphanparana/legislacao/legislacao-do-patrimonio-material/portaria-no-127-de-30-de-abril-de-2009/. Acesso em 30 de agosto de 2021.

KÜHL, B. M. Notas sobre a Carta de Veneza. Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 287-320, dez. 2010. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5539/7069>. Acesso em: 23 set. 2017.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Ed. Puc-Rio: Apicuri, 2016.

LUZ, Janes Socorro da. O eixo Goiânia-Anápolis-Brasília e as novas dinâmicas territoriais. In. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina, Universidade de São Paulo, 2005.

PAULA, Éder Mendes de; SOARES, Murilo Oliveira. As políticas públicas de preservação e tombamentos dos espaços: breve genealogia da legislação patrimonial de Anápolis. Científic@ - Multidisciplinary Journal - N.4 V.2 (2017), p. 14-21.

POLONIAL, Juscelino. Ensaios Sobre a História de Anápolis. Anápolis, GO: AEE, 2000.

PREFEITURA DE ANÁPOLIS. Lei de nº 160, de 26 de setembro de 1969-Plano Diretor -1969 Dispõe sobre a instituição do Plano Diretor de Desenvolvimento I do Município de Anápolis, e dá outras providências.

PREFEITURA DE ANÁPOLIS. Lei nº. 1326, de 24 de setembro de 1985. Plano Diretor -1985 Dispõe sobre a instituição do Plano Diretor de Desenvolvimento I do Município de Anápolis, e dá outras providências.

PREFEITURA DE ANÁPOLIS. Lei de nº 2.077, de 22 de dezembro de 1992.Plano Diretor -1992. Dispõe sobre a instituição do Plano Diretor de Desenvolvimento I do Município de Anápolis, e dá outras providências.

PREFEITURA DE ANÁPOLIS. Lei Complementar n° 349, de 07 de julho de 2016. Dispõe sobre o Plano Diretor Participativo do Município de Anápolis. Anápolis, GO, julho de 2016.

MACHADO, Hamilton. Imagens do comercio anapolino no jornal “O ANÁPOLIS” (1930-1960): A construção da Manchester Goiana. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2009.

SCHERER, Rebeca. Paisagem urbanística, urbanização pós-moderna e turismo. In: YAZIGI, Eduardo (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Contexto, 2002.

SILVA, Ana Caroline Caixeta; VALVA, Milena D´ayala. A modernização da cidade de Anápolis (GO) e a repercussão no seu Centro Pioneiro. Revista Memória em Rede, Pelotas, v.12, n.22, Jan/Jun, 2020.

SILVA, José Fábio. O progresso como categoria de entendimento histórico: um estudo de caso sobre a modernização da cidade de Anápolis-GO (1930-1957). Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em História, da Faculdade de História, da Universidade Federal de Goiás. 2014.

UNESCO. Recomendações sobre a Paisagem Histórica Urbana. 36ª Conferência Geral da UNESCO, 2011. Paris, 2011. Disponível em: http://psamlisboa.pt/wp-content/uploads/2014/03/UNESCO_RECOMENDACAO.pdf. Acesso em 30 de agosto de 2021.

VILLAÇA, Flávio. As ilusões do plano diretor. São Paulo, Edição do autor, 2005.

Downloads

Publicado

2022-02-19

Como Citar

Calaça, M., & Mara Vaz de Oliveira, A. (2022). Patrimônio e plano diretor: as perspectivas para o patrimônio histórico em Anápolis/GO. Paranoá, 15(32), 1–23. https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n32.2022.05

Edição

Seção

Teoria, História e Crítica

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.