Oposição entre as Lutas anticapitalista e antirracista:

realidade ou erro de análise?

Autores

  • Tereza Cristina Santos Martins Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.26512/ser_social.v19i41.14686

Palavras-chave:

Luta antirracista, Luta anticapitalista, Lutas de Classes, Movimento Negro

Resumo

Objetiva oferecer elementos que permitam compreender que a oposição entre a luta anticapitalista e antirracista está associada à armadilha das análises sem o mergulho na formação social concreta.  A análise da formação social brasileira possibilita apreender uma questão étnico-racial forjada no mesmo processo de constituição das relações capitalistas no Brasil. Essa apreensão é fundante no entendimento de que as bandeiras da luta étnico-racial no país não estão em campos opostos dos da luta de classes como as análises fazem parecer. A luta antirracista no Brasil foi/é a expressão de um lugar do/a negro/a determinado pelo racismo: à margem da cidadania regulada e dos  processos organizativos a que são vinculadas as respostas do Estado à “questão social”. Esse entendimento é fulcral na compreensão de suas organizações e das bandeiras de luta que defendem e, consequentemente, na apreensão de pistas para afirmar a viabilidade de construção unificada de alternativas comuns de luta.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tereza Cristina Santos Martins, Universidade Federal de Sergipe

Docente do Departamento de Serviço Social da UFS. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UFS, Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Referências

ALMEIDA, S. L. de. Dossiê: Marxismo e questão racial. Apresentação. Margem Esquerda, n. 27, 2. sem./2016.

ANDREWS, G. R. Negros e brancos em São Paulo (1888-1988). Bauru-SP: Edusc, 1998.

AZEREDO, B. Políticas públicas de emprego no Brasil: limites e possibilidades. In: OLIVEIRA, M. A. (Org.) Reforma do Estado e políticas de emprego no Brasil. Campinas: Unicamp, 1998.

BENTO, M. A .S. Cidadania em preto e branco. São Paulo: Ática, 2006.

BOSCHETTI, I. Seguridade social e trabalho. Paradoxos na construção das políticas de Previdência e Assistência Social no Brasil. Brasília: Letras Livres/UnB, 2006.

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de junho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis nos 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 21/07/2010. Brasília-DF, 21/07/2010.

DEVULSKY, A. Estado, racismo e materialismo. Dossiê: Marxismo e questão racial. Margem Esquerda, n. 27, 2. sem./2016.

FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5. ed. São Paulo: Globo, 2006.

______. O negro no mundo dos brancos. 2. ed. São Paulo: Global, 2007.

HANCHARD, M. G. Orfeu e o poder: movimento negro no Rio e São Paulo (1945-1988). Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

IANNI, O. Raças e classes no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

______. As metamorfoses do escravo. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1987.

______. A questão racial no Brasil. In: LOVELL, Peggy (Org.). Desigualdades sociais no Brasil contemporâneo. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 1991.

KOWARICK, L. Trabalho e vadiagem: a origem do trabalho livre no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

LESSA, S. Mundo dos homens: trabalho e ser social. São Paulo: Boitempo, 2002.

MAGNOLI, D. Uma gota de sangue: história do pensamento racial. São Paulo: Contexto, 2009.

MARTINS, T. C. S. Racismo no mercado de trabalho: limites à participação dos trabalhadores negros na constituição da “questão social” no Brasil. 2012. Tese (Doutorado em Serviço Social). Recife: UFPE. 2012.

______. O negro no contexto das novas estratégias do capital: desemprego, precarização e informalidade. Serviço Social & Sociedade, n. 111, jul.-set./2012b.

______. Racismo, questão social e serviço social: elementos para pensar a violação de direitos no Brasil. Inscrita, n. 14, 2013.

______. Determinações do racismo no mercado de trabalho: implicações na “questão social” Brasileira. Temporalis, n. 28, jul.-dez./2014.

______. Questão étnico-racial: seus nexos com o núcleo de fundamentos da formação sócio-histórica da sociedade brasileira. In: GONÇALVES, M. da C. V.; MARTINS, T. C. S.; SANTOS, V. N. (Orgs.). Temas contemporâneos no Serviço Social: um convite à reflexão. São Cristóvão: UFS, 2016.

MARX, K. O 18 Brumário e Cartas a Kugelman. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

______. O capital. Livro 1, V. 2. 23. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

MELLO, J. M. C. de. O capitalismo tardio. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

MÉSZÁROS, I. Desemprego e precarização: um grande desafio para a esquerda. In: ANTUNES, R. (Org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

MUNANGA, K; GOMES, N. L. O negro no Brasil de hoje. São Paulo: Global, 2006.

NASCIMENTO. A. Teatro experimental do negro: trajetória e reflexões. Estudos Avançados, v . 18, n. 50. jan.-abr./2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000100019>.

Acesso em: 20/09/2017.

NETTO, J. P. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 1991.

OLIVEIRA, D. de. Dilemas da luta contra o racismo no Brasil. Dossiê: Marxismo e questão racial. Margem Esquerda, n. 27, 2. sem. 2016.

POCHMANN, M. Rumos da política do trabalho no Brasil. In: SILVA, M. O. da S.; YAZBEK, M. C. (Orgs.). Políticas públicas de trabalho e renda no Brasil contemporâneo. São Paulo: Cortez/São Luiz: Fapema, 2008.

PRADO JR., C. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 2008a.

______. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2008b.

REIS, J. J. (Org.). Escravidão e invenção da liberdade: estudos sobre o negro no Brasil. São Paulo: Brasiliense/CNPq, 1988.

SANTOS, W. G. dos. Cidadania e justiça: a política na ordem brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1987.

SODRÉ, N. W. História da burguesia brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

SKIDMORE, T. Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

Downloads

Publicado

02/06/2018

Como Citar

MARTINS, Tereza Cristina Santos. Oposição entre as Lutas anticapitalista e antirracista:: realidade ou erro de análise?. SER Social, [S. l.], v. 19, n. 41, p. 275–295, 2018. DOI: 10.26512/ser_social.v19i41.14686. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/14686. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos Cientí­ficos - Temáticos