DES-PENSAR AS SUBJETIVIDADES, ENFRENTAR AS ARMADILHAS DA IDENTIDADE

Autores

  • Suze Piza

DOI:

https://doi.org/10.26512/dasquestoes.v8i2.37685

Palavras-chave:

cosmopolíticas, identitarismo, epistemologia

Resumo

Como se inscreve a epistemologia em uma cosmopolítica não conformada à ontologia do
homem universal e considerando, pois, uma consciência global com parâmetros que não
removam a agência de tudo que garante os fatores reprodutivos do conhecimento e seus
recursos? Neste texto avaliarei uma saída e uma armadilha ligada a esta problemática. A saída:
o empreendimento de uma crítica ao identitarismo branco e à metafísica da subjetividade
europeia, feita pelo pensamento decolonial, com o intuito de dissolvê-los. A armadilha: o estado
atual que nos encontramos com a proliferação de identidades pessoais e a criação de novas
prisões epistêmicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DUSSEL, Enrique. 20 teses sobre política, São Paulo: Expressão popular, 2006.

LACLAU, Ernesto. A razão populista. São Paulo: Três estrelas, 2005.

SANTOS, Boaventura. MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São. Paulo;

Editora Cortez. 2010

Downloads

Publicado

2021-04-25

Como Citar

PIZA, Suze. DES-PENSAR AS SUBJETIVIDADES, ENFRENTAR AS ARMADILHAS DA IDENTIDADE. Das Questões, [S. l.], v. 8, n. 2, 2021. DOI: 10.26512/dasquestoes.v8i2.37685. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/dasquestoes/article/view/37685. Acesso em: 18 jul. 2024.