Levantamento sócio-espacial: um método num vilarejo

Autores

  • Silke Kapp Escola de Arquitetura, UFMG, Belo Horizonte, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n17.2016.04

Palavras-chave:

Quartel do Indaiá, Pesquisa sócio-espacial, metodologia, Methodology

Resumo

A compreensão das relações de comunidades rurais com o espaço que usam e produzem é imprescindível para ações de melhoria de suas condições de vida. Levantamentos técnicos e diagnósticos tradicionalmente empregados nas áreas de Arquitetura, Urbanismo e Planejamento não bastam para isso. O presente artigo visa a um método de levantamento sócio-espacial mais abrangente do que essa abordagem convencional, mas viável num trabalho de campo relativamente breve. O método é discutido a partir de sua aplicação, pelo Grupo de Pesquisa Morar de Outras Maneiras - MOM, ao vilarejo Quartel do Indaiá, no município de Diamantina, Minas Gerais. O artigo inicia pela apresentação dessa proposta metodológica, seguida de uma descrição do trabalho de campo e uma compilação dos dados levantados e interpretados. A última parte consiste na discussão crítica do processo de pesquisa, incluindo considerações para futuros desenvolvimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silke Kapp, Escola de Arquitetura, UFMG, Belo Horizonte, Brasil

A compreensão das relações de comunidades rurais com o espaço que usam e produzem é imprescindível para ações de melhoria de suas condições de vida. Levantamentos técnicos e diagnósticos tradicionalmente empregados nas áreas de Arquitetura, Urbanismo e Planejamento não bastam para isso. O presente artigo visa a um método de levantamento sócio-espacial mais abrangente do que essa abordagem convencional, mas viável num trabalho de campo relativamente breve. O método é discutido a partir de sua aplicação, pelo Grupo de Pesquisa Morar de Outras Maneiras - MOM, ao vilarejo Quartel do Indaiá, no município de Diamantina, Minas Gerais. O artigo inicia pela apresentação dessa proposta metodológica, seguida de uma descrição do trabalho de campo e uma compilação dos dados levantados e interpretados. A última parte consiste na discussão crítica do processo de pesquisa, incluindo considerações para futuros desenvolvimentos.

Referências

KAPP, Silke; BALTAZAR, Ana Paula. The paradox of participation: A case study on urban planning in favelas and a plea for autonomy. Bulletin of Latin American Research, Vol. 31, No. 2, pp. 160”“173, 2012.

KOTHARI, Uma. “Power, knowledge and social control in participatory development”. In: Bill Cooke; Uma Kothari. Participation: The New Tyranny? London, New York: Zed Books, 2001, pp.139”“152.

MONTEIRO, Fernanda Testa. Os(as) apanha-dores(as) de flores e o Parque Nacional das Sempre-Vivas (MG): travessias e contradições ambientais. Dissertação de Mestrado em Geografia. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

WHYTE, William Foote. Street Corner Society: The social structure of an Italian Slum. Chicago: University of Chicago Press, 2012 [1943].

WHYTE, William Foote. Revisiting "Street Corner Society". Sociological Forum, Vol. 8, No. 2, Jun. 1993, pp. 285”“298.

Downloads

Publicado

23-02-2017

Como Citar

Kapp, S. (2017). Levantamento sócio-espacial: um método num vilarejo. Paranoá, 9(17). https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n17.2016.04

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.